Cônsul alemão no Rio de Janeiro detido por suspeita de matar o marido

(dr)

Walter Biot (esq), com Uwe Herbert Hahn, cônsul da Alemanha no Rio de Janeiro

A polícia brasileira anunciou este domingo a detenção do cônsul da Alemanha no Rio de Janeiro, Uwe Herbert Hahn, suspeito de ter assassinado o marido belga, na sua casa, no bairro carioca de Ipanema.

O cônsul da Alemanha no Rio de Janeiro, Uwe Herbert Hahn, foi detido na noite deste sábado por suspeita de ter matado o marido, o belga Walter Biot, de 52 anos.

Segundo a Agência France-Presse, Uwe Herbert Hahn disse às autoridades que o marido, desmaiou repentinamente na noite de sexta-feira, batendo com a cabeça, o que lhe teria provocado a morte.

Contudo, de acordo com as primeiras análises ao corpo, feitas no apartamento do casal no bairro nobre de Ipanema, a vítima terá sido espancada com violência.

“A versão dos factos dada pelo cônsul, segundo a qual a vítima caiu, é incompatível com as conclusões dos peritos”, avançou a agente Camila Lourenço, numa publicação nas redes sociais da polícia local.

“A perícia técnica contraria a versão apresentada pelo cônsul de que a vítima se exasperou e caiu”, adiantou a responsável policial em declarações à imprensa brasileira. “O cadáver grita as circunstâncias da sua morte“.

De acordo com as autoridades, “foram observados vários hematomas, inclusivamente no tronco, correspondentes a lesões infligidas por atropelamento, bem como lesões correspondentes a um ataque com objeto cilíndrico”.

Na conta do Instagram da polícia local foram publicadas fotografias do que parecem ser manchas de sangue no chão e nos móveis do apartamento do casal.

De acordo com os meios de comunicação social locais, o cônsul alemão tentou limpar a cena do crime antes de a polícia chegar. Segundo a Polícia Civil, o apartamento terá sido limpo por uma secretária do cônsul, que alegou ter feito o serviço porque um cão do casal estaria a lamber poças de sangue.

Uwe Herbert Hahn disse ainda à polícia que o marido abusava de bebidas alcoólicas e tomava comprimidos para dormir. Walter Biot estava a uma semana de completar 53 anos, de acordo com uma fotografia do seu bilhete de identidade, publicada pela imprensa brasileira.

A Embaixada da Alemanha em Brasília não respondeu, até ao momento, aos pedidos de informação da AFP.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.