Há um cemitério no Brasil que é a casa de 50 sem-abrigo

No cemitério da Vila Nova Cachoeirinha, em São Paulo, vivem cerca de 50 sem-abrigo. Vivem no meio de 21 mil sepulturas, em barracas ali construídas há anos.

Entre os sem-abrigo há homens, mulheres, idosos e travestis, mas não crianças. Os moradores afirmam que os mais novos não podem ali viver, dado que o ambiente é desadequado e por não quererem que cresçam no meio da droga que consomem.

Naquele espaço vivem cerca de 50 sem-abrigo, em barracas erguidas por bambus e tapadas por lonas, com casas de banho que ficam no meio de um paredão onde se colocam os ossos dos mortos, conta o Expresso, citando uma reportagem da BBC.

Mas o cenário piora quando as condições meteorológicas não ajudam. Quando chove, aquela comunidade abriga-se dentro dos túmulos para não se molharem.

Lúcio (nome fictício dado pela BBC) tem uma filha de oito anos. Ele mora naquele sítio, mas a filha não. “As saudades são muitas”, confessa. Sem trabalho e sem casamento, Lúcio não conseguiu pagar o aluguer de uma casa para viver com a filha, depois de ter deixado a cidade de Belo Horizonte para trabalhar como vendedor (como esperava) no centro de São Paulo.

“Sem trabalho, não consegui pagar o aluguer de uma casa e fui morar com a minha mãe aqui perto. Não correu bem porque ela impunha demasiadas regras. Fui para a rua e tornei-me num vendedor ambulante. Vivo aqui há cinco meses“, disse à BBC.

Mas o cemitério já é a casa de Igor (nome fictício) há 12 anos. Ao jornal, confessou que a primeira vez que fumou crack foi em 1993 e que, mesmo consumindo com frequência, trabalhava em várias empresas na área da comunicação visual. No entanto, a droga acabou por lhe mudar a vida: “Fui preso por tráfico de drogas, vandalismo, atropelamento e corrupção de menores. A minha família não quer saber mais de mim.”

Quem visita o cemitério da Vila Nova Cachoeirinha não se aproxima dos moradores. Mas estes, como se de um instinto de sobrevivência se tratasse, aproximam-se dos visitantes e tentam conseguir dinheiro em troca da limpeza do túmulos. Ainda assim, são poucos os que se aproximam.

A Câmara de São Paulo, contactada pela BBC, diz ter conhecimento das casas dentro do cemitério e afirma ter pedido a reintegração de posse à Justiça em 2016.

“A pedido da Justiça, foi realizada audiência de conciliação em que os ocupantes do local concordaram em sair voluntariamente da área até janeiro de 2018, o que não foi cumprido. Já foi solicitada nova expedição de reintegração de posse”, informou.

A Câmara é acusada pelos moradores de não querer saber das condições em que vivem: “Eles não nos ajudam, só vêm para derrubar as nossas casas”, denunciam.

Também a capela do cemitério serve de abrigo para outros mendigos, por se encontrar fechada após uma reforma que durou cinco anos. A administração do cemitério adiantou ainda que existem três salas de velório, mas não explicou por que motivo estão também encerradas.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Sporting 2-1 Santa Clara | Super-Coates volta a ser herói

Arrancado a ferros… à campeão? O Sporting esteve a poucos segundos de registar o terceiro empate em casa, perante um Santa Clara que não foi em nada inferior aos “leões” e até conseguiu ser superior em …

Os gatos demonstram ser menos leais do que os cães (mas pode haver uma razão)

Ainda existe um estereótipo sobre a diferença entre cães e gatos. Normalmente as pessoas associam os cães a animais amorosos e leais, enquanto os gatos são tidos como distantes e indiferentes. Um novo estudo pode …

O mistério do "lago dos esqueletos" na Índia intriga cientistas há décadas

O Roopkund, localizado na parte indiana dos Himalaias, é um lago glacial com centenas de ossos humanos. E ninguém sabe como foram lá parar. Em 1942, um guarda florestal revelou ao mundo a existência deste lago …

A fronteira mais importante da China é imaginária: a Linha Hu

A Linha Hu, também conhecida como linha Heihe-Tengchong, é uma linha imaginária que divida a China em duas partes com áreas quase iguais. Estende-se da cidade de Heihe até Tengchong. Desenhada pela primeira vez em 1935, …

Algumas pessoas moram em aeroportos durante meses (ou até mesmo anos)

Aeroportos não servem de casa apenas para os sem-abrigo. Há pessoas que, involuntariamente ou não, ficam lá durante meses e, em alguns casos, até mesmo anos. Em janeiro, as autoridades de Chicago prenderam um homem de …

Senado da Carolina do Sul aprova fuzilamento como método de execução

Com esta decisão, a Carolina do Sul poderá converter-se no quarto estado do país a incorporar este método de execução de pena de morte, depois do Utah, Oklahoma e Mississípi. De acordo com a agência noticiosa …

"Oxigénio tornou-se ouro". Criminosos lucram com a sua escassez no México

A pandemia de covid-19 deixou a Cidade do México a atravessar uma grande escassez de oxigénio médico. Criminosos estão a aproveitar para lucrar com a situação. A capital mexicana registou um pico de infeções e hospitalizações …

Meteorito do tamanho de um damasco caiu em França (e os astrónomos precisam de ajuda para encontrá-lo)

Os entusiastas do Espaço estão a ser instados a procurar um meteorito do tamanho de um damasco que caiu no fim de semana passado no sudoeste de França.  O meteorito, com peso estimado em 150 gramas, …

Professora pediu a alunos para fingir que eram escravos e escreverem carta para África

Uma professora de uma escola secundária no Mississippi, nos Estados Unidos, está a ser alvo de críticas devido a uma fotografia de um trabalho de casa divulgada nas redes sociais. Foi pedido aos alunos do 8.º …

Obra de Churchill que pertencia a Angelina Jolie vendida por valor recorde

O quadro pintado pelo antigo primeiro-ministro britânico foi vendido por 8,3 milhões de libras. A pintura foi um presente de Winston Churchill para o presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, e agora foi leiloada …