Austrália impõe confinamento obrigatório de quatro semanas em 10 zonas de Melbourne

Daniel Pockett / EPA

As autoridades australianas anunciaram esta terça-feira que vão impor um confinamento obrigatório de quatro semanas aos moradores de dez áreas da cidade de Melbourne após o aumento exponencial de casos de covid-19.

A ordem de confinamento obrigatório entrará em vigor na noite de quarta-feira às 23h59, horário local (14h59 em Lisboa), e permanecerá em vigor até 29 de julho, explicou o chefe do governo do estado de Victoria, Daniel Andrews, numa conferência de imprensa.

Andrews também anunciou uma investigação judicial sobre ao confinamento realizado em hotéis de Melbourne para pessoas vindas do estrangeiro entre o final de maio e o início de junho, pois suspeita-se que o novo surto esteja relacionado a violações das diretrizes para controlar a covid-19.

Andrews explicou ainda que “um número significativo” de casos no norte de Melbourne foi atribuído, via sequenciamento genómico, a funcionários de hotéis nos quais os protocolos de quarentena e controlo de infeção foram violados.

O governo de Victoria também pedirá ao primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, que os voos internacionais não aterrem em Melbourne nas próximas duas semanas, para reduzir o número de pessoas alojadas em hotéis de confinamento obrigatório, embora os voos domésticos devam ser mantidos.

As autoridades do mesmo Estado, que impuseram as restrições mais estritas do país no início da pandemia, realizaram cerca de 93.000 testes para detetar o novo coronavírus entre seus habitantes nos últimos cinco dias, quando redobrou o seu plano de deteção da covid-19, que inclui visitas de casa em casa.

O governo de Victoria, que solicitou reforços do executivo central e de outros estados para lidar com a crise, notificou 71 novos casos desde segunda-feira, grande parte deles ligada ao surto, elevando o número total de infeções desde o início da pandemia a 2.099.

A Austrália, que conseguiu controlar a covid-19 – doença causada pelo novo coronavírus – e retomou grande parte das suas atividades económicas, registou mais de 7.760 casos desde o início do ano, incluindo 104 mortes, e ainda mais de 7.000 pessoas se recuperaram.

Atualmente, com exceção de Melbourne, a maioria dos casos novos da covid-19 corresponde às poucas pessoas que vêm do estrangeiro, já que o país mantém as suas fronteiras encerradas.

Também nesta terça-feira, a primeira-ministra da Nova Zelândia recusa abrir as fronteiras do país e considera “perigoso” os pedidos feitos nesse sentido, escreve o Expresso. Aos que a criticam, Jacinda Ardern lembra que o país permanece livre de covid-19 enquanto o vírus se espalha no exterior, considerando que ainda não é altura de abrir o país ao exterior.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Guerra aberta pelo ouro da Venezuela em Inglaterra. Maduro ordena investigação ao "roubo"

Nicolás Maduro, Presidente da Venezuela, ordenou uma "investigação penal" ao que denomina "o roubo de ouro venezuelano" que está depositado no Banco Central de Inglaterra. Esta é a resposta do governante depois de o Tribunal …

Hospitais da Papua-Nova Guiné recusam atender grávidas. Médico aconselha mulheres a evitar gravidez

Um obstetra da Papua-Nova Guiné aconselhou as mulheres daquele país a não engravidarem nos próximos dois anos, revelando que o medo de transmissão do coronavírus tem levado os hospitais a recusarem atender grávidas. Segundo noticiou esta …

China vai encerrar gradualmente todos os mercados de aves vivas

A China vai fechar gradualmente todos os mercados onde aves vivas são vendidas, visando reduzir os riscos para a saúde pública, informou hoje a imprensa oficial. Chen Xu, alto funcionário da Administração Estatal de Regulação do …

Em 33 anos, Amazónia perdeu 72,4 milhões de hectares de floresta. O equivalente ao território do Chile

A floresta amazónica, presente em nove países da América do Sul, perdeu 72,4 milhões de hectares de cobertura vegetal entre 1985 e 2018, uma área equivalente ao território do Chile, segundo dados divulgados na quinta-feira …

Decisão do Reino Unido é "absurda", "errada" e "desapontante"

O chefe da diplomacia portuguesa considerou hoje a decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos “corredores de viagem internacionais” como um “absurdo”, “errada” e que causa “muito desapontamento”, trazendo ainda graves consequências económicas e …

"Peixe racista". Estátua da Pequena Sereia novamente vandalizada

A icónica estátua da "Pequena Sereia" em Copenhaga, um dos monumentos mais famosos da Dinamarca, foi novamente vandalizada, ao ter sido pintada com uma frase antirracismo, divulgou hoje a polícia dinamarquesa. “A Pequena Sereia foi vandalizada …

Itália admite segunda vaga e defende restrições a viagens

Itália abriu esta terça-feira fronteiras aos viajantes de países que não integram o espaço europeu de livre circulação Schengen, mas com restrições. O ministro da Saúde de Itália afirmou, esta quinta-feira, não poder afastar uma segunda …

Menos férias e mais dias de aulas para quem não tem exames no próximo ano letivo

O próximo ano letivo vai ter menos dias de férias e mais dias de aulas para os alunos que não tenham exames. Os alunos terão aulas presenciais e aulas à distância. O ministro da Educação, Tiago …

FC Porto revela camisola para a próxima época (e as opiniões dividem-se)

O FC Porto revelou a camisola oficial do clube para a próxima temporada. Pelas redes sociais, as opiniões dividem-se, havendo quem não esteja satisfeito com a mudança. Os adeptos portistas acordaram esta sexta-feira com a imagem …

Veto da Índia ao TikTok pode custar mais de 5 mil milhões de euros à ByteDance

O executivo indiano anunciou o bloqueio de 59 aplicações móveis chinesas, assegurando que as aplicações roubam dados dos utilizadores e partilham informações com o governo chinês. O grupo chinês de tecnologia ByteDance, que desenvolveu o TikTok, …