Cientistas criam exame de sangue que identifica proteínas tóxicas ligadas ao Alzheimer

Cientistas no Japão e na Austrália desenvolveram um exame de sangue que pode detetar proteínas tóxicas ligadas ao Alzheimer.

O trabalho, cujo resultado foi publicado na quarta-feira na revista científica Nature, é um passo importante para a descoberta de um exame mais simples para identificar a doença – especialmente quando está em estágio inicial.

O teste teve 90% de precisão quando aplicado em pessoas saudáveis, com perda de memória e em pacientes com Alzheimer, avança a BBC.

Os especialistas disseram que ainda é necessário aperfeiçoar o método, mas ressaltaram que os resultados são bastante promissores.

A doença de Alzheimer começa anos antes de os pacientes terem qualquer sintoma de perda de memória. A chave para a cura, segundo os especialistas, será descobri-la antes que haja perda definitiva das células cerebrais – por isso há tantas pesquisas em curso sobre o Alzheimer.

Uma das abordagens tem-se concentrado nos níveis de proteínas tóxicas, chamadas beta-amiloides, que são acumuladas em placas no cérebro durante a doença. Estas proteínas podem ser detetadas através de ressonância magnética cerebral, mas este é um exame caro e pouco prático.

A nova pesquisa, uma colaboração entre universidades do Japão e da Austrália, procura fragmentos de beta-amiloides que acabam na corrente sanguínea. Ao avaliar os índices de tipos de fragmentos da proteína, os investigadores puderam prever precisamente os níveis de beta-amiloides no cérebro.

O estudo mostrou que é possível avaliar o sangue de forma a ver o que está a acontecer no cérebro.

O dr. Abdul Hye, cientista da universidade King’s College, de Londres, diz que a pesquisa tem implicações importantes. “É a primeira vez que um grupo mostrou uma forte associação entre o plasma amiloide do sangue com o líquido cerebral e cefalorraquidiano”.

O teste é bastante mais barato do que uma ressonância magnética cerebral e, segundo os cientistas, pode proporcionar uma triagem mais ampla e eficiente da população.

Até ao momento não há tratamento para mudar o decorrer do Alzheimer, pelo que o novo exame teria uso limitado no tratamento de pacientes. No entanto, em estudos clínicos revelar-se-ia útil.

A professora Tara Spires-Jones, do Centro de Descobertas de Ciências do Cérebro, da Universidade de Edimburgo, diz que os dados são promissores. “E podem ser usados no futuro, em particular para escolher as pessoas que se encaixam nos testes clínicos e para medir se os níveis de amiloide mudam nos tratamentos que serão testados”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Na última noite no Porto, fui sozinho à Ponte D. Luís e vieram-me as lágrimas aos olhos"

O médio espanhol Óliver Torres confessa que a sua saída do Porto foi "emotiva" e que se despediu do clube e da cidade na Ponte D. Luís, de noite e sozinho, com "as lágrimas nos …

Costa e Centeno discutiram no Conselho Europeu (e foi Centeno quem ganhou)

António Costa e Mário Centeno envolveram-se numa "discussão directa" em pleno Conselho Europeu que deixou os restantes membros do Eurogrupo perplexos. Em causa esteve o primeiro orçamento da Zona Euro, com o primeiro-ministro de Portugal …

Sondagem: Livre caiu para metade, Montenegro lidera corrida ao PSD

O PS lidera as intenções de voto com 37,1% e um avanço de 10,2 pontos percentuais sobre o PSD numa sondagem em que o Livre surge com metade da votação alcançada nas legislativas em outubro. Num …

ONU chama a atenção para consumo de tramadol (erradamente considerado menos letal que fentanil)

A crise derivada do consumo excessivo de opóides e as mortes daí decorrentes já levaram empresas norte-americanas que os produzem a receber milhares de ações judiciais. Contudo, a Organização das Nações Unidas (ONU) chama a …

Mais de 50 jornalistas subscrevem abaixo-assinado em defesa de Maria Flor Pedroso

Mais de 50 jornalistas, entre os quais Adelino Gomes, Henrique Monteiro, Anabela Neves e Francisco Sena Santos, subscreveram esta sexta-feira um abaixo-assinado em defesa da jornalista Maria Flor Pedroso, diretora de informação da RTP. "Confrontados com …

O maior sítio arqueológico submerso do mundo mora no México (e está a surpreender os especialistas)

Uma equipa de especialistas está a explorar há cerca de quatro anos o Grande Aquífero Maia, localizado no México, e tem feito descobertas surpreendentes que vão desde numerosos sítios arqueológicos a vestígios de homens primitivos.  Durante …

Passes baixam para 70 e 80 euros para utentes da região Oeste

Os passes nos transportes públicos para Lisboa vão baixar para 70 euros para utentes de Alenquer, Arruda dos Vinhos, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras, e para 80 euros dos restantes concelhos da região. A …

Parar de comer quando se está cheio nem sempre é fácil (e há uma razão para isso)

Com alguns alimentos, parar de comer — mesmo quando se está cheio — nem sempre é fácil. Isto porque algumas destas comidas podem ter sido feitas de forma a que tal aconteça. Nenhum alimento é criado …

Há milhares de misteriosos buracos no fundo do mar da Califórnia

Surgiu um novo mistério perto da costa de Big Sur, na Califórnia, no fundo do Oceano Pacífico: há milhares de pequenos fragmentos redondos retirados dos sedimentos do fundo do mar.   A descoberta foi feita como parte …

NASA apresenta "mapa do tesouro" para encontrar água em Marte

Uma equipa de cientistas da NASA elaborou um mapa da água congelada que existe em Marte e que se acredita estar a apenas 2,5 centímetros abaixo da superfície do Planeta Vermelho - isto é, à …