CERN descobre pista para o mistério da antimatéria perdida do Universo

NRAO/AUI/NSF; D. Berry

A antimatéria é um dos maiores mistérios da Física: todas as partículas que constituem a matéria têm versões de antimatéria quase idênticas, mas com propriedades espelhadas, como carga elétrica oposta. A curiosidade levou os cientistas a abordar questões como esta, que o Universo parece querer esconder. 

Lars Eklund, professor de Física de Partículas da Universidade de Glasgow, na Escócia, escreveu recentemente um artigo no The Conversation no qual explica os novos resultados obtidos pelo LHCb, um dos seis detetores de partículas do CERN, sobre a antimatéria.

A busca pela antimatéria deu o primeiro passo em 1928 com Paul Dirac, físico britânico que lançou as primeiras luzes sobre as características da mecânica quântica. Em 1932, Carl Anderson, um médico do Instituto de Tecnologia da Califórnia, descobriu o positrão, uma partícula com a mesma massa elétrica do eletrão, mas positiva – e associada à antimatéria.

No artigo, Eklund explica que, após uma grande explosão primitiva, a matéria excedeu a antimatéria. Apesar de não haver uma razão para que esta interação primordial não seja conhecida, o físico propõe que o Universo em que vivemos é o sobrevivente de uma aniquilação de energias.

O mesão é uma partícula subatómica que contém um quark e um antiquark, que se aniquilam mutuamente. O professor explica que a partícula “pode transformar-se espontaneamente no seu parceiro antipartícula e depois voltar, um fenómeno que foi observado pela primeira vez na década de 1960”.

No interior do LHCb, foi gerado um tipo de mesão quando protões colidiram com outros protões no Grande Colisionador de Hadrões (LHC), onde “oscilaram no seu antimesão” e voltaram três biliões de vezes por segundo. No entanto, a amostra é muito pequena e inconclusiva.

“Investigar este mecanismo que sabemos que pode gerar assimetrias matéria-antimatéria, sondando-o de diferentes ângulos, pode dizer-nos onde está o problema“, escreveu Eklund, destacando que monitorizar o mundo em pequena escala é uma oportunidade valiosa para o entender em escalas maiores.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Paços de Ferreira 0-5 Benfica | Seferovic “parte tudo” na Capital do Móvel

Na noite deste sábado, o Benfica somou o sétimo triunfo consecutivo no campeonato, ao golear o Paços de Ferreira por 5-0, num embate relativo à 26.ª jornada do campeonato. A equipa de Jorge Jesus, que acabou …

Após terramotos e deslizamentos, a "cidade moribunda" de Itália ainda resiste no topo de uma montanha

Chamar-se a si mesmo de "Cidade Moribunda" pode não parecer a melhor forma de atrair turistas, mas Civita, em Itália, aprendeu a viver com o facto de estar a morrer. Há vários séculos, a cidade …

"Alexa, estou com calor." Já é possível controlar o ar condicionado de um Lamborghini apenas com a voz

A Amazon está a dar um grande passo na indústria automóvel ao integrar a Alexa no Huracán EVO da Lamborghini, não apenas para fazer perguntas, mas dando ao assistente virtual a capacidade de controlar as …

Nova tecnologia pode enviar luz solar para o subsolo

Investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, na Singapura, inventaram um novo dispositivo que pode ajudar o país a iluminar a sua crescente infraestrutura subterrânea. A Singapura é um dos países que tem apostado cada vez mais …

Livro lança "caça ao tesouro" a urna de ouro oferecida por Inglaterra a França antes da Entente Cordiale

Um novo enigma literário está prestes a chegar às estantes de livros com uma recompensa incomum. Pistas em "The Golden Treasure of the Entente Cordiale" podem levar leitores no Reino Unido e França a um …

Para evitar casos de burnout, LinkedIn deu uma semana de férias aos quase 16 mil funcionários

O LinkedIn decidiu dar uma semana de férias (remunerada), que começou esta segunda-feira, a todos os seus funcionários espalhados pelo mundo. O objetivo? Desconectar, recarregar baterias e prevenir casos de burnout.  "Queríamos ter a certeza de …

Pequenos nadadores-robô curam-se a si próprios (e em movimento)

Uma equipa de investigadores da American Chemical Society desenvolveu pequenos robôs nadadores que conseguem curar-se a si mesmos magneticamente. O tecido vivo pode curar-se autonomamente de muitos ferimentos, mas fornecer habilidades semelhantes a sistemas artificiais, como …

Tondela 0-2 FC Porto | Missão cumprida com serviços mínimos

Missão cumprida. O FC Porto fez poupanças no jogo com o Tondela, mas levou os três pontos para casa, graças a um triunfo por 2-0. Os “dragões” foram claramente superiores no primeiro tempo, marcaram por Toni …

Portugal pode atingir linha vermelha dos 120 novos casos por 100 mil habitantes em dois meses

Portugal pode atingir uma taxa de incidência de de 120 casos por 100 mil habitantes daqui a dois ou mais meses se se mantiver o atual ritmo de crescimento deste indicador. Esta é a conclusão de …

Akon ainda não construiu a "Wakanda da vida real", mas o Uganda já lhe está a dar terrenos para a segunda

O artista de R&B Akon ainda não concretizou a sua visão ambiciosa de uma cidade “futurística” alimentada por uma criptomoeda chamada “Akoin” e construída num terreno que lhe foi dado pelo governo senegalês. Contudo, o …