Este casaco foi desenhado para nos ajudar a dormir em qualquer lado

A britânica Vollebak lançou um casaco, inspirado nos astronautas, que facilita a ideia de poder dormir, literalmente, em qualquer lado.

A pensar em todas aquelas pessoas que gostam de fazer uma sesta ou outra, independentemente do local em que se encontram (sim, o metro e o autocarro contam), a Vollebak lançou o apetrecho capaz de mudar uma vida.

Esta semana, a empresa britânica lançou um casaco, chamado Deep Sleep Cocoon, que facilita a ideia de poder dormir, literalmente, em qualquer lado. Segundo a Fast Company, tal como os outros produtos da marca, esta peça de roupa foi inspirada em imaginar como será o futuro e, neste caso, como pode desempenhar um papel na exploração espacial.

No espaço, não há ambiente para regular o ritmo circadiano e os astronautas têm muito pouco controlo sobre o ambiente em que se encontram. Os astronautas da Estação Espacial Internacional (EEI), por exemplo, passam por 16 amanheceres todos os dias.

“A ideia original veio dos astronautas. Quando Neil Armstrong e Buzz Aldrin voltaram ao Eagle para regressar à Terra, dormir estava fora de questão. O barulho das bombas enchia a pequena cabine, as luzes brilhantes não podiam ser diminuídas e até as cortinas das janelas estavam a brilhar devido à luz solar intensa que passava por elas. As condições de sono que tomamos como garantidas na Terra, tal como silêncio e escuridão, estão longe de o estar no espaço”, explica Steve Tidball, cofundador da Vollebak, à revista.

Por isso, os designers da Vollebak imaginaram um casaco que poderá servir como uma espécie de microhabitat, tendo criado aquilo que descrevem como um cruzamento entre um casulo e um fato espacial.

A parte exterior da peça de roupa é semelhante a um blusão comum: é feito de um material de três camadas à prova de água e à prova de vento. A grande diferença está no carapuço que, à primeira vista, até se assemelha a um capacete espacial.

Para além de poder ser dobrado sobre todo o rosto — mas deixando espaço suficiente à sua volta para que a pessoa que usa este casaco não se sinta claustrofóbica —, é feito de um material macio e confortável, para garantir um ambiente quente e aconchegante.

Tal como muitos outros produtos da empresa, o desenho do capuz foi inspirado na Natureza, neste caso no famoso bicho-da-conta. Este animal tem um exoesqueleto segmentado que cria uma barreira entre o inseto e o seu ambiente.

Apesar de parecer preto e opaco, na verdade, o carapuço é feito de um tecido de malha respirável que permite ao seu utilizador ver o que se está a passar no exterior. E tem espaço suficiente para usar headphones com cancelamento de ruído.

“Queremos que o Deep Sleep Cocoon seja uma espécie de placa ‘Não Incomodar’ num longo voo de avião: As luzes brilhantes desaparecem. Tudo fica mais silencioso. E as pessoas deixam-te em paz”, explica Tidball à mesma publicação.

Agora, a pior parte: o casaco está à venda por 895 dólares, cerca de 807 euros. Não sendo uma peça para todas as carteiras, podemos dizer com quase toda a certeza que muitas pessoas não se importariam de o ter no armário.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Hospitais com saldo negativo não podem comprar medicamentos. TdC diz que aplica a lei

Entre 2017 e 2019, o Tribunal de Contas (TdC) recusou vistos prévios a 35 contratos apresentados por vários hospitais para aquisição de medicamentos, bem como outros bens e serviços devido à falta de saldo. A notícia …

Castração química proposta pelo Chega viola o 1.º artigo da Constituição

De acordo com o Conselho Superior de Magistratura (CSM), a proposta do Chega para castrar quimicamente quem é condenado por abuso sexual de menores, em casos especialmente graves, viola dois artigos da Constituição da República …

Já são 50 os militares dos EUA com lesões cerebrais após ataque iraniano

O Pentágono anunciou, esta terça-feira, que 50 militares norte-americanos foram diagnosticados com lesões cerebrais traumáticas na sequência do ataque iraniano na base militar de Ain al-Assad, no Iraque. Na última sexta-feira, o porta-voz do Pentágono, Jonathan …

Republicanos não têm votos suficientes para travar novas testemunhas no julgamento de Trump

O líder do Partido Republicano no Senado disse, esta terça-feira, aos senadores que ainda não garantiu os votos para travar novas testemunhas no julgamento sobre a destituição de Donald Trump. O senador Mitch McConnell fez a …

Galpgate. Gestores da Galp vão a julgamento, mas políticos só vão ter de pagar multas

Os gestores da Galp ainda podem ir a julgamento pelas ofertas de bilhetes e viagens ao Euro 2016, mas os políticos que auferiram dos mesmos vão ver o processo arquivado mediante o pagamento de uma …

Partidos querem que o Parlamento controle injeções no Novo Banco

O PSD, Bloco de Esquerda (BE), PCP e PAN podem vir a aprovar uma alteração ao Orçamento do Estado deste ano para que novas injeções de capital no Novo Banco tenham de ser aprovadas pela …

Rafael Leão sobre Zlatan: "Costumava jogar com ele na Playstation, hoje fiz-lhe uma assistência"

O avançado de 20 anos fez o passe que permitiu a Zlatan Ibrahimovic fechar o resultado no triunfo (4-2) diante do Torino, num jogo a contar para os quartos-de-final da Taça de Itália. O AC Milan …

Antigo BPN ainda sai caro ao Estado (e a culpa é das "facturas" devolvidas pelo EuroBic)

A nacionalização do antigo BPN, no rescaldo da crise de 2008, continua a sair cara aos cofres do Estado. Os contribuintes portugueses ainda suportam gastos com conflitos que decorrem em Tribunal e com créditos tóxicos …

Francisco concorda com Passos. “CDS e PSD têm que erguer pontes em vez de erguer muros”

Francisco Rodrigues dos Santos, que no passado fim de semana foi eleito líder do CDS, disse que o PSD é o primeiro partido com quem quererá falar, propondo a construção de "pontes" em vez de …

"Insuficiente". Economistas dão nota negativa ao Orçamento no rigor e transparência

O Orçamento do Estado para 2020 recebeu a melhor nota desde 2010, no âmbito do Budget Watch, mas os 16 economistas que o avaliaram consideram que o documento continua a ser “insuficiente” em termos de …