Cidade usa satélite para medir poluição luminosa (e os candeeiros de rua não são o maior problema)

As cidades do mundo desperdiçam uma grande quantidade de eletricidade – e dinheiro – ao deixar ligadas luzes brilhantes durante a noite toda. Porém, os candeeiros de rua não são os maiores culpados.

Uma experiência de 10 dias em Tucson, no estado norte-americano do Arizona rastreou os culpados usando imagens de satélite da cidade, de acordo com a BBC.

Depois de diminuir a iluminação das ruas durante a noite, uma equipa de investigadores do Arizona, Alemanha e Irlanda descobriu uma grande quantidade de energia desperdiçada que está a preudicar o meio ambiente e a deixar os ecossistemas fora de controlo.

Segundo este estudo, em Tucson as luzes da rua não são realmente o problema. De acordo com a investigação, que foi publicada esta semana na revista científica Lighting Research & Technology, outdoors, estádios e estacionamentos estão a desperdiçar toneladas de energia – totalizando mais de 2,5 mil milhões de euros anualmente nos Estados Unidos – com iluminação excessiva e mal gerida

As luzes bloqueiam as estrelas, contribuem para as mudanças climáticas e até desviam os animais em migração do seu curso.

“Nós desperdiçamos recursos enormes com a luz que vai para o Espaço e não faz bem a ninguém”, disse o astrónomo Kelsey Johnson, da Universidade da Virgínia, que não trabalhou no projeto, à BBC.

Como as empresas privadas, em vez da iluminação pública municipal, causam a maior parte da poluição luminosa, resolver o problema exigiria ampla cooperação. E, se um acordo fosse alcançado, resolver o problema seria tão simples como escurecer, direcionar melhor ou colocar escudos sobre as luzes.

“Muitas pessoas falam sobre emergência climática, mas nunca falam sobre poluição luminosa”, disse Christopher Kyba, autor do estudo e físico do Centro Alemão de Pesquisa de Geociências, à BBC. “Mas é uma parte importante. E à noite, quando a maioria de nós está a dormir, toda essa eletricidade pode fazer outras coisas – carregar veículos elétricos, por exemplo. É o tipo de coisa que pode ser feita com um pouco de inteligência e vontade de entrar em ação.”

ZAP ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. A propósito do texto da notícia: “Segundo este estudo, as luzes da rua não são realmente o problema.”, sugiro que seja especificado que o estudo refere-se exclusivamente à cidade de Tucson, no Arizona. Tucson é próxima do Observatório Astronómico de Kitt Peak e sofreu uma alteração na sua iluminação pública há uns anos (para LED de 3000 K) com iluminâncias que não ultrapassam os 17 lux ao nível do solo, por forma a reduzir a poluição luminosa. É, assim, um caso de uma cidade particularmente bem iluminada (leia-se: sem muita luz supérflua). A maior contribuição para o aumento do brilho do céu de Tucson é, assim, proveniente de luz privada. Este resultado consta do artigo científico que deu origem à notícia. Na Europa, em particular em Portugal ou na Galiza, a situação é a oposta e a contribuição da iluminação pública para o aumento do brilho antropogénico do céu ronda os 75-80% ou mais.
    Independentemente dessa imprecisão, que pode levar a conclusões precipitadas e erradas (na verdade, os LED em Portugal têm originado um aumento substancial da poluição luminosa, ao contrário do que habitualmente se vê afirmado), é de felicitar a divulgação de uma notícia sobre a problemática da poluição luminosa.

  2. Como astrónomo amador – e todos os astrónomos amadores ou profissionais sabem – a poluição luminosa é o maior cancro de quem pretende observar o céu (estrelas, planetas, cometas, etc.), principalmente através de telescópios. E quem vive nas cidades, ainda maior é essa situação. Infelizmente resido em Lisboa e sou uma das vítimas desta poluição luminosa, além da poluição ambiental.

RESPONDER

O seu antigo número de telemóvel pode ser usado para pirateá-lo

O seu antigo número de telemóvel pode ser usado para pirateá-lo, caso este ainda esteja associado a contas em sites ou redes sociais. Embora milhões de números de telemóvel sejam desconectados todos os anos, um novo …

Bomba junto a escola em Cabul, no Afeganistão, causa 25 mortos e 50 feridos

A explosão de uma bomba junto a uma escola na zona ocidental de Cabul provocou hoje pelo menos 25 mortes, muitos deles jovens estudantes, e 50 feridos, adiantou uma fonte do Governo do Afeganistão. Segundo avança …

Tamám Shud. Exumação de corpo pode resolver um estranho mistério com 70 anos

As autoridades da Austrália aprovaram uma exumação do corpo de Tamám Shud - ou "Homem de Somerton" - e, em breve, o mistério de 70 anos pode estar resolvido. Em 30 de novembro de 1948, vários …

Costa, Von der Leyen na Cimeira Social no Porto

Vacinação no bom caminho com 25% da população da UE vacina

A Comissão Europeia anunciou este sábado que 200 milhões de doses de vacinas anticovid-19 chegaram já à União Europeia (UE) e 160 milhões de europeus já receberem a primeira dose, levando a que a vacinação …

Libertados nos EUA os primeiros mosquitos geneticamente modificados

Foi a primeira vez que mosquitos geneticamente modificados foram libertados nos Estados Unidos. O objetivo é suprimir populações de mosquitos transmissores de doenças. De acordo com o site Live Science, a empresa de biotecnologia Oxitec lançou …

Descobertos os restos de nove Neandertais numa gruta em Itália

Os restos de nove Neandertais foram descobertos na Gruta de Guattari, em San Felice Circeo, na costa entre Roma e Nápoles, onde já tinham sido encontrados vestígios da presença Neandertal, anunciou este sábado o ministro …

Leis draconianas na Malásia. Fahmi Reza foi detido por insultar a rainha com playlist no Spotify

A sátira desempenha um importante papel na sociedade. Na Malásia, as leis draconianas estão a reacender o debate em torno da liberdade de expressão. Fahmi Reza, um artista gráfico e ativista social malaio, foi detido no …

António Barreto

Portugal vai ter "um problema de cor de pele" (por muitos anos e com conflitos)

O sociólogo António Barreto considera que Portugal vai "ter um problema" de "cor de pele" e "por muitos anos". Uma ideia defendida numa entrevista onde se reporta para "o que se passa em toda a …

Um laboratório vivo. Há residentes "superimunes" à covid-19 numa pequena cidade italiana

A pequena cidade de Vo, no norte de Itália, tornou-se um dos primeiros locais com um surto de covid-19 da Europa em fevereiro de 2020. Agora, os cientistas descobriram que a cidade abriga um número …

Portugal com duas mortes e 406 novos casos nas últimas 24 horas

Portugal registou hoje duas mortes atribuídas à covid-19, 406 novos casos de infeção pelo coronavírus e nova descida no número de internamentos em enfermaria e em cuidados intensivos, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo …