Cientistas escrevem código quântico num chip de silício pela primeira vez

Pela primeira vez, cientistas demonstraram que podem escrever e manipular um código quântico num chip de silício, abrindo caminho para os tão esperados e superpoderosos computadores quânticos.

A pesquisa, realizada por engenheiros da Universidade de New South Wales, na Austrália, foi publicada na revista Nature Nanotechnology.

O sucesso dependeu do estranho fenómeno conhecido como “emaranhamento”, usando dois bits quânticos com a maior precisão registada até hoje.

Todas as outras peças necessárias para a construção de um computador quântico já estão disponíveis, em grande parte devido a outra pesquisa da mesma equipa, que criou a primeira porta lógica em silício.

Sobreposição

Os computadores tradicionais são codificados com bits tradicionais, que podem estar num de dois estados: 1 ou 0. Em conjunto, dois bits criam códigos que podem ser usados para programar instruções complexas.

Na computação quântica, há a possibilidade dos bits estarem num estado chamado de “sobreposição”, o que significa que podem ser 1 e 0 ao mesmo tempo – o que aumenta exponencialmente as variações de programação.

UNSW Engineering

-

Os engenheiros australianos não só conseguiram criar esses bits em sobreposição, como o fizeram em microchips muito semelhantes aos que compõem os computadores comuns atuais.

O segredo para escrever o código quântico é o entrelaçamento, ou emaranhamento quântico. Quando duas partículas estão entrelaçadas, isto significa que a medição de uma afeta imediatamente o estado da outra, mesmo que estejam a milhares de quilómetros de distância.

Este efeito intrigou grandes mentes da física, incluindo Albert Einstein, que o chamou de “ação fantasmagórica à distância”. Apesar do ceticismo de alguns investigadores, já que o fenómeno parece contradizer os princípios de localidade da Física clássica, este já foi demonstrado várias vezes.

Os cientistas australianos passaram com louvor no teste do emaranhamento, com a maior “pontuação” já registada numa experiência usando este fenómeno.

00+11

UNSW Engineering

-

Os investigadores entrelaçaram duas partículas: o eletrão e o núcleo de um único átomo de fósforo, que foi colocado dentro de um microchip de silício. O estado do eletrão era totalmente dependente do estado do núcleo.

Assim, eles expandiram os quatro possíveis códigos que podem ser feitos com dois bits clássicos (00, 01, 10 ou 11) para um conjunto muito maior de código com dois bits emaranhados, como 00+11, 00-11, 01+10 ou 01-10.

“Isso é, em certo sentido, a razão pela qual os computadores quânticos podem ser muito mais poderosos”, explicou Stephanie Simmons, que participou do estudo.

Com o mesmo número de bits, podemos escrever um código de computador que contém muitas mais palavras, e podemos usar essas palavras extra para executar um algoritmo diferente que atinja o resultado esperado com um menor número de passos”.

O próximo objetivo dos investigadores é entrelaçar mais partículas e criar códigos mais complexos, a fim de chegarem ao cobiçado supercomputador – e parece que estamos mais perto disso do que nunca.

HypeScience

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

O núcleo interno da Terra está a crescer mais de um lado do que do outro

O núcleo interno da Terra está a crescer mais de um lado do que do outro. No entanto, isto não quer dizer que o nosso planeta esteja a ficar inclinado. Mais de 5.000 quilómetros abaixo de …

Incêndios devastam sul da Europa e obrigam a retirar moradores e turistas

Dezenas de aldeias e hotéis foram este domingo evacuados nas zonas turísticas do sul da Turquia devido a incêndios que começaram há cinco dias e já mataram oito pessoas no país, devastando também regiões da …

Há uma empresa a transformar as cinzas de entes queridos em diamantes

Uma empresa norte-americana transforma cinzas de entes queridos — e animais de estimação — em diamantes, que podem ser colocados em anéis ou colares. Lidar com a morte de um ente querido é sempre uma altura …

Pianista de aeroporto ganhou 60 mil dólares em gorjetas

Tonee "Valentine" Carter, que toca piano num aeroporto norte-americano, ganhou 60 mil dólares (cerca de 50.800 mil euros) depois de um estranho partilhar um vídeo seu a tocar. Tonee "Valentine" Carter, de 66 anos, não é …

Youtubers denunciam campanha de fake news contra vacina da Pfizer

De acordo com a imprensa brasileira, uma agência de marketing terá tentado que influenciadores digitais de todo o mundo partilhassem desinformação sobre as vacinas contra a covid-19. A denúncia foi feita por alguns dos influenciadores …

Na Tailândia, a legalização do aborto enfrenta "resistência espiritual"

Desde fevereiro, qualquer pessoa que procure fazer um aborto na Tailândia consegue fazê-lo legalmente, pelo menos no primeiro trimestre. Ainda assim, muitos médicos e enfermeiros recusam-se a levar a cabo o procedimento. A advogada Supecha Baotip …

Haiti. Viúva do presidente assassinado implica seguranças no crime

Martine Moise, a viúva do presidente haitiano Jovenel Moise — assassinado na sua residência por um comando armado no início de julho — descreveu abertamente o ataque e partilhou as suas suspeitas sobre o crime …

Covid-19. Portugal regista 2.306 novos casos e aumento nos internados

Portugal registou este domingo 2.306 novos casos de infeção por covid-19 e mais oito mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).  Portugal regista este domingo oito mortes atribuídas à covid-19, 2.306 novos casos …

Birmânia. Líder da junta volta a prometer eleições até 2023, seis meses depois do golpe militar

O líder da junta militar birmanesa, no poder desde o golpe de 1 de fevereiro, comprometeu-se novamente a realizar eleições "até agosto de 2023". “Estamos a trabalhar para estabelecer um sistema multipartidário democrático”, disse, este domingo, …

Tóquio2020. Patrícia Mamona conquista medalha de prata no triplo salto (e melhora recorde nacional)

Patrícia Mamona conquistou este domingo a medalha de prata no triplo salto dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao conseguir 15,01 metros, novo recorde nacional, arrebatando a segunda medalha por atletas portugueses depois do bronze do judoca …