Carnaval com brilho: uma ameaça para o meio ambiente

Carnaval sem purpurinas parece não fazer sentido. Mas o brilho indispensável a esta época do ano parece não ser tão inofensivo como pensávamos.

Depois de uma rede de creches britânicas ter proibido o uso de purpurinas e glitter, foram várias as entidades que se pronunciaram a favor de um proibição mundial – e algumas empresas estão, inclusivamente, a apresentar propostas biodegradáveis.

“Estamos a falar de microplásticos, partículas inferiores a cinco milímetros. A única maneira de saírem do corpo é no banho e não há nada que as retenha. Vão parar aos oceanos, tal como aquelas que são atiradas para o ar acabam por ir”, explicou ao Diário de Notícias a bióloga marinha Carla Rodrigues Lourenço.

Carla é responsável pela Straw Patrol, um projeto de sensibilização ambiental, que alerta para a problemática da poluição marinha.

Também Carla Graça, vice-presidente da Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável, disse ao jornal que, como as purpurinas se tratam de “produtos fúteis”, deveriam ser banidas. “Não vemos qualquer utilidade em usar um produto tóxico, com consequências muito negativas para o meio ambiente e para a saúde pública“.

A vice-presidente da associação defende as opções reutilizáveis ou com “garantia de biodegradabilidade e segurança em termos de toxicidade”.

Segundo Carla Lourenço, as purpurinas e o glitter – que já têm químicos na sua composição – absorvem os químicos poluentes da água do mar quando chegam aos oceanos e acabam por ser ingeridas pelos organismos mais pequenos, como o zooplâncton. “A partir daí vão escalando, acabando por entrar na alimentação humana”, explica ao DN.

É assim que microplásticos chegam aos pratos das pessoas. “Isto não é raro. Já acontece em Portugal”, refere a especialista, afirmando que um estudo recente demonstrou que um em cada cinco peixes com interesse comercial tem microplásticos no estômago.

Além das consequências destas partículas na saúde do ser humano – como alterações ao nível das hormonas que podem levar ao desenvolvimento de doenças – as estações de tratamento de águas residuais “não estão preparadas para tratar estes microplásticos”, destaca Carla Graça.

Há empresas que estão a medir os prós e os contras e a tentar arranjar alternativas, desenvolvendo purpurinas e glitter biodegradáveis. O Diário de Notícias dá o exemplo das marcas brasileiras Viva Purpurina Biodegradável e a Glitter Ecológico, que comercializam produtos não tóxicos, que não prejudicam os ecossistemas.

No entanto, Carla Lourenço destaca que este problema não se resume às purpurinas que usamos frequentemente no Carnaval. “Há muita cosmética que usa microplásticos.” Em 2015, os EUA proibiram o uso destas pequenas partículas de plástico em cosmética e produtos de higiene, nomeadamente em géis de banho, esfoliantes e maquilhagem.

Primeiro foram alguns estados nos Estados Unidos, em 2015, e depois o Reino Unido, este ano. Para já, é proibido o fabrico de cosméticos e produtos de higiene pessoal com microplásticos e, em julho, é proibida a venda dos mesmos.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria que nas matérias do ZAP tivesse a opção de poder compartilhar a notícia com o LinkedIn, pois existem matérias excelentes na área empresarial, política e econômica para serem compartilhadas com os contatos dessa rede e que por vezes acabam não sendo divulgadas.

RESPONDER

"Casa de animais". Escândalo sexual nos Dallas Mavericks abala NBA

O ex-presidente executivo da equipa da NBA foi acusado por várias funcionárias de assédio sexual, assim como o responsável pelo site da organização. Uma investigação levada a cabo pela Sports Illustrated revelou, esta quarta-feira, as práticas de …

Sporting vs Astana | Leão empata mas segue em frente

O Sporting cumpriu o esperado e apurou-se para os oitavos-de-final da Liga Europa, apesar de empatar com o Astana, em casa, por 3-3. Após uma primeira parte de alguns sustos, Bruno Fernandes “abriu o livro” após …

REN pode vir a pagar metade da fatura da tarifa social do gás

Esta quinta-feira, o jornal Público avança que o Governo quer que, em vez dos consumidores, sejam as "transportadoras" e "comercializadoras" a financiar a tarifa social do gás. A ERSE terá de adaptar as tarifas à …

Proteína BolA torna bactéria salmonela mais resistente

Uma equipa de cientistas portugueses está a estudar a proteína BolA, de forma a tentar combater o facto de a salmonela ser um dos grandes problemas existentes na atualidade, já que esta bactéria pode contaminar …

Presidente da Ford nos EUA demite-se por comportamento inadequado

Uma investigação interna concluiu que Raj Nair levou a cabo comportamento "inconsistente com o código de conduta da empresa". O Presidente da Ford nos EUA, Raj Nair, demitiu-se "com efeitos imediatos" depois de uma investigação interna …

PJ investiga contas bancárias de Bruno de Carvalho e de familiares

As contas bancárias de Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, estão a ser passadas a pente fino por investigadores da Polícia Judiciária, no âmbito das suspeitas em torno de eventuais "luvas" nas transferências de jogadores. A …

Rúben Semedo em prisão preventiva acusado de tentativa de homicídio

O futebolista português Rúben Semedo, internacional sub-21 que joga no clube espanhol Villarreal, vai ficar em prisão preventiva, a aguardar julgamento, depois de ter sido acusado de tentativa de homicídio. Um juiz do tribunal de Líria, …

Opositor russo Alexei Navalny detido um mês antes das presidenciais

O líder da oposição russa Alexei Navalny anunciou ter sido detido pela polícia em Moscovo, a menos de um mês das eleições presidenciais, para as quais apelou ao boicote. Através do Twitter, Navalny disse ter sido …

Com 13 anos, Jack não conseguiu jogar na lotaria (mas comprou uma arma)

Jack, um rapaz norte-americano de 13 anos, tentou, sem sucesso, comprar cerveja, cigarros, revistas para adultos ou até jogar na lotaria. Mas quando se tratou de comprar uma arma, conseguiu-o em menos de dez minutos. O …

PCP sozinho na luta contra o Acordo Ortográfico

PSD, PS, CDS e BE demarcaram-se, esta quarta-feira, do projeto de resolução do PCP, que pretende a desvinculação de Portugal do Acordo Ortográfico de 1990, ainda que admitam a necessidade de o aperfeiçoar. Na defesa do …