China cria o primeiro porta-aviões semiautónomo do mundo (com inteligência artificial)

1

A China criou um navio de 88 metros — o primeiro porta-aviões semiautónomo do mundo. Vai transportar, lançar, recuperar e coordenar mais de 50 outros veículos aéreos, terrestres e subaquáticos.

A construtora de navios Huangpu Wenchong começou construir o inovador Zhu Hai Yun em julho de 2021. De acordo com o South China Morning Post, é o primeiro porta-aviões deste género, com uma plataforma autónoma, capaz de fazer o que for necessário para realizar operações com aviões, drones, barcos e submarinos.

Não se espera que o novo porta-aviões navegue sozinho em portos marítimos movimentados, como é o caso do navio de contentores japonês Suzaku.

Em vez disso, Zhu Hai Yun funcionará com controlo remoto até estar em mar aberto, e depois os seus sistemas de auto-condução assumirão a execução de qualquer missão que esteja a executar.

O porta-aviões autónomo tem tudo o que necessita para utilizar os seus próprios barcos, submarinos e aviões, comunicar com eles, e executar missões coordenadas, incluindo a realização de “redes adaptativas orientadas em tarefas para alcançar vistas tridimensionais de alvos específicos”, de acordo com a empresa de construção.

Os drones aéreos podem a aterrar no seu convés, e está pronto para recuperar os barcos e submarinos, depois de realizarem as suas rondas.

“O navio inteligente e não tripulado é uma bela e nova ‘espécie marinha’ que trará mudanças revolucionárias na observação dos oceanos”, sublinha Dake Chen, professor da Escola de Oceanografia da Academia Chinesa de Ciências.

Apesar de ser principalmente uma plataforma de investigação oceânica, o SCMP também relata que tem “capacidade militar para intercetar e expelir alvos invasivos”, uma capacidade na vanguarda de muitos projetos marinhos autónomos, incluindo os extraordinários barcos da WAM-V com “pernas de aranha”.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.