Há 1500 anos, um homem comeu uma cascavel inteira (e já sabemos porquê)

Uma equipa de investigadores conseguiu descobrir a refeição completa de um homem que vivia no sudoeste do Texas, nos Estados Unidos, há 1500 anos: uma cascavel inteira.

Recontar a história de populações humanas é uma tarefa árdua, mas num sítio arqueológico qualquer objeto ou artefacto que chame a atenção é uma peça-chave para a reconstrução de práticas alimentares, rituais ou características físicas dos povos antigos.

Aliás, uma das áreas que melhor comprova a importância desta exploração minuciosa dos sítios arqueológicos é o estudo dos coprólitos – o nome científico para material fecal humano fossilizado. Os cientistas festejam quando encontram este tipo de amostras, uma vez que fornecem informações valiosas sobre práticas alimentares, doenças e dietas.

No final da década de 1960, arqueólogos norte-americanos recolheram mais de mil amostras de coprólitos num sítio arqueológico pré-colombiano chamado Conejo Shelter, no sudoeste do Texas – mas nem todos os exemplares mereceram uma análise aprofundada, sendo que foram deixadas várias descobertas para cientistas posteriores.

Agora, uma equipa de cientistas liderada pela antropóloga Elanor Sonderman, da Texas A&M University, decidiu dar atenção a estas amostras, revelando o seu segredo até hoje escondido: num dos coprólitos havia registos de ossos, escamas e a presa inteira de uma cobra venenosa da família Viperidae.

No artigo científico, recentemente publicado no Journal of Archaeological Science: Reports, os cientistas escrevem que estes restos são “a primeira evidência arqueológica direta do consumo de cobras venenosas“, e pode representar rituais dos povos locais.

A datação por radiocarbono de um dos coprólitos revelou o seu surgimento no local entre 1460 e 1528 atrás. Nesta época, a região era ocupada por um grupo de caçadores-coletores conhecido como Puebloans Ancestrais ou Anasazi, verdadeiros entendidos em tecelagem, irrigação e produção cerâmica.

Estes povos viviam nas regiões do Utah, Arizona, Novo México e Colorado, nos Estados Unidos, e prosperaram durante cerca de 4000 anos, tendo sido substituídos pelos povos Zuni e os Hopi.

Na mesma amostra, foram também encontradas evidências de consumo de plantas medicinais da família Liliaceae e restos de um pequeno roedor que teria sido consumido integralmente, sem indícios de cozimento ou preparo.

O consumo integral de pequenos animais já era prática conhecida nesta cultura. No entanto, a ingestão de uma cobra venenosa – que provavelmente levou o consumidor à morte – foi um ato excecional, feito provavelmente por razões cerimoniais, e não somente por razões nutricionais.

Os cientistas acreditam que se tratou de um ritual. Segundo o Futurity, as secas eram comuns e as cobras – especialmente cascavéis – eram vistas como “demónios da seca” e tinham de ser mortas para, assim, a água ser libertada e pôr fim ao período de seca.

A verdade é que este povo precisava de lidar com as condições adversas dos desertos, encontrando no consumo de roedores, peixes e répteis uma boa solução nutricional. Já a vegetação local era usada no fabrico de sandálias e cestas. Outra característica peculiar dos Anasazi é a sua elaborada e extensa arte rupestre, onde se encontra muito frequentemente referências a cobras venenosas.

ZAP //

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Ou então era alguém com problemas mentais, penso eu de que. Certamente, mesmo nessa época, sabiam que o veneno não desaparece depois da cobra morrer.

  2. Bom dia, ZAP.
    “…a água ser libertada e pôr fim ao período sexo.”
    Sem dúvida, comer a serpente inteira (viva?) deve ter-lhe causado o fim ao período de sexo.
    E do resto, aliás.
    🙂
    Bom, seriamente, alterar para seco, por favor

  3. Não acredito nessa história.
    Se realmente a cobra foi encontrada inteira dentro do homem, talvez ela o tenha o matador por esses lugares serem frios, ela resolveu entrar dentro do homem pela e morreu por não conseguir sair. Engolir uma cobra viva e sobreviver, não é possível.

  4. E já agora o veneno das cascaveis e creio que da maioria (ou todas) das cobras não faz mal nenhum de for ingerido, só é fatal se for introduzido na corrente sanguinea ou seja através da mordedura.
    Para além disso “lidar com as condições adversas dos desertos, encontrando no consumo de roedores, peixes e répteis uma boa solução nutricional”
    não sabia que havia assim tantos peixes nos desertos para serem uma boa solução nutricional.
    Mas que noticia tão esquisita

  5. Tenho certeza que se ele tivesse feito um trato e se por acaso estivesse com muita fome e se por acaso um deles estivessem lendo esse comentário, perceberá que o mesmo não tem nada a ver com a postagem.

  6. Pode ser que uma lombriga tenha sofrido uma mutação genética e se transformado e uma cascavel que o devorou de fora para dentro.

RESPONDER

Libertadores. Jesus veta acesso de funcionários do Flamengo ao derradeiro treino

Escreve a imprensa brasileira que Jorge Jesus vetou o acesso de funcionários do Flamengo ao derradeiro treino que antecede o jogo com o Grémio para a Libertadores, que vai decidir um dos finalistas da competição. …

Caso do bebé sem rosto. Médico suspenso não viu que menina tinha duas vaginas, um rim e espinha bífida

O Conselho Disciplinar do Sul da Ordem dos Médicos suspendeu preventivamente o obstetra envolvido no caso do bebé que nasceu, em Setúbal, com malformações graves. Entretanto, surgem novos dados sobre suspeitas atribuídas ao médico noutros …

Rede de imigração ilegal no SEF. Denúncias de corrupção eram antigas, mas ficaram na gaveta

A inspectora do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que foi detida nesta semana, por pertencer alegadamente a uma rede de imigração ilegal, já tinha sido identificada num inquérito interno desta entidade, devido às mesmas …

Bancos querem passar a cobrar por grandes depósitos. Particulares escapam

BCP, Novo Banco e Caixa Geral de Depósitos defendem que é preciso cobrar aos grandes clientes por depósitos de grande dimensão. Particulares e pequenas e médias empresas escapariam desta medida. A ideia foi lançada pelo …

Filho de Bolsonaro já não vai ser embaixador em Washington

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente do Brasil, anunciou na terça-feira, na Câmara dos Deputados, que desistiu da sua indicação para embaixador do país em Washington, nos Estados Unidos (EUA). Na véspera, Jair Bolsonaro, que …

OE2020. Catarina Martins critica chantagem da Comissão Europeia a cada ano

A coordenadora do Bloco de Esquerda criticou esta terça-feira a chantagem da Comissão Europeia em relação a Portugal repetida a cada legislatura e a cada ano, reiterando a disponibilidade "para negociar um Orçamento do Estado …

Maior parte das escolas não cumprem lei de 2009 sobre a educação sexual

Grande parte das escolas não está a cumprir a lei de 2009 que define como deve ser dada a educação sexual no ensino obrigatório, do 1.º ao 12.º ano de escolaridade. A conclusão surge num relatório …

Pouco poder, mas algum. Deputados únicos podem desencadear revisão da Constituição

Os deputados únicos não têm poder para pedir a votação do programa de Governo, ao contrário dos grupos parlamentares, nem podem sozinhos censurar o Executivo, mas podem desencadear, como qualquer parlamentar, um processo de revisão …

Funcionários públicos esperam entre 100 e 280 dias para se poderem reformar. Processo pode ser acompanhado online

A atribuição das novas pensões de reforma aos funcionários públicos está a demorar, em média, entre 100 a 280 dias - ou seja, entre três e mais de nove meses. A revelação foi feita esta terça-feira, …

"Onde está o Varandas?". Claques não faltaram à vitória do Sporting em hóquei em patins

Apesar das quebras de protocolos, Juventude Leonina e Diretivo Ultras XXI marcaram presença no jogo desta terça-feira de hóquei em patins entre o Sporting e a Oliveirense. Na noite desta terça-feira, o Pavilhão João Rocha foi …