Cientistas criaram peptídeos em “poeira cósmica”. Chave para a origem da vida na Terra?

3

Poucas perguntas são mais difíceis de responder do que “como começou a vida na Terra”. Mas encontrar esta resposta, para os cientistas, é um trabalho compreensivelmente difícil — uma vez que estamos a falar de eventos que ocorreram há quase 4 mil milhões de anos.

Como começou afinal a vida na Terra? De acordo com um novo estudo, publicado na revista Nature em fevereiro deste ano, parece haver uma nova pista para responder a esta questão.

Segundo a Science Alert, a nova pesquisa centra-se especificamente em peptídeos,  versões mais pequenas das proteínas, e um dos blocos básicos de construção necessários para que a vida exista.

Os peptídeos controlam todos os tipos de processos no corpo, e normalmente é necessário que haja água por perto para que estes se formem.

Os peptídeos são formados por pequenos compostos orgânicos – os aminoácidos. O novo estudo demonstra como um precursor químico chamado amino ceteno — que pode formar o aminoácido glicina — pode ser criado em condições cósmicas e sem qualquer presença da água.

“Em vez de seguirmos o processo químico normal com que os aminoácidos são formados, quisemos descobrir se as moléculas de amino ceteno não poderiam  combinar-se diretamente, sem água, para formar peptídeos”, explica o astrofísico Serge Krasnikutski, da Universidade de Jena, na Alemanha.

“Fizemo-lo sob as condições que prevalecem nas nuvens moleculares cósmicas, ou seja, nas partículas de pó num vácuo, onde os químicos correspondentes estão presentes em abundância: carbono, amoníaco e monóxido de carbono”.

A equipa usou uma câmara de vácuo ultra-alto para imitar o espaço e substratos que imitam partículas de poeira para simular uma reação que funciona a cerca de um trilionésimo da pressão normal do ar e a uma temperatura de -263 graus Celsius.

As expriências permitiram detetar a presença de amino ceteno, e, dizem os investigadores, a sua natureza altamente reativa foi provavelmente a chave para que a reação tivesse sido possível — caso contrário, a baixa temperatura teria impedido a reação de acontecer.

“As investigações mostraram que, nestas condições, a partir de químicos simples, se formou um peptídeo — a pologlicina“, diz Krasnokutski.

“Estas são, portanto, cadeias do aminoácido glicina muito simples, e observámos comprimentos diferentes. Os espécimes mais longos consistiam em onze unidades do aminoácido”, acrescenta o investigador.

As condições no interior das nuvens de poeira cósmica poderiam assim permitir a formação de peptídeos — e explicar como é que os peptídeos chegaram à Terra.

Terá sido assim que a vida no nosso planeta começou? Segundo os cientistas, talvez — mas são necessários mais estudos para o confirmar.

  Inês Costa Macedo, ZAP //

3 Comments

  1. Estão como sempre muito atrasados. Esta hipótese da vida vir do espaço já tem décadas. Leiam Francis Crick: “Life Itself”, de 1981.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.