Gestão danosa na CGD pode ficar sem culpados. Costa e Rio sacodem responsabilidades

Inácio Rosa / Lusa

Os eventuais crimes de gestão danosa na Caixa Geral de Depósitos (CGD), assinalados numa auditoria ao banco público, podem já ter prescrito, o que significa que pode não haver responsabilidades penais para os envolvidos.

A notícia é avançada pelo Correio da Manhã (CM) que refere que a auditoria efectuada pela Ernst & Young (EY) se reporta à gestão da CGD entre 2000 e 2015, enquanto o prazo de prescrição dos eventuais crimes assinalados é de 8 a 10 anos.

Desta forma, é possível que os gestores implicados na administração da CGD durante aqueles anos não sejam alvo de qualquer procedimento penal, mesmo que se confirmem eventuais crimes.

Os crimes de administração danosa são punidos até 5 anos de prisão ou a pena de multa até 600 dias e prescrevem ao cabo de 10 anos. Já os processos de contra-ordenação prescrevem em 8 anos.

O CM avança ainda que o inquérito aberto ao caso pelo Ministério Público (MP) está estagnado, não tendo sido ouvidos os principais visados na auditoria da EY.

Uma fonte oficial da Procuradoria Geral da República (PGR) garante ao Jornal Económico que “estão em curso diligências abrangidas por segredo de justiça“, no âmbito do “inquérito onde se investigam factos relacionados com a CGD”, e que não há ainda “arguidos constituídos”.

O MP suspeita de acção “deliberada” para omitir passivo do banco público e para esconder imparidades relacionadas com a concessão de créditos, como atesta o Económico.

A investigação centra-se, especialmente, nos maiores créditos em incumprimento, designadamente empréstimos concedidos a empresas e a particulares sem as devidas garantias. O MP suspeita de uma “intencional prática de favorecimento de determinados agentes económicos em detrimento de outros, face a condições de acesso ao mercado de crédito”, como salienta um acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa citado pelo Económico.

“O vosso sonho era que a Caixa fosse vendida”

O primeiro-ministro comentou o caso notando que foi o seu Governo quem solicitou a auditoria à gestão da CGD e quem pediu à administração do banco público para se constituir como assistente em processo-crime.

António Costa criticou indirectamente a oposição, dizendo “estranhar que muitos dos que falam actualmente na auditoria, quando estiveram no Governo, não a pediram“, numa referência implícita ao Executivo PSD/CDS. “O Governo determinou à CGD que essa auditoria fosse feita”, contrapôs.

No âmbito de um aceso debate no Parlamento e após acusações de PSD e CDS, o ministro das Finanças também se referiu a este ponto, notando que o actual Governo fez “o que nenhum outro Governo tinha feito nos últimos oito anos”.

O vosso sonho era que a Caixa fosse resolvida e vendida“, atirou ainda Mário Centeno.

O Governo “não pediu nem teve acesso às informações” da auditoria porque elas são “reservadas à administração e supervisão” e estão “sujeitas a sigilo”, disse ainda Centeno.

“Há muito que instruímos a administração da CGD” para enviar as conclusões à PGR para apurar responsabilidades criminais, apontou também.

Para o líder do PSD, Rui Rio, o importante é salientar que PS, PCP e Bloco de Esquerda acabaram com a Comissão Parlamentar de Inquérito à CGD para que não se soubesse quem são os devedores.

“Tivemos uma Comissão de Inquérito no Parlamento que o PS, o PCP e o Bloco de Esquerda fecharam, acabaram com ela, para não poder prosseguir e se saber aquilo que, agora, lentamente, começamos a saber”, atirou Rio antes de uma reunião, à porta fechada, com militantes do partido do distrito de Évora.

Quanto à auditoria à CGD, Rio sustenta que “o problema essencial não é exactamente saber quem são os devedores”, mas sim “em que condições foram dados os créditos que levaram a estas perdas brutais”.

“Para aqueles montantes que nós conhecemos, não é possível que tudo aquilo tenha sido concedido segundo todas as regras e sem qualquer espécie de compadrio”, acrescenta.

A consultora EY afirmou-se, entretanto, apenas vinculada ao relatório final da auditoria que emitiu em Junho de 2018, frisando que documentos como a versão preliminar divulgada por Joana Amaral Dias “não devem ser considerados”, “por configurarem documentos de trabalho, terem áreas em aberto, estarem em actualização permanente, e por possuírem informação parcial, provisória, não verificada ou em validação“.

Na versão preliminar datada de Dezembro de 2017, a concessão de créditos mal fundamentada, a atribuição de bónus aos gestores com resultados negativos, a interferência do Estado e ineficiências na gestão de risco são os principais problemas apontados à CGD.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Há uma coisa instituida neste país ( e não só mas, o mal dos outros não resolve o meu) que sempre me meteu um certo asco e que sinto desde a escola priméria: Uns são filhos de Deus e outros são filhos da put@.

    Entre as máfias financeiras e políticas deste manhoso território, nunca ninguém é culpado de nada. A culpa morre sempre solteira, no crime de colarinho branco em Portugal. Na Alemanha há gente presa pelos negócios dos submarinos… Aqui o Portas e outros envolvidos, continuam a ser premiados com tachos.

    Bem fiz eu em bazar… Que cancro de mentalidade.

    • Lá vem outra vez o Portas à baila. Já se sabe há muito que quem aprovou o concurso de compra dos submarinos foi o PS no tempo do Guterres, que também escolheram os bancos e empresas de apoio ao negócio(tinha de ser o BES). O Portas só finalisou a compra.
      A Cecília Meireles já mandou a Ana Gomes(PS) procurar as “luvas” nas contas dos seus amigos do PS. A resposta foi aquele sorriso amarelo.
      Aproveite para ver https://www.youtube.com/watch?v=mU-Hx1tG0K0

    • Não há ninguém preso na Alemanha pelo negócio mafioso dos submarinos!
      Isso é um mito!
      Os artistas que foram condenados estão em liberdade e vivem “à grande e à francesa”!!
      E, não há condenados em Portugal, em parte por culpa da Alemanha que, para proteger os seus interesses e as suas empresas mafiosas, proibiu o acesso ao processo, impedindo assim que se tivesse mais informação sobre como funcionava a Ferrostaal – uma autêntica máfia que corrumpia tudo por onde passava, com prendas e subornos em quase todos os países onde fizeram negócios… uma autêntica associação criminosa e cujos ex-administradores são milionários e vivem como reis – não estão presos, antes pelo contrário!!
      .
      Mas, voltando a noticia, parece-me óbvio que o Rio e o Costa não tem qualquer responsabilidade; quem tem é claramente o Sócrates e o Passos!!

  2. e perguntam-me pq voto nulo!
    e pq acho que é tudo o mesmo.

    bem vindos à cleptocracia.

    mas acreditem que isto um dia vai estoirar e não vai ser nada bonito.

  3. Não há ninguém preso na Alemanha pelo negócio mafioso dos submarinos!
    Isso é um mito!
    Os artistas que foram condenados estão em liberdade e vivem “à grande e à francesa”!!
    E, não há condenados em Portugal, em parte por culpa da Alemanha que, para proteger os seus interesses e as suas empresas mafiosas, proibiu o acesso ao processo, impedindo assim que se tivesse mais informação sobre como funcionava a Ferrostaal – uma autêntica máfia que corrumpia tudo por onde passava, com prendas e subornos em quase todos os países onde fizeram negócios… uma autêntica associação criminosa e cujos ex-administradores são milionários e vivem como reis – não estão presos, antes pelo contrário!!
    .
    Mas, voltando a noticia, parece-me óbvio que o Rio e o Costa não tem qualquer responsabilidade; quem tem é claramente o Sócrates e o Passos!!

  4. Que novidade…
    E vamos ser tótós a votar em quem não defende os interesses de TODOS os portugueses?
    – ABSTENÇÃO ÀS LEGISLATIVAS!!

RESPONDER

Nadadores-salvadores devem privilegiar salvamento "sem entrar na água"

A Federação Portuguesa de Nadadores-Salvadores divulgou hoje alguns dos procedimentos que os vigilantes devem adotar na época balnear face à pandemia, como privilegiar o salvamento “sem entrar na água” ou abordar o náufrago pelas costas. “Ainda …

Confederação do Turismo propõe Lay-off simplificado, banco de horas e horário concentrado

A Confederação do Turismo de Portugal (CTP) propôs ao Governo 99 medidas para mitigar as consequências "gigantescas" que a pandemia está a ter no sector, apontando um cenário de "eclipse total e asfixia". Segundo noticiou esta …

Coreia do Norte ameaça romper acordo militar com Seul

A Coreia do Norte ameaçou hoje romper o acordo militar com a Coreia do Sul e fechar o gabinete de ligação transfronteiriça, se Seul não impedir que ativistas continuem a enviar panfletos através da fronteira. A …

Moratórias no crédito prolongadas até 31 de março de 2021

O Governo decidiu estender a moratória nos empréstimos dos bancos às famílias e empresas afetadas pela crise. As prestações e juros só voltarão a ser pagos depois de 31 de março de 2021, apurou o …

Santana Lopes deixou funções executivas no Aliança. Mas não "deserta"

O fundador do partido Aliança deixou, recentemente, as suas funções executivas por "motivos profissionais", mas promete "não desertar", "muito menos em alturas difíceis". No passado dia 15 de maio, Pedro Santana Lopes pediu a suspensão das …

Pela primeira vez em 30 anos, Hong Kong proíbe vigília em memória de Tiannamen

Pela primeira vez em 30 anos, tanto Hong Kong como Macau não vão ter vigílias em homenagem às vítimas do massacre de Tiananmen. A Polícia de Hong Kong proibiu a vigília em memória do massacre de …

Portugal com mais 8 mortos e 331 casos positivos em 24 horas

Portugal registou mais oito mortes e 331 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde. Esta quinta-feira, Portugal registou 1.455 mortes por …

IL rejeita Marcelo Rebelo de Sousa e aposta em Adolfo Mesquita Nunes

O Iniciativa Liberal (IL) não vai apoiar a eventual recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa. Para o partido, um dos nomes em cima da mesa para as Presidenciais é "fácil" e só depende da "vontade …

Comissão Europeia "otimista" na rápida retoma económica em Portugal

A Comissão Europeia diz estar "razoavelmente otimista" sobre uma "rápida recuperação" económica de Portugal após a crise gerada pela covid-19 e considera que a forma como o país "controlou" a pandemia beneficiará a retoma do …

Nova Zelândia decreta em junho erradicação de contágios. Está há 13 dias consecutivos sem novos casos

A Nova Zelândia, país que tem sido apontado internacionalmente como exemplar no combate à pandemia de covid-19, prevê decretar a “erradicação da doença” no país no próximo dia 15 de junho. A informação foi avançada esta …