A famosa caixa de cartão para bebés da Finlândia vai mudar de nome

(dr) Kela

A caixa de cartão para os bebés Finlandeses

Entregue gratuitamente pelo governo a todas as famílias de recém-nascidos, a caixa de cartão recheada de produtos para bebés tornou-se um símbolo da igualdade na Finlândia e foi copiada em diversas partes do mundo.

A caixa, que é parte de uma política social que completa 80 anos no país nórdico, contém produtos usados nos primeiros meses dos bebés – roupas, fraldas, itens de higiene, livros e até brinquedos para morder. A caixa, que vem com um pequeno colchão, serve também como berço.

Por esse motivo, a agência estatal Kela, responsável pela distribuição das caixas, decidiu lançar um desafio aos finlandeses.

Devemos mudar o nome da caixa, conhecida como Kit de Maternidade“, questionou Kela no seu site. “Será que esse nome discrimina os pais? Ou é um nome tão bom que não devemos substituí-lo?”, acrescenta.

Enquanto a agência pediu ao público sugestões de nomes alternativos para a caixa, o assunto gerou um acalorado debate nas redes sociais.

Na página de Facebook do jornal Ilta-Sanomat, alguns leitores afirmam que mudar o nome seria “um desperdício de tempo e dinheiro”. Outros, porém, sugerem mudanças para nomes como “kit de bebé“, “kit de família” e até “kit de consequências pós-sexo”.

(dr) Milla Kontkanen

Bebé finlandês dentro da famosa caixa de cartão

Caixa ou dinheiro

As mães finlandesas podem escolher entre receber a caixa ou uma quantia em dinheiro, equivalente a cerca de 150 euros. Mas mais de 90% das mulheres optam pela caixa. A tradição começou em 1938 para beneficiar as famílias sem grandes recursos financeiros e generalizou-se em 1949.

A caixa teve um papel importante na redução da mortalidade infantil e no bem-estar dos bebés finlandeses, segundo observadores.

A razão principal para estas melhorias prende-se pelo facto de , inicialmente, a caixa ser apenas entregue às mães depois de uma visita médica, o que terá ajudado no crescimento do número de mães que acederam ao sistema de saúde finlandês nas décadas de 1930 e 40.

A ministra de Família da Finlândia, Annika Saarikko, disse ao Ilta-Sanomat que a ideia de mudar o nome da caixa surgiu ao debater-se um aumento de verbas para a iniciativa. “Uma mudança de nome certamente agradaria muitos pais”, afirmou a ministra.

Saarikko afirmou que a tónica da mudança no nome será colocado, não necessariamente na igualdade de género, mas sim na família. “Todos sentem alegria ao receber a caixa, inclusive o pai. Por isso pensamos na mudança de nome”.

Contudo, as declarações de Saarikko geraram polémica, num país em que muitas das crianças não nascem dentro da tradicional ideia de família.

O que quer dizer com kit da família?“, disse um usuário num comentário. “Nem todas as mães têm uma família antes de o bebé nascer”.

ZAP // Ciberia / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …

Homicídios disparam na maioria das cidades norte-americanas durante a pandemia

O número de homicídios cometidos em solo norte-americano disparou na maioria das cidades do país na primeira metade de 2020, comparativamente com o mesmo período do ano passado, revela uma investigação do New York Times. …

Investigadores desenvolvem robô-cientista (e já descobriu um novo catalisador)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, construiu um robô-cientista móvel inteligente, que realiza experiências sem ajuda humana. O novo robô-cientista toma decisões sozinho e já descobriu um novo catalisador. Segundo a …

Sérgio Figueiredo deixa direção de informação da TVI

Sérgio Figueiredo saiu do cargo de diretor de informação da TVI, anuncia a estação de televisão em comunicado enviado às redações. A cessação de funções é efetiva a partir desta sexta (10) e põe fim a …

Dinamarca lança "passaporte covid-19"

O Governo da Dinamarca lançou o "passaporte covid-19", um documento que atesta que o portador do mesmo não teve um resultado positivo ao novo coronavírus recentemente. Deverá ser utilizado em viagens internas ou externas. De …

Mais oito mortes e 342 novos casos. Mais 305 pessoas dadas como recuperadas

Portugal regista este sábado mais oito mortes por covid-19 e mais 342 casos confirmados em relação a sexta-feira, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos …

Ainda há esperança para os gorilas mais raros do mundo. Foram fotografados com crias

Os gorilas do rio Cross, os mais raros do mundo, foram fotografados na Nigéria com algumas crias, aumentando a esperança para esta espécie de primatas. A fotografias foram divulgadas por uma organização não-governamental nigeriana, a …

"Já sofreu muito". Trump comuta pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comutou a pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone, que foi condenado em fevereiro a 40 meses de prisão, anunciou sexta-feira a Casa Branca. Roger …

Armas, droga, sucata e prostituição financiam neonazis portugueses (mas lucros não vão todos para a causa)

Os grupos neonazis portugueses são "bastante desorganizados" e financiam-se com dinheiro obtido em negócios ilícitos, como o tráfico de armas, de droga e de mulheres para prostituição e a sucata. Mas os ganhos obtidos não …

"Nem de perto nem de longe". DGS não recomenda reabertura de parques infantis

A reabertura de parques infantis não é “nem de perto nem de longe” recomendada pela Direção-Geral de Saúde (DGS), disse a diretora-geral que explicou que as crianças devem brincar no modelo de “bolhas familiares”. “Pela sua …