Cientistas encontraram genes zombie

Uma equipa de investigadores norte-americanos descobriu um tipo de “genes zombie” que revivem alguns dias depois da morte do organismo.

Duas pesquisas publicadas esta semana identificaram que algumas partes do corpo humano continuam a funcionar depois da morte.

Esta situação é provocada por genes “zombie” que, apesar de não poderem devolver a vida, podem ter implicações sérias na investigação forense e nas doações de órgãos.

O primeiro estudo, liderado por Peter Noble, da Universidade de Washington, identificou que determinados genes continuam ativos por mais de 12 horas após a morte.

Por isso, a equipa pesquisou a atividade desses mesmos genes em células de ratos e peixes-zebra mortos.

Ao contrário do que seria previsto, em vez de encontrarem genes que levavam mais tempo para se “desligar”, os cientistas perceberam, na verdade, que estes aumentavam as suas atividades.

Nos ratos, 515 genes registaram atividades totais até 24 horas depois da morte, enquanto que, nos peixes-zebra, 548 genes mantiveram-se funcionais por quatro dias.

Destaque para o facto de estes genes “zombie” não serem os mais comuns, isto é, eram sim genes normalmente acionados em emergências como, por exemplo, em casos de inflamações, ativação do sistema imunológico, stress de reação e até genes ativados para formar um embrião.

No entanto, não foram só detectados genes benéficos mas também genes que promovem o crescimento de células cancerosas nos animais.

Apesar de não serem potentes o suficiente para reanimar um cadáver, os genes pós-morte podem ter um grande impacto nos transplantes de órgãos.

Estudos apontam que pessoas transplantadas têm maiores probabilidades de desenvolver 32 tipos de cancro, incluindo linfoma, cancro do rim ou do fígado.

“Enquanto que os transplantes salvam vidas, também aumentam o risco de cancro nos recipientes em parte devido às medicações que controlam o sistema imunológico a fim de evitar rejeição”, explica Eric A. Engels, do Instituto Nacional do Cancro dos EUA.

Os imunossupressores podem explicar parcialmente o índice de cancro nesses pacientes, mas os genes pós-morte nos órgãos transplantados também podem ter uma relação com estes dados.

 ZAP / Canal Tech

PARTILHAR

RESPONDER

ADN num cachimbo com 200 anos revela detalhes da vida de uma escrava

Um grupo de arqueólogos e geneticistas dos Estados Unidos mostrou que um fragmento partido de um cachimbo encontrado numa plantação de tabaco pode ser um testemunho substancial da história e da antropologia do século XIX. O …

Professora que revelou o que ia sair no exame de Português vai ser demitida

A professora, que foi presidente da Associação de Professores de Português, que em 2017 divulgou o conteúdo do exame de Português foi demitida pelo Ministério da Educação. Edviges Ferreira foi considerada culpada por ter partilhado o …

Asteróide passa esta sexta-feira entre a Terra e a Lua

Um asteróide de grandes dimensões, recentemente descoberto, voará esta semana a uma distância relativamente próxima da Terra, avança o o Centro de Estudos de Objetos Próximo da Terra da agência espacial norte-americana. O asteróide, designado como …

A Física diz que nunca tocamos realmente num objeto

Se está, neste momento, com o telemóvel na mão ou a tocar no seu computador para conseguir ler esta notícia, desengane-se: segundo a Física, não está a tocar em nada. Tudo o que conseguimos ver, tocar …

Se os buracos negros o confundem, prepare-se para os buracos brancos

Os buracos negros podem ser o mistério mais atraente do Universo, mas não são o único tipo de "buraco" no Espaço. Os buracos negros atraem a atenção de muitos amantes de astronomia por serem tão misteriosos. …

MySpace perdeu 12 anos de músicas, fotografias e vídeos

A rede social MySpace anunciou que perdeu todas as músicas, fotografias e vídeos com mais de três anos. A perda de conteúdo deveu-se a uma falha na migração de servidor. O MySpace, outrora uma das maiores …

Pela primeira vez uma mulher vence o prémio Abel, o "Nobel" da matemática

A matemática pioneira Karen Uhlenbeck, antiga professora da Universidade do Texas, em Austin (Estados Unidos), recebeu o Prémio Abel de 2019, tornando-se a primeira mulher a receber a distinção, uma das mais ilustres na área. A …

Após 65 anos, diário revela romance entre rei belga e a madrasta

O rei Balduíno da Bélgica terá mantido uma relação secreta com a madrasta, a princesa Lilian, segunda esposa do seu pai, Leopoldo III. A revelação foi feita 65 anos depois, através dos diários do ex-primeiro-ministro …

Estudo revela que consumo diário de canábis aumenta risco de psicose

O consumo diário de canábis, sobretudo de elevada potência, está fortemente ligado ao risco de desenvolver uma psicose, conclui um estudo, que analisou pessoas em 11 locais da Europa e um no Brasil. Vários estudos observacionais …

Uma bebé nasceu "grávida" do seu irmão gémeo

Mónica Vega realizou uma ecografia durante o sétimo mês da sua gravidez daquela que seria a sua terceira filha. Mas, nas imagens, descobriu que dentro da sua bebé estava outro feto mais pequeno. O caso, que …