Cientistas desvendam mistério de cemitério de baleias no deserto

Smithsonian

Os cientistas usaram várias técnicas digitais para registar e analisar os fósseis.

Os cientistas usaram várias técnicas digitais para registar e analisar os fósseis.

Investigadores chilenos e americanos estabeleceram uma teoria para explicar a existência de um misterioso cemitério de baleias pré-históricas ao lado da estrada Pan-Americana, no deserto do Atacama, no norte do Chile.

Os cientistas acreditam que os cetáceos ancestrais podem ter morrido ao consumir algas tóxicas, e que os seus corpos foram parar ao local onde se encontram hoje, conhecido como Cerro Ballena (“Colina da Baleia”), por causa da configuração geográfica da região.

Os animais estão no local há 5 milhões de anos, e esta acumulação de fósseis seria o resultado de não apenas um, mas de quatro grandes encalhes em massa.

Os dados recolhidos sugerem que todas as baleias ingeriram as algas. Os mamíferos mortos e os que estavam a morrer foram então arrastados para um estuário e seguidamente para a areia, onde, com o passar do tempo, foram enterrados.

Os investigadores usaram em primeiro lugar modelos digitais em 3D dos esqueletos no sítio arqueológico, após o que retiraram os ossos do local para mais análises em laboratório.

Os resultados do estudo foram divulgados pela publicação especializada Proceedings B of the Royal Society.

Criaturas bizarras

Já se sabia que fósseis bem preservados de baleias são comuns nesta área do deserto chileno, podendo até ser vistos alguns a sair das rochas.

Mas só depois de começarem as obras para o alargamento da estrada Pan-Americana é que os investigadores tiveram a oportunidade de estudar mais detalhadamente o local onde estavam os fósseis.

Adam Metallo / Smithsonian

Esqueletos estão em ótimo estado de conservação

Esqueletos estão em ótimo estado de conservação

Os cientistas tinham apenas duas semanas para completar o trabalho de campo antes do início das obras na estrada. Por isso, a equipa apressou os trabalhos para registar o máximo possível de detalhes do local e dos fósseis.

Na análise feita no local, foram identificados os restos de mais de 40 baleias.

Os cientistas encontraram também, além destes fósseis de baleia, outros fósseis, principalmente de predadores marinhos importantes e de herbívoros.

DR Nicholas Pyenson

Nicholas Pyenson,  paleontologista do Museu Smithsonian de História Natural.

Nicholas Pyenson, paleontologista do Museu Smithsonian de História Natural.

“Encontrámos criaturas extintas como a baleia-morsa – que desenvolveu uma face parecida com a de uma morsa. E também havia umas ‘preguiças aquáticas’ bizarras”, conta Nicholas Pyenson, um paleontologista do Museu Smithsonian de História Natural.

“Para mim é incrível que, em 240 metros de uma obra de abertura de estrada, tenhamos conseguido amostras de todas as estrelas do mundo dos fósseis de mamíferos marinhos na América do Sul, do final do período Mioceno. É uma acumulação incrivelmente densa de espécies”, afirmou o cientista à BBC.

Quatro eventos

A equipe de cientistas notou que quase todos os esqueletos estavam completos e as posições em que foram encontrados tinham pontos em comum. Muitos estavam voltados na mesma direcção e de cabeça para baixo, por exemplo.

Tudo isso apontava para a possibilidade de as criaturas terem morrido devido à mesma catástrofe repentina. Mas as pesquisas mostram que as mortes não ocorreram apenas num evento, mas em quatro episódios separados durante um período de milhares de anos.

A melhor explicação que os cientistas encontraram é que todos estes animais foram envenenados por toxinas geradas pela proliferação de algas.

Essa proliferação é uma das causas principais dos encalhes em massa de mamíferos marinhos que vemos hoje.

Smithsonian

Centenas de fósseis ainda precisam de ser analisados em Cerro Ballena

Centenas de fósseis ainda precisam de ser analisados em Cerro Ballena

“Todas as criaturas que encontrámos, sejam baleias, focas ou peixes-agulha, estão no topo da cadeia alimentar marinha e isso deve ter deixado estes animais muito susceptíveis a proliferações de algas tóxicas”, diz Pyenson.

Os cientistas também acreditam que a configuração do que era a costa em Cerro Ballena na época da morte dos animais terá contribuído para que os corpos das baleias fossem levados para a areia, provavelmente para além do alcance de animais marinhos necrófagos, que teriam consumido os cadáveres.

Além disso, por esta ser uma região que agora é um deserto, poucos animais terrestres teriam aparecido nos últimos séculos para roubar os ossos.

Falta a prova ‘definitiva’

No entanto, por enquanto, os investigadores não podem afirmar com certeza que foram as algas tóxicas as responsáveis pelos encalhes em massa.

Não foram encontrados ainda, por exemplo, fragmentos de algas nos sedimentos, que poderiam ser a prova “definitiva”.

Cerro Ballena é uma região considerada como um dos sítios de fósseis mais densos do mundo. Os cientistas calculam que possam existir centenas de espécies na zona, que ainda estão por descobrir e investigar.

Neste momento, a Universidade do Chile, em Santiago, está a trabalhar para construir no local uma estação de estudos.

Adam Metallo / Smithsonian

Cerro Ballena é uma região considerada como um dos sítios de fósseis mais densos do mundo.

Cerro Ballena é uma região considerada como um dos sítios de fósseis mais densos do mundo.

ZAP / BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Governo russo exige 1,8 mil milhões de euros a empresa mineira por poluição no Ártico

A agência russa de defesa do ambiente exigiu uma indemnização de 147,8 mil milhões de rublos (1,8 mil milhões de euros) ao conglomerado mineiro Norilsk Nickel, pela grave poluição do Ártico com hidrocarbonetos. Em comunicado, a …

Perda de habitat pode aumentar doenças que passam de animais para humanos, prevê ONU

Um novo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) alertou que podem surgir mais doenças que passam de animais para humanos, como a covid-19, à medida que os habitats são devastados pela exploração da vida …

Rússia ameaça retaliar face às sanções "hostis" do Reino Unido

A Rússia ameaçou responder às sanções "hostis" anunciadas por Londres contra 59 pessoas e entidades, 25 delas russas. A Rússia vai responder às sanções "hostis" anunciadas pelo Governo britânico contra 49 pessoas e organizações, 25 das …

Ministério dispensa quase todos os alunos da renovação de matrículas (após ataques informáticos e o desespero dos pais)

As matrículas online são agora obrigatórias apenas para os alunos que no próximo ano lectivo vão iniciar os 5.º, 7.º e 10.º anos de escolaridade. O anúncio é feito pelo Ministério da Educação depois das …

"Estavam prontos para bater". Atleta Ricardo dos Santos vai processar polícia londrina

O atleta português Ricardo dos Santos disse na segunda-feira que não demorou mais de 20 segundos a parar o carro, quando lhe foi pedido pelas autoridades em Londres, e garantiu que vai processar a polícia …

Motorista de autocarro em morte cerebral depois de agressões de passageiros em França

Um motorista de autocarro foi declarado em morte cerebral esta segunda-feira, em França, depois de ter sido agredido no domingo por passageiros a quem recusou a entrada no transporte público. No domingo à noite, um motorista …

Erro de laboratório origina 20 casos em dois clubes da Liga búlgara

Vinte pessoas estão infetadas com o novo coronavírus, após um futebolista com covid-19 ter participado no duelo entre o Cherno More e o Tsarko Selo, da Liga búlgara, devido ao erro de um laboratório, foi …

Soleimani foi assassinado de forma "ilegal e arbitrária", considera perita da ONU

A relatora especial da ONU, Agnes Callamard, considera que os Estados Unidos não apresentaram provas suficientes para justificar o ataque. Uma especialista da ONU concluiu que o general iraniano Qasem Soleimani, morto num raide norte-americano …

Bolsonaro infetado com covid-19

A imprensa brasileira confirmou, esta terça-feira, que o Presidente Jair Bolsonaro está infetado com covid-19. O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, testou positivo à covid-19. De acordo com a Globo, a informação foi avançada pelo próprio, …

Costa avisa que vem aí a "fase mais crítica" dos incêndios e pede prevenção

O primeiro-ministro participou numa reunião de acompanhamento e monitorização sobre prevenção e combate a fogos florestais e advertiu, esta terça-feira, que Portugal entra agora na fase mais crítica. Esta terça-feira, o primeiro-ministro advertiu que Portugal entra …