A famosa caixa de cartão para bebés da Finlândia vai mudar de nome

(dr) Kela

A caixa de cartão para os bebés Finlandeses

Entregue gratuitamente pelo governo a todas as famílias de recém-nascidos, a caixa de cartão recheada de produtos para bebés tornou-se um símbolo da igualdade na Finlândia e foi copiada em diversas partes do mundo.

A caixa, que é parte de uma política social que completa 80 anos no país nórdico, contém produtos usados nos primeiros meses dos bebés – roupas, fraldas, itens de higiene, livros e até brinquedos para morder. A caixa, que vem com um pequeno colchão, serve também como berço.

Por esse motivo, a agência estatal Kela, responsável pela distribuição das caixas, decidiu lançar um desafio aos finlandeses.

Devemos mudar o nome da caixa, conhecida como Kit de Maternidade“, questionou Kela no seu site. “Será que esse nome discrimina os pais? Ou é um nome tão bom que não devemos substituí-lo?”, acrescenta.

Enquanto a agência pediu ao público sugestões de nomes alternativos para a caixa, o assunto gerou um acalorado debate nas redes sociais.

Na página de Facebook do jornal Ilta-Sanomat, alguns leitores afirmam que mudar o nome seria “um desperdício de tempo e dinheiro”. Outros, porém, sugerem mudanças para nomes como “kit de bebé“, “kit de família” e até “kit de consequências pós-sexo”.

(dr) Milla Kontkanen

Bebé finlandês dentro da famosa caixa de cartão

Caixa ou dinheiro

As mães finlandesas podem escolher entre receber a caixa ou uma quantia em dinheiro, equivalente a cerca de 150 euros. Mas mais de 90% das mulheres optam pela caixa. A tradição começou em 1938 para beneficiar as famílias sem grandes recursos financeiros e generalizou-se em 1949.

A caixa teve um papel importante na redução da mortalidade infantil e no bem-estar dos bebés finlandeses, segundo observadores.

A razão principal para estas melhorias prende-se pelo facto de , inicialmente, a caixa ser apenas entregue às mães depois de uma visita médica, o que terá ajudado no crescimento do número de mães que acederam ao sistema de saúde finlandês nas décadas de 1930 e 40.

A ministra de Família da Finlândia, Annika Saarikko, disse ao Ilta-Sanomat que a ideia de mudar o nome da caixa surgiu ao debater-se um aumento de verbas para a iniciativa. “Uma mudança de nome certamente agradaria muitos pais”, afirmou a ministra.

Saarikko afirmou que a tónica da mudança no nome será colocado, não necessariamente na igualdade de género, mas sim na família. “Todos sentem alegria ao receber a caixa, inclusive o pai. Por isso pensamos na mudança de nome”.

Contudo, as declarações de Saarikko geraram polémica, num país em que muitas das crianças não nascem dentro da tradicional ideia de família.

O que quer dizer com kit da família?“, disse um usuário num comentário. “Nem todas as mães têm uma família antes de o bebé nascer”.

ZAP // Ciberia / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Cientista revela por que os mosquitos só picam a algumas pessoas

O cientista Joop van Loon revelou o motivo pelo qual os mosquitos costumam picar mais algumas pessoas do que outras. De acordo com o especialista, são os compostos químicos presentes na pele dos humanos que …

ESA prepara-se para intercetar pela primeira vez um cometa puro

A Agência Espacial Europeia (ESA) desenvolveu um projeto que visa intercetar um cometa puro - um corpo celeste que nunca passou pelo Sistema Solar -, quando este se aproximar da órbita da Terra em meados …

Astrónomos encontraram uma nova (e surpreendente) cratera em Marte

Marte não se "magoa" facilmente mas, quando acontece, o resultado pode ser quase comparado a uma obra de arte. Uma cratera, descoberta em abril pela sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), é a prova disso. Notável não só …

Elon Musk alerta: Civilização pode colapsar daqui a 30 anos

De acordo com Elon Musk, uma "bomba populacional" vai surgir nas próximas décadas, quando uma população mundial cada vez mais idosa chocar com a queda das taxas de natalidade em todo o mundo. Esta não é …

O mundo árabe está menos religioso. Mas continua homofóbico

Há cada vez mais árabes que dizem não ter religião. Esta é a principal conclusão de uma grande sondagem feita a mais de 25 mil cidadãos de países árabes pelo centro de pesquisa Arab Network …

Tina morreu durante 27 minutos e foi ressuscitada 8 vezes. Quando acordou, escreveu "é real"

Uma mulher norte-americana entrou em paragem cardíaca em fevereiro de 2018 quando se preparava para fazer uma caminhada com o seu marido Brian. Depois de desmaiar, Brian ressuscitando-a duas vezes antes de os paramédicos chegarem para …

"Homem-árvore" pede que as suas mãos sejam amputadas

Abul Bajandar, um homem de 28 anos do Bangladesh conhecido como "Homem-árvore" devido às incomuns verrugas que nascem nos seus membros, pediu que as suas mãos fossem amputadas para aliviar as dores insuportáveis.  Bajandar sofre de …

EUA. Senadores republicanos do Oregon fogem para não aprovar lei ambiental

Senadores estaduais do Oregon, nos Estados Unidos (EUA), encontram-se a monte desde quinta-feira para não votarem uma lei ambiental. Procurados pela polícia, voltaram este domingo a faltar a uma sessão legislativa, impedindo que haja quórum …

O planeta enfrenta um "apartheid climático"

O planeta está confrontado com um “'apartheid' climático”. De um lado, os ricos que se podem adaptar melhor às alterações climáticas, e do outro, os pobres que vão sofrer mais, disse esta segunda-feira um especialista …

Governo repõe 40 horas semanais para trabalhadores do CNB. Greve mantém-se

A partir de 1 de julho, os trabalhadores da Companhia Nacional de Bailado (CNB) voltarão às 40 horas semanais, numa uniformização laboral com os trabalhadores do Teatro Nacional de São Carlos. A decisão foi comunicada, esta …