Cientistas encontraram genes zombie

Uma equipa de investigadores norte-americanos descobriu um tipo de “genes zombie” que revivem alguns dias depois da morte do organismo.

Duas pesquisas publicadas esta semana identificaram que algumas partes do corpo humano continuam a funcionar depois da morte.

Esta situação é provocada por genes “zombie” que, apesar de não poderem devolver a vida, podem ter implicações sérias na investigação forense e nas doações de órgãos.

O primeiro estudo, liderado por Peter Noble, da Universidade de Washington, identificou que determinados genes continuam ativos por mais de 12 horas após a morte.

Por isso, a equipa pesquisou a atividade desses mesmos genes em células de ratos e peixes-zebra mortos.

Ao contrário do que seria previsto, em vez de encontrarem genes que levavam mais tempo para se “desligar”, os cientistas perceberam, na verdade, que estes aumentavam as suas atividades.

Nos ratos, 515 genes registaram atividades totais até 24 horas depois da morte, enquanto que, nos peixes-zebra, 548 genes mantiveram-se funcionais por quatro dias.

Destaque para o facto de estes genes “zombie” não serem os mais comuns, isto é, eram sim genes normalmente acionados em emergências como, por exemplo, em casos de inflamações, ativação do sistema imunológico, stress de reação e até genes ativados para formar um embrião.

No entanto, não foram só detectados genes benéficos mas também genes que promovem o crescimento de células cancerosas nos animais.

Apesar de não serem potentes o suficiente para reanimar um cadáver, os genes pós-morte podem ter um grande impacto nos transplantes de órgãos.

Estudos apontam que pessoas transplantadas têm maiores probabilidades de desenvolver 32 tipos de cancro, incluindo linfoma, cancro do rim ou do fígado.

“Enquanto que os transplantes salvam vidas, também aumentam o risco de cancro nos recipientes em parte devido às medicações que controlam o sistema imunológico a fim de evitar rejeição”, explica Eric A. Engels, do Instituto Nacional do Cancro dos EUA.

Os imunossupressores podem explicar parcialmente o índice de cancro nesses pacientes, mas os genes pós-morte nos órgãos transplantados também podem ter uma relação com estes dados.

 ZAP / Canal Tech

PARTILHAR

RESPONDER

Ex-comandante paraquedista diz que Tancos foi obra de "amadores"

O coronel de infantaria Alves Pereira admitiu "embaraço" pela "falha" e considerou que o "Exército após Tancos é diferente do Exército antes de Tancos". O coronel de infantaria Alves Pereira sustentou esta quarta-feira que o …

Tspiras vence moção de confiança com margem mínima

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, viu esta quinta-feira o parlamento aprovar um voto de confiança, dias depois de ter terminado a coligação que viabilizava o seu Governo. Com 151 votos favoráveis, dos 300 parlamentares, Tsipras viu …

Parlamento discute a legalização da canábis para fins recreativos

A legalização da canábis para uso recreativo é debatida esta quinta-feira no Parlamento, com BE e PAN a apresentarem projetos de lei idênticos, discordando apenas quanto aos locais de venda. O Bloco de Esquerda (BE) defende …

Estátua de diabo "alegre demais" divide moradores em Espanha

Uma estátua que representa o diabo foi criticada por ser "alegre demais" por moradores da cidade de Segóvia, em Espanha. A escultura de bronze, que ainda não foi instalada, foi criada em homenagem a uma lenda …

"Incapacidade e incompetência". Fenprof pede a Costa que substitua ministro da Educação

A Federação Nacional de Professores (Fenprof) defendeu esta quarta-feira que o primeiro-ministro substitua o ministro da Educação, devido à sua "incapacidade e comprovada incompetência política" para dirigir as negociações de recuperação de tempo de serviço …

Bombeiros protestam contra a proposta do Governo

De acordo com o sindicato, a proposta do Governo "significa uma desvalorização enorme na carreira". Além disso, critica a ideia de haver uma carreira única de sapadores e municipais nivelada por baixo. Bombeiros municipais e sapadores …

Há uma parte da Antártida que está a encolher (mas não era suposto)

Quando os cientistas falam sobre o derretimento da Antártida, geralmente estão a referir-se à Antártida Ocidental, onde gigantescos glaciares costeiros estão a derramar grandes quantidades de água. Mas, do outro lado das montanhas transantárticas a leste, …

A cor dos olhos pode explicar porque é que as pessoas ficam tristes no inverno

Tempo mais frio e noites mais longas fazem algumas pessoas sentir-se tristes. A isso, dá-e o nome de Transtorno Afetivo Sazonal (TAS). Embora o TAS seja uma forma reconhecida de depressão clínica, os especialistas ainda estão …

Há vida pós-LHC. CERN planeia acelerador de partículas dez vezes mais potente

O futuro da Física de Partículas começa a ganhar forma. O CERN (Laboratório Europeu de Física de Partículas) detalhou esta terça-feira os seus planos para o novo acelerador de partículas que irá suceder o Grande …

DARPA quer construir robôs conscientes usando cérebros de insetos

A DARPA quer construir robôs conscientes usando cérebros de insetos, uma forma de criar novos modelos de inteligência artificial eficientes, que poderiam ser usados para explorar a própria consciência. Ao contrário dos humanos, os insetos operam …