/

Arqueólogos egípcios encontram cópia de capítulo do “Livro dos Mortos”

(dr) Egyptian Antiquities Ministry

Arqueólogos egípcios encontraram, em Sacara, uma cópia do Capítulo 17 do “Livro dos Mortos” numa zona de túmulos próximos da pirâmide do faraó Teti.

De acordo com o site Live Science, que cita um comunicado do Ministério das Antiguidades egípcio, foi descoberto, em Sacara, um templo funerário pertencente à rainha Nearit, próximo à pirâmide do seu marido, o faraó Teti.

Perto da mesma pirâmide, os arqueólogos também encontraram uma série de túmulos que continham restos mortais de pessoas que viveram durante as dinastias XVIII e XIX do Egipto (1550 A.C – 1186 A.C). Estes fariam parte de um culto de adoração a Teti que surgiu depois da sua morte. Até agora, a equipa já descobriu mais de 50 caixões.

Um dos objetos mais incríveis encontrados nesta área é um papiro, com quatro metros de comprimento, que contém o Capítulo 17 do “Livro dos Mortos”, um manuscrito que os antigos Egípcios usavam para ajudar a guiar os falecidos na vida após a morte.

Embora os cientistas ainda estejam a analisar o texto, sabe-se que outras cópias do mesmo capítulo contêm uma série de perguntas e respostas sobre a vida após a morte. Resta saber se esta cópia, cujo dono se chamava Pwkhaef, tem o mesmo formato.

Segundo o mesmo site, a equipa também descobriu uma estela funerária que pertencia a um homem chamado Khaptah, identificado como o supervisor da carruagem militar do faraó, e à sua esposa, Mwtemwia.

Os arqueólogos não sabem, no entanto, qual foi o faraó que este homem serviu. É possível que tenha sido Ramsés II (que reinou de 1279 A.C. a 1213 A.C.), conhecido pelas suas campanhas militares que expandiram o Império Egípcio até à Síria.

Outras descobertas incluem, por exemplo, um machado de bronze, jogos de tabuleiro, estátuas de Osíris e várias múmias, incluindo a de uma mulher que parece ter sofrido de febre familiar do Mediterrâneo, uma doença genética que causa febre recorrente e inflamação do abdómen, articulações e pulmões.

Um santuário dedicado a Anúbis, o deus do cemitério, também foi encontrado perto dos túmulos, assim como estátuas desta divindade, acrescenta-se no mesmo comunicado.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.