Chris recebeu um transplante (e o ADN do dador instalou-se em partes inesperadas do seu corpo)

Chris Long recebeu um transplante de medula óssea como tratamento para o seu diagnóstico recente de leucemia mielóide aguda e síndromes mielodisplásicas – duas condições raras que prejudicam a produção de células sanguíneas saudáveis.

Quatro anos depois, porém, análises de ADN mostraram que partes de Long contêm agora mais do que apenas células-tronco do seu doador, um homem alemão que vive a milhares de quilómetros de distância.

Cotonetes com o ADN retirado dos lábios, bochechas e língua revelaram que o ADN do seu doador estava presente em níveis flutuantes ao longo dos anos. Além disso, o ADN do doador tinha substituído completamente o sémen de Long. As únicas regiões que não foram afetadas foram os pêlos do peito e da cabeça.

Os transplantes de medula óssea tratam cancros e doenças do sangue, como leucemia, linfomas e anemias falciforme. As células-tronco formadoras de sangue saudáveis são inseridas na corrente sanguínea de um paciente doente a partir de um doador para substituir células sanguíneas prejudiciais e de baixa produção, de acordo com a Clínica Mayo.

Long tornou-se uma espécie de quimera, uma vez que tinha dois conjuntos de ADN. O quimerismo em humanos é extremamente raro, com menos de 100 casos documentados.

Em 1953, um relatório publicado na revista científica British Medical Journal revelou que uma mulher continha dois tipos de sangue devido às células do seu irmão gémeo que viviam no seu corpo. A condição já causou estragos em famílias: um homem falhou no seu teste de paternidade porque uma parte do seu genoma pertencia ao seu irmão gémeo e uma mulher foi forçada a lutar pela custódia do seu filho porque as suas composições genéticas não correspondiam.

Por outro lado, lembra o IFLSience, o ADN tem sido considerado o padrão-ouro quando se trata de investigações criminais e tem sido amplamente infalível em tribunal. Isto levanta a questão: estas descobertas poderiam mudar a forma como os investigadores criminais confiam no ADN?

Em setembro, essa mesma pergunta foi apresentada numa conferência forense na Califórnia, na qual especialistas discutiram a possibilidade de um doador ou recetor de um transplante com uma experiência semelhante à de Long cometer um crime, mas deixar para trás o ADN do outro.

Os investigadores criminais trabalham com a suposição de que o ADN deixado na cena do crime pertence ao agressor e à vítima, mas e se houver um terceiro envolvido que nunca esteve presente?

De acordo com o New York Times, em 2004, os investigadores estudaram o perfil de ADN do sémen encontrado na cena de um crime e associaram-no a um possível suspeito, que estava na prisão no momento do ataque. O suspeito tinha recebido um transplante de medula óssea do seu irmão, que mais tarde foi condenado pelo crime, segundo o que a New Scientist informou na época.

Para investigar mais e melhor esta questão e as suas consequências, Long ofereceu-se como cobaia.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Juiz liberta autarca de Vila Real de Santo António, mas proíbe-a de contactar outros arguidos

A autarca de Vila Real de Santo António, em Faro, e outros três arguidos da “Operação Triângulo” saíram esta quinta-feira em liberdade, com proibição de contactos entre si e com o deputado António Gameiro. No final …

Clubes acham que conseguem mais lucro do que a UEFA

Reunião da Associação Europeia de Clubes marcada para esta sexta-feira. Emblemas europeus pretendem maior controlo sobre os direitos televisivos e os patrocinadores. A "novela" prolonga-se: a Liga dos Campeões deverá mesmo sofrer uma grande alteração no …

Antes de nascerem, as estrelas "saem do casulo" e mostram-se como bolas amarelas

Um descoberta acidental por cientistas cidadãos forneceu uma nova janela única para os diversos ambientes que produzem estrelas e aglomerados de estrelas. De acordo com a cientista sénior do Planetary Science Institute Grace Wolf-Chase, a descoberta …

Um planeta do Sistema Solar pode guardar os segredos da misteriosa matéria escura

Uma equipa de investigadores revelou que o planeta gigante Júpiter pode ser a chave para encontrar a indescritível matéria escura.  A natureza da misteriosa matéria escura é um dos maiores mistérios da Física. Interage gravitacionalmente, uma …

No funeral de Filipe, a família real não vai usar uniformes militares "para evitar envergonhar Harry"

No funeral do duque de Edimburgo os membros da família real não vão usar uniformes militares. A quebra na tradição é justificada como medida "para evitar envergonhar" o príncipe Harry. Segundo o The Sun, a decisão …

FBI diz que grupos radicais dos EUA têm fortes ligações com extrema-direita europeia

O diretor do FBI revela que os radicais norte-americanos são os que têm os laços internacionais mais vastos e que se têm deslocado para se encontrarem com outros ativistas. Os norte-americanos de extrema-direita e com motivações …

Nova espécie de pterossauro revela o polegar opositor mais antigo de sempre

Cientistas descobriram uma nova espécie de pterossauro que viveu durante o período Jurássico e que subia às árvores graças aos seus polegares opositores. Esta característica nunca tinha sido observada nestes animais. De acordo com a rede …

Devido ao sucesso da vacinação, Israel põe fim à obrigatoriedade de uso de máscara no exterior

As autoridades israelitas anunciaram hoje que a partir do próximo domingo acabará a obrigatoriedade de uso de máscara no exterior, medida no quadro do levantamento progressivo das restrições ligadas à pandemia de covid-19. Na primavera de …

A rainha Isabel de Castela ficou conhecida por cheirar mal (mas novos documentos põem fim aos mitos)

A famosa rainha Isabel I de Castela, em Espanha, era conhecida por lavar-se pouco e cheirar mal. Contudo, documentos recém-descobertos mostram que possuía uma quantidade enorme de perfumes de grande valor. Isabel I financiou a viagem …

Instagram testa opção que permite ocultar ou mostrar o número de likes

O Instagram vai começar a testar uma nova opção que dá aos seus utilizadores a possibilidade de esconder os likes recebidos nas publicações. Em 2019, a empresa começou por forçar esta mudança, aplicando-a a alguns utilizadores …