Os cientistas já têm a certeza absoluta de que o Oumuamua não é uma nave alien

ESA / M. Kornmesser / European Southern Observatory

Impressão de artista do primeiro asteróide interestelar: `Oumuamua.

Afinal, o Oumuamua não é uma nave alienígena. Uma nova investigação, que analisou as várias investigações já levadas a cabo, concluiu que este corpo estelar, o Primeiro Mensageiro Estelar, não tem uma origem artificial.

Depois de vários meses de discussão, nos quais a comunidade científica defendeu várias teorias completamente contraditórias sobre a origem deste corpo em forma de charuto, um novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica especializada Nature Astronomy, descarta agora uma eventual origem extraterrestre.

“A hipótese da nave espacial alienígena é uma ideia divertida, mas a nossa análise sugere que há toda uma série de fenómenos naturais que poderiam explicá-la”, defendeu Matthew Knight, da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, citado em comunicado.

Os estranhos movimentos e formas dos Oumuamua levaram alguns cientistas a especular sobre a possibilidade de o primeiro objeto oriundo de outro sistema estelar encontrado através do nosso Sistema Solar ser algum tipo de tecnologia alienígena que pudesse explorar o cosmos. Após analisar os dados, a equipa de cientistas não encontrou “evidências convincentes que favoreçam uma explicação extraterrestre”.

“A nossa descoberta-chave é que as propriedades de Oumuamua são consistentes com uma origem natural, uma explicação estranha não se justifica”, disse Knight, que é também co-autor do estudo agora publicado. No entender dos cientistas, o Primeiro Mensageiro é fruto de uma série de processos naturais.

Mas se não é uma nave espacial, o que poderá ser? O cientista aponta para algo semelhante cometa, admitindo, contudo, que não há ainda uma resposta aceite de forma universal. “Os sinais apontam que Oumuamua é um objeto natural, talvez algo semelhante a um cometa (…) Mas não há alienígenas”, frisou o especialista.

O Oumuamua foi detetado pela primeira vez pelo telescópio Pan-STARRS1 da Universidade do Havai em 14 de outubro de 2017. O objeto, com cerca de 800 metros de comprimento, esteve sob o olhar atento dos astrónomos até 2 de janeiro de 2018, data em que ficou muito fraco para ser detetado, mesmo recorrendo a telescópios poderosos.

Apesar de a equipa afirmar que descobriu a sua origem, os cientistas admitem que não sabem ainda como classificá-lo. “Evitamos colocá-lo numa dessas caixas e preferimos chamá-lo de ‘objeto genérico”, explica Knight.

De acordo com investigadores, um “explicação direta [apresentada na investigação] é que a Oumuamua é um planetesimal [um objeto sólido que se estima existir nos discos protoplanetários]”, um bloco de construção planetário, ou um fragmento do mesmo, formado num sistema estelar distante.

A sua composição é outro dos mistérios apontados pelo cientista, que não sabem ainda se o corpo consiste apenas numa rocha ou se incluiu algum metal ou outros ingredientes.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Pouco esclarecedor. Mais claro sobre o que não se sabe, que parece ser quase tudo, do que do que se sabe, que parece ser quase nada.

RESPONDER

Cientistas criam miniatura de ondas de choque de supernovas (e quase desvendam um mistério)

Esta versão em miniatura das ondas de choque das supernovas pode ter ajudado os cientistas a chegar muito perto da resolução de um antigo mistério cósmico. Uma equipa de investigadores do Departamento de Energia do Centro …

Na Indonésia, são os recém-licenciados quem mais vai sofrer com o impacto económico da covid-19

A covid-19 continua a desacelerar a economia na Indonésia e pode causar graves impactos nos recém-licenciados que entram no mercado de trabalho pela primeira vez. Na Indonésia, o crescimento económico diminuiu para 2,97% durante o primeiro …

Mudanças climáticas ameaçam 60% das espécies de peixes do mundo

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Instituto Alfred Wegener, na Alemanha, sugere que as mudanças climáticas podem destruir mais espécies de peixes do que se pensavam anteriormente. Se as temperaturas globais subirem …

Engenheiros desenvolvem célula de combustível duas vezes mais eficiente do que a de hidrogénio

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo processo para uma célula de combustível que funciona com o dobro da tensão das células a combustível tradicionais de hidrogénio. O novo …

Preços das bebidas concertados durante anos. Seis supermercados sob suspeita de cartel

Seis grupos de distribuição alimentar e dois fornecedores de sumos, vinhos e outras bebidas, foram acusados pela Autoridade da Concorrência de concertarem preços durante vários anos em prejuízo do consumidor. "Após investigação, a Autoridade da Concorrência, …

Sindicato denuncia mobilização forçada de médicos para tratar surto de Reguengos de Monsaraz

O Sindicado dos Médicos da Zona Sul (SMZS) denunciou hoje o que diz ser uma “mobilização forçada de médicos” pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo para o combate ao surto de covid-19 de …

Novo comboio-bala entra ao serviço na linha Tóquio-Osaka

O mais novo modelo de comboio-bala do Japão - o N700S - entrou ao serviço no dia 1 de julho, numa jornada inaugural de Tóquio a Osaka. A série N700S (sendo que o "S" significa "Supreme") …

Kanye West anuncia candidatura à Presidência dos EUA

O músico norte-americano Kanye West anunciou este sábado, Dia da Independência dos Estados Unidos, a sua candidatura à Casa Branca, depois de ter apoiado anteriormente o atual Presidente e candidato à reeleição, Donald Trump. "Agora devemos …

Vídeo revela, pela primeira vez, como é que o cérebro se livra dos neurónios mortos

Uma equipa de cientistas conseguiu usar, pela primeira vez, uma técnica que "mata" uma célula cerebral isolada e permite observar o processo de limpeza do sistema nervoso em tempo real. A equipa de investigadores conseguiu registar …

Reutilizável, dobrável e esterilizável. Novo "escudo" protege profissionais de saúde

Uma equipa de cientistas desenvolveu, recentemente, um dispositivo dobrável em forma de tenda que atua como um escudo físico para os profissionais de saúde na linha da frente contra a covid-19. A tenda redutora de gotículas …