António Costa afirma que PS parte para eleições com “o desassossego da vontade”

João Relvas / Lusa

O secretário-geral socialista afirmou hoje que o PS parte para as eleições legislativas não apenas para prestar contas, mas com o desassossego da vontade de fazer mais e melhor, tendo programa e equipa para o executar.

António Costa assumiu esta posição na sessão de apresentação dos cabeças de lista do PS às próximas eleições, que decorreu no Palácio Galveias, em Lisboa, após breves intervenções do professor universitário e deputado Alexandre Quintanilha, “número um” pelo círculo do Porto, e da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, que vai encabeçar a lista pela Guarda.

Num breve discurso, o líder socialista defendeu que o seu Governo cumpriu todos os compromissos a que se propôs nesta legislatura, mas não parte para as eleições legislativas “só para prestar contas do que foi feito”.

“Estamos aqui para fazer mais e para podermos fazer melhor. Ao fim destes quatro anos, acompanha-nos também o desassossego da vontade de fazer mais, de responder a novos desafios, que são desafios urgentes, como o desafio das alterações climáticas, o demográfico, das desigualdades e de adaptação às novas tecnologias da sociedade digital”, enumerou.

Para Costa, o PS pretende dar resposta aos objetivos de “dar força” à democracia portuguesa, “com contas certas, valorizando as funções de soberania e investindo cada vez mais na qualidade dos serviços públicos”.

“É com esta vontade e ambição que nós nos apresentamos de consciência e com a vontade desassossegada de fazermos ainda mais e melhor na próxima legislatura. Temos um programa e uma equipa para o executar. Podemos dizer que estamos prontos“, defendeu.

Na sua intervenção, António Costa deixou uma referência aos deputados que não se recandidatam na próxima legislatura, começando por destacar o líder parlamentar socialista, Carlos César.

“Carlos César optou por encerrar a sua atividade político-institucional, não figurando nas listas candidatas à Assembleia da República”, referiu, antes de mencionar o caso de Miranda Calha, que é deputado desde a Assembleia Constituinte de 1975.

Segundo o secretário-geral socialista, as listas de candidatos do PS são um misto de renovação, na ordem dos 56%, e de continuidade.

“No conjunto dos 22 cabeças de lista, 41% não o foram há quatro anos“, apontou António Costa, antes de salientar que o PS respeita a lei da paridade ao apresentar listas em que “um dos géneros tem um peso de 46%”.

No plano político, António Costa destacou a escolha do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, como cabeça de lista do PS pelo círculo fora da Europa, dizendo que se trata de “uma manifestação de confiança” do seu partido num círculo tradicionalmente “menos favorável” aos socialistas.

Na primeira intervenção da sessão, o cabeça de lista do PS pelo Porto, Alexandre Quintanilha, defendeu que o país “precisa de políticas baseadas no conhecimento“.

“Daí o papel fundamental da educação, da ciência e da inovação. São os motores da mudança”, realçou o investigador e professor universitário.

A seguir, numa intervenção com dois minutos, a cabeça de lista socialista pela Guarda, Ana Mendes Godinho, caracterizou esta legislatura como sendo de “quatro anos de mobilização pelos territórios e pelas pessoas”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

FIFA tem reserva de 1.400 milhões de euros e está a pensar em ajudar clubes por todo o mundo

"O futebol não é o mais importante" e "ninguém sabe quando voltará a ser o que era", face à pandemia de Covid-19, alertou o presidente da FIFA, Gianni Infantino. "Todos gostaríamos de ter o futebol de volta …

Este ano não há São João nem Santo António. Festas populares canceladas em Lisboa e Porto

As Câmaras Municipais de Lisboa e do Porto resolveram cancelar as festividades de Santo António e de são João, respectivamente, por causa da pandemia de Covid-19. As marchas populares só voltam no próximo ano, com …

Sem ajudas do Governo, "não sei se os grandes vão continuar a ser grandes"

"É complicado encontrar soluções", assume o presidente do Marítimo numa altura em que o futebol está parado por causa da pandemia de Covid-19. A situação é "aflitiva" para muitos clubes, diz Carlos Pereira que acredita …

Governo dá tolerância de ponto nos dias 9 e 13 de abril

O primeiro-ministro assinou um despacho a conceder tolerância de ponto nos próximos dias 9 e 13, no período da Páscoa, a todos os trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado. “É …

Depois do papel higiénico, vendas de snacks e bebidas alcoólicas disparam

A Associação Espanhola de Supermercados fez um estudo sobre as alterações de consumo desde que foi decretado o estado de emergência. A procura por papel higiénico disparou meados de março, mas os produtos mais procurados …

Bloco quer proibir banca de distribuir lucros (e pede ajuda ao PSD)

O Bloco de Esquerda quer proibir os bancos de distribuírem dividendos em 2020 e pede ajuda ao PSD para o conseguir. Em videoconferência, Mariana Mortágua lançou um desafio ao líder social-democrata. O Bloco de Esquerda anunciou …

Ordens duvidam dos números de infetados (e admitem fazer o seu próprio levantamento)

Segundo os números anunciados na quarta-feira, havia 1.124 profissionais de saúde e oito deles estavam internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). Mas estes números não convencem as Ordens. De acordo com o Observador, o bastonário …

Europa tem que ser o seu "próprio Plano Marshall". Centeno defende solução sem o "estigma" da austeridade

Mário Centeno continua a incentivar uma solução conjunta assente na ideia da solidariedade europeia perante "uma crise inesperada e sem precedentes" devido à pandemia de Covid-19. Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças de …

Há mais de 10 mil infetados em Portugal. DGS vai fazer testes de imunidade à população

O boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde deste sábado regista 10.524 casos de infeção por covid-19 em Portugal. Há mais 20 mortes, num total de 266 óbitos. Nas últimas 24 horas, até à meia-noite, foram registados …

Quase meio milhão de portugueses estão em lay-off. "Sistema é errado", diz Francisco Louçã

Uma semana depois de o Governo ter aberto a porta ao lay-off simplificado, mais de 22 mil empresas já recorreram a este novo regime. Atualmente, há 425.287 trabalhadores nessa situação. Francisco Louçã considera este sistema …