Cientistas criaram uma “Internet” que vive dentro do nosso corpo

Numa era marcada por problemas de cibersegurança, com os piratas informáticos a encontrarem técnicas de ataque cada vez mais sofisticadas, uma equipa de cientistas conseguiu criar uma solução para manter dispositivos médicos implantáveis, como bombas de insulina e pacemakers, protegidos de hackers.

Ataques informáticos a dispositivos médicos, feitos através de ligações wireless, podem permitir a hackers aceder a sinais vitais de pacientes ou abrir a porta a eventuais acções prejudiciais para a saúde das pessoas visadas.

Este cenário assustador não terá ainda ocorrido, mas é plausível, como explica o professor Shreyas Sen, especializado em sistemas de comunicação e de detecção e um dos investigadores da Universidade Purdue, nos EUA, que se dedicou à pesquisa de alternativas para tornar os dispositivos médicos wearable mais seguros.

“Estamos a ligar cada vez mais e mais dispositivos à rede do corpo humano, desde relógios inteligentes e rastreadores de fitness até monitores de realidade virtual montados na cabeça”, constata Shreyas Sen num comunicado da Universidade sobre a investigação que foi publicada no jornal Scientific Reports.

“O desafio tem sido não apenas manter esta comunicação dentro do corpo para que ninguém a possa interceptar, mas também obter maior largura de banda e menor consumo de bateria”, constata ainda Sen.

Foi a partir desta problemática que engenheiros informáticos da Universidade Purdue, com Sen na equipa, se dedicaram a procurar uma forma de tornar mais seguros os aparelhos médicos que combinam tecnologias wearable e Bluetooth com uma rede de área corporal (habitualmente referida como BAN, a sigla de body area network).

“Os fluidos corporais transportam sinais eléctricos bastante bem. Até agora, a chamada “rede de área corporal” tem usado tecnologia Bluetooth, enviando sinais para e em redor do corpo”, constata Sen, frisando, contudo, que “estas ondas electromagnéticas podem ser apanhadas dentro de, pelo menos, um raio de 10 metros de uma pessoa“. Isto deixa campo aberto para a entrada em jogo de hackers habilidosos.

Para contrariar essa possibilidade, os investigadores desenvolveram um dispositivo que conecta sinais na “faixa electro-quase-estática, que é muito menor no espectro electromagnético”, como apontam.

Com recurso a um protótipo de relógio inteligente, conseguiram transmitir comandos através de uma BAN limitada – uma pessoa pode receber um sinal de qualquer parte do corpo, com o dispositivo a manter essa comunicação dentro do corpo de forma a que não seja acessível a piratas informáticos.

Desta forma, os sinais de comunicação criados não saltaram sequer um centímetro para lá da pele, o que os torna inalcançáveis para hackers.

“Mostramos, pela primeira vez, uma compreensão física das propriedades de segurança da comunicação do corpo humano para permitir uma rede secreta de área corporal, para que ninguém possa bisbilhotar informações importantes”, constata Sen.

Além disso, este tipo de comunicação utiliza 100 vezes menos energia do que as comunicações Bluetooth tradicionais.

Os cientistas estão agora a trabalhar com o Governo norte-americano e com a indústria para incorporar este aparelho num circuito integrado do tamanho de um grão de areia.

Além da protecção contra piratas informáticos, a tecnologia pode vir a ser usada na reprogramação de aparelhos médicos sem a necessidade de realizar cirurgias invasivas.

Pode também despoletar uma era que Sen denomina como “medicina bio-electrónica em circuito fechado”, com os aparelhos médicos implantáveis a funcionarem como medicamentos, mas sem os efeitos secundários.

O professor admite ainda que o dispositivo pode promover o uso de imagiologia cerebral de alta velocidade para aplicações em neurociência.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Musk quer bombardear Marte. Pode ser só um "pretexto" para enviar armas nucleares para o Espaço

O plano de Elon Musk de bombardear Marte é apenas um pretexto para o lançamento de armas nucleares para o Espaço, disse o diretor da agência espacial russa Roscosmos, Dmitry Rogozin. Bombardear Marte para tornar o …

Quase 20 mil toneladas de combustível derramadas em rio na Rússia

https://cache-igi.cdnvideo.ru/igi/video/2020/6/2/%D0%BD%D0%BE%D1%80%D0%B8%D0%BB%D1%8C%D1%81%D0%BA.mp4 Quase 20 mil toneladas de combustível foram acidentalmente derramadas num rio no extremo norte da Rússia, levando as autoridades a declarar uma situação de "emergência" e levantando preocupações entre ambientalistas e residentes. Em comunicado, a associação …

Mais verde e mais barato. Suécia segue a Alemanha e instala a primeira turbina eólica de madeira

A Suécia instalou uma nova e interessante turbina eólica: uma torre construída em madeira. A Alemanha também já tem esta nova tecnologia. Construída a partir de materiais de fontes sustentáveis e que oferecem desempenho comparável às …

Já não mostra só as filas do supermercado. App "Posso ir?" também diz se pode ir à praia

A aplicação móvel que permite aos utilizadores consultar as filas e as afluências aos supermercados também mostra como está a praia. Agora, a aplicação "Posso ir?" vai também dizer-lhe se é ou não prudente ir dar …

Discurso xenófobo. Na Áustria, "a islamofobia tornou-se uma forma dominante de racismo"

A Áustria regista um aumento preocupante do discurso xenofóbico, em particular em relação aos muçulmanos e refugiados, alerta um relatório do Conselho da Europa. A Comissão do Conselho da Europa contra o Racismo e a Intolerância …

Um em cada quatro russos acredita que a pandemia é uma invenção

Um em cada quatro russos acredita que a pandemia de coronavírus é uma invenção, de acordo com uma pesquisa realizada pela Escola Superior de Economia de Moscou (HSE). Segundo avançou o site de notícias RBC, citado …

"Botellón" está de volta a Lisboa. Ajuntamentos sem controle podem estar a espalhar o vírus

Há cada vez mais ajuntamentos de jovens em Lisboa, nomeadamente nos bairros típicos, mas também em locais como bombas de gasolina, para o convívio e o consumo de álcool. Um tipo de comportamento que está …

Trump negou ter-se abrigado num bunker da Casa Branca por causa dos protestos

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, negou esta quarta-feira ter sido escoltado para um 'bunker' na Casa Branca, devido aos protestos pela morte de George Floyd, alegando ter ido lá apenas para inspecionar …

Itália. Manifestantes desviam as máscaras e protestam contra medidas para conter pandemia

Centenas de manifestantes se reuniram em Roma, desviando as suas máscaras dos rostos, para protestar contra as medidas do Governo italiano para impedir a propagação do coronavírus. Segundo avançou na terça-feira a Time, os manifestantes, que …

Brasil pagou anúncios em sites investigados por publicar notícias falsas, avança O Globo

O Governo brasileiro publicou milhões de anúncios oficiais em sites investigados por divulgar notícias falsas, avança o jornal O Globo. O Governo do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, publicou milhões de anúncios oficiais em sites investigados por …