//

Coronavírus MERS poderá ter chegado à Eslováquia

sarihuella / Flickr

-

Um cidadão sul-coreano foi este sábado internado de urgência em Bratislava, na Eslováquia, por suspeita de infeção pelo coronavirus MERS, indicou o hospital universitário da capital eslovaca.

“É um nacional da Coreia do Sul com 38 anos. Sofre de diarreia, febre e lesões na pele”, declarou a porta-voz do hospital, Petra Stano Matasovska, precisando que os resultados da análise ao sangue do doente serão conhecidos no domingo à noite.

Catorze mortes devidas ao coronavirus MERS, contra o qual não existe qualquer tratamento, foram recentemente registadas na Coreia do Sul.

Segundo a imprensa eslovaca, o homem é empregado de uma empresa subcontratada pela marca automóvel sul-coreana KIA, sediada em Zilina, no norte do país, e chegou do seu país a 03 de junho.

“Por enquanto, trata-se apenas de uma suspeita. As amostras de sangue do doente serão enviadas ainda esta noite para um laboratório especializado em Praga”, indicou também Matasovska, citada pela agência de notícias francesa AFP.

Por sua vez, o porta-voz do ministério da Saúde eslovaco, Peter Bubla, confirmou que os resultados da análise serão conhecidos “nas próximas 24 horas”.

“O doente foi transportado para o hospital universitário numa ambulância acompanhada pela polícia. Encontra-se neste momento instalado numa unidade especial, isolada dos outros doentes”, indicou ainda a porta-voz do hospital de Bratislava

Medidas de precaução foram tomadas no hospital de Zilina, onde o homem foi inicialmente internado, segundo o chefe dos serviços de saúde da região de Zilina, Martin Kapasny.

Na Coreia do Sul, no total, 138 pessoas foram infetadas por este vírus desde o primeiro diagnóstico feito a 20 de maio num homem regressado da Arábia Saudita e de outros países do Golfo Pérsico.

Não existe vacina ou tratamento para este vírus, cuja taxa de mortalidade é de cerca de 35%, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.

Na Arábia Saudita, mais de 950 pessoas foram infetadas desde 2012 e 412 morreram.

/Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE