Ciência explica porque somos atraídos por rostos bonitos

@KateUpton / Twitter

Katherine Elizabeth "Kate" Upton, modelo e actrz americana, apanhada na rede

Uma nova pesquisa sugere que o nosso cérebro nos recompensa quando olhamos para esse tipo de rostos.

É verdade que a beleza está nos olhos de quem a vê, ou seja, podemos achar alguém muito atraente e o resto das pessoas não achar o mesmo.

Porém, não há dúvida de que alguns rostos são bonitos e ponto final. E geralmente, nesses casos, é muito difícil conseguir desviar o olhar.

O porquê de isto acontecer foi o que tentou explicar Olga Chelnokova, da Universidade de Oslo, na Noruega. A investigadora decidiu explorar como é que o nosso sistema visual é capaz de dirigir a atenção para certas informações de um rosto.

A investigação chegou à conclusão que a evolução tornou os seres humanos especialistas em rostos, isto porque basta um rápido olhar para conseguirmos saber várias informações sobre a pessoa como, por exemplo, se é homem ou mulher e se está feliz ou chateado.

A análise revelou que o sistema de recompensa do cérebro se intromete bastante na avaliação que fazemos do nível de atração das outras pessoas.

“O sistema de recompensa está relacionado com a experiência de prazer quando, por exemplo, desfrutamos de uma comida saborosa ou ganhamos a lotaria. Acontece exatamente a mesma situação quando olhamos para um rosto bonito”, explica.

No seu estudo, Chelnokova e o resto da equipa pediram aos participantes que observassem imagens de rostos pré-classificados como mais atraentes, intermediários ou menos atraentes. Essa análise foi feita depois de os participantes receberem uma pequena dose de morfina, droga que estimula esse sistema de recompensa.

“Os participantes classificaram os rostos mais atraentes como ainda mais atraentes e estavam dispostos a olhar para a fotografia por um longo período de tempo. É importante salientar que observamos comportamentos opostos quando bloqueamos o sistema de recompensa com outra droga. Por exemplo, os participantes deram notas mais baixas para rostos mais atraentes”, afirma a investigadora.

Não houve, no entanto, um efeito significativo quando os participantes tiveram de avaliar imagens de rostos intermédios ou menos atraentes.

Chelnokova afirma, no entanto, que o sistema de recompensa dá apenas uma resposta imediata, isto é, um prazer extra, que não determina o nosso comportamento a longo prazo.

“Por exemplo, não podemos comer chocolate o tempo todo porque não é saudável. Da mesma forma, há muitos fatores que contribuem para um bom relacionamento, muito mais importantes do que a atração facial”, justifica.

Estudos anteriores já tinham ligado o sistema de recompensa do cérebro com a nossa experiência da beleza facial dos outros.

Os cientistas digitalizaram o cérebro dos participantes enquanto eles analisavam fotografias de vários rostos, mostrando que a visualização passiva de rostos bonitos aumentava a atividade do sistema.

HypeScience

PARTILHAR

RESPONDER

Arqueólogos encontram rara ferramenta de caça com 300 mil anos

Arqueólogos encontraram uma ferramenta de madeira utilizada na caça há 300 mil anos. É muito raro encontrar artefactos paleolíticos feitos de madeira, realça o autor do estudo. Uma equipa de investigadores da Universidade de Tübingen e …

Twitter não descarta suspender conta de Donald Trump

Um alto responsável da plataforma digital Twitter não excluiu a suspensão da conta da Donald Trump caso o Presidente norte-americano prossiga a publicação de mensagens incendiárias que transgridam as regras daquela rede social. Com 81,7 milhões …

Patrões agradados com o plano do Governo. PSD diz que "é muito fraco"

Enquanto patrões e sindicalistas ficaram bastante satisfeitos com o Programa de Estabilização Económica e Social apresentado pelo Governo, o PSD deixou duras críticas. Esta quinta-feira, no final do Conselho de Ministros, onde foi aprovado o plano …

Na resposta a uma crise, ligações humanas podem piorar ainda mais as coisas

Um novo estudo sugere que a conexão humana nem sempre é uma coisa boa, sobretudo quando se trata de ultrapassar uma crise com sucesso. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 2480 voluntários …

Brasil ultrapassa Itália e torna-se no terceiro país com mais mortes

O país sul-americano, que tem uma população estimada em 210 milhões de habitantes, contabiliza 34.021 vítimas mortais e 614.941 casos confirmados. O Brasil ultrapassou a Itália e tornou-se no terceiro país do mundo com mais mortes …

PCP é o primeiro partido a retomar comícios ao ar livre

O PCP foi o último partido a fazer um comício, em março, antes de o país "parar" devido à pandemia de covid-19 e vai ser o primeiro a organizar uma iniciativa deste tipo, no domingo, …

Asteróide que matou os dinossauros criou uma província hidrotermal nove vezes maior do que Yellowstone

O asteróide que dizimou os dinossauros da face da Terra criou uma província hidrotermal nove vezes maior do que a caldeira do supervulcão Yellowstone, localizado nos Estados Unidos, conclui um novo estudo agora divulgado. De acordo …

Encontrar uma agulha num palheiro cósmico. Astrónomos resolvem mistério do primeiro Anel de Einstein

Determinados a encontrar uma agulha num palheiro cósmico, um par de astrónomos viajou no tempo através dos arquivos de dados antigos do Observatório W. M. Keck em Mauankea e do Observatório de Raios-X Chandra da …

As pequenas (e estranhas) estrelas quentes são atormentadas por manchas gigantes e explosões

Há uma classe de estrelas que perplexa os cientistas há seis décadas, conhecidas como estrelas de ramos horizontais extremos (EHB). Apesar de terem metade da massa do Sol, são quatro a cinco vezes mais quentes …

Cientistas capturaram em vídeo explosão de um enorme buraco negro

Uma equipa de astrónomos capturou o momento exato em que um buraco negro lança material quente para o Espaço à velocidade da luz. O telescópio espacial de raios-X Chandra captou a explosão de um buraco negro. …