Cientistas revertem casos de Diabetes tipo 2

Num novo estudo, cientistas bloquearam a proteína VDAC1 nas células que produzem insulina e conseguiram reverter casos de Diabetes tipo 2. Os investigadores também conseguiram mostrar que é possível prevenir o surgimento da doença.

O estudo, publicado a 4 de outubro na revista Cell Metabolism, foi conduzido por investigadores da Universidade de Lund, na Suécia, que acreditam que a substância que inibe a produção da proteína VDAC1 pode ajudar no desenvolvimento de um novo tratamento para a diabetes tipo 2.

“O objetivo é conseguir administrar a substância para pessoas recém-diagnosticadas com diabetes 2 para permitir que as células que produzem insulina voltem a exercer a sua função ou, ainda melhor, usá-la com pré-diabéticos para prevenir o início da diabetes”, explicou Albert Salehi, professor e investigador principal.

Sobre o estudo, Salehi diz ainda que é preciso “mais estudos para demonstrar como o bloqueio da VDAC1 afeta os tecidos dos rins, coração, músculos e gordura” pois este estudo “é pequeno e baseado em doações celulares de seis pessoas que faleceram e que tinham diabetes tipo 2, além de experiências limitadas a modelos animais”.

Apesar de ser um estudo pequeno, os resultados têm sido promissores e a equipa de investigadores já patenteou o uso da substância no campo da diabetes.

Funcionamento

Antes de desenvolver diabetes tipo 2, os pré-diabéticos podem ter altos níveis de açúcar no sangue. O alto nível de açúcar no sangue inicia um processo que causa danos no corpo – o aumento da produção da proteína VDAC1 liberta a energia proveniente das mitocôndrias – células responsáveis pelo fornecimento de energia (ATP) – para outras partes das células.

Com níveis altos de açúcar, a quantidade dessa proteína aumenta, e fixa-se nas paredes das células. Como consequência, a energia ATP liberta-se da célula, resultando na morte da célula por falta de energia.

Este comportamento dificulta o controlo do açúcar no sangue, acabando por causar complicações em órgãos como o coração, rins e olhos.

Na investigação, ao bloquearem a proteína VDAC1 das células dos órgãos doados, o fornecimento de energia foi restaurado e a produção de insulina foi normalizada.

Após esses resultados, a experiência foi repetida em ratos com propensão para o desenvolvimento de diabetes que resultou na remissão da doença e na correta produção de insulina durante cinco semanas, momento em que o tratamento foi interrompido e onde se registou o aumento dos níveis de glicose.

Ligação ao Alzheimer

Segundo o MedicalXpress, há conexões entre diabetes tipo 2, a demência e a doença de Alzheimer. Os autores do estudo afirmam que há uma ligação entre a proteína VDAC1 e a doença de Alzheimer – elevados níveis de VDAC1 são encontrados em células cerebrais nas partes do cérebro afetadas durante a fase inicial da doença.

“Acreditamos que a substância pode ter um bom efeito também nestes pacientes, impedindo que as células cerebrais morram e melhorando as habilidades cognitivas dos pacientes”, disse Salehi.

PARTILHAR

RESPONDER

Parar de comer quando se está cheio nem sempre é fácil (e há uma razão para isso)

Com alguns alimentos, parar de comer — mesmo quando se está cheio — nem sempre é fácil. Isto porque algumas destas comidas podem ter sido feitas de forma a que tal aconteça. Nenhum alimento é criado …

Há milhares de misteriosos buracos no fundo do mar da Califórnia

Surgiu um novo mistério perto da costa de Big Sur, na Califórnia, no fundo do Oceano Pacífico: há milhares de pequenos fragmentos redondos retirados dos sedimentos do fundo do mar.   A descoberta foi feita como parte …

NASA apresenta "mapa do tesouro" para encontrar água em Marte

Uma equipa de cientistas da NASA elaborou um mapa da água congelada que existe em Marte e que se acredita estar a apenas 2,5 centímetros abaixo da superfície do Planeta Vermelho - isto é, à …

Já se sabe como é que planetas florescem a partir de pequenos pedaços de poeira

Uma equipa de investigadores validou uma teoria que pode explicar como é que os planetas crescem a partir de pequenos pedaços de poeira interestelar. O crescimento de um pequeno pedaço de poeira até um planeta inteiro …

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …