Britânico ficou sem a sua sanduíche na fronteira holandesa. “Bem-vindo ao Brexit”

21

Autoridades holandesas confiscaram alimentos, incluindo sanduíches, a viajantes que entraram na fronteira dos Países Baixos vindos do Reino Unido.

De acordo com a cadeia televisiva CNN, o episódio foi transmitido pela emissora pública holandesa NPO 1. Os funcionários na fronteira foram filmados a explicar a um motorista britânico, chegado à cidade de Hoek van Holland, onde fica um terminal de ferries, que, “desde o Brexit, não é permitido trazer alimentos para a Europa, como carnes, frutas, legumes, peixes”.

Um dos motoristas, que tinha sanduíches embrulhadas em papel de alumínio, pergunta mesmo se pode ficar com o pão e deixar a carne, mas um dos funcionários responde: “Não, será tudo confiscado. Bem-vindo ao Brexit, sinto muito”.

Tal como recorda o canal norte-americano, agora que o Reino Unido deixou o mercado único e a união aduaneira, as mercadorias que cruzam a fronteira estão sujeitas à alfândega e a outros controlos.

O Governo britânico já tinha lançado uma orientação destinada aos transportadores e motoristas comerciais, alertando-os de que agora não podem transportar para a UE “produtos de origem animal”, como é o caso dos que contêm carne ou laticínios.

“Os motoristas que viajam para a UE devem estar cientes das restrições adicionais às importações pessoais. (…) Se carrega itens proibidos na sua bagagem ou veículo, tem de os usar, consumir ou descartar na fronteira ou ainda antes dela”, lê-se.

A agência alfandegária holandesa também já tinha alertado, em novembro, os viajantes do Reino Unido para estas restrições, que entraram em vigor no primeiro dia de janeiro. “Produtos típicos como cheddar, creme coagulado e haggis escocês não serão mais permitidos”, escreveu na sua conta de Instagram.

A equipa na fronteira holandesa disse à NPO 1 que, assim que as restrições por causa da pandemia diminuírem, um maior influxo de viajantes também deverá traduzir-se num maior tempo de espera para aqueles que pretendem entrar no país.

  ZAP //

21 Comments

  1. O Boris que lhes pague a comida! Ou então passem a viajar para a América onde o amigo Trump, que lhe tinha prometido uma grande acordo comercial, acabou de ser destituído ums segunda vez! Agora com o Brexit penso que aquele idiota do Neil Farage devia ser impedido de entrar na Europa, sendo declarado “persona non grata”!

  2. Caros membros do ZAP. Apenas uma pequena correção.
    !Britânico ficou sem a sua sandes na fronteira holandesa. “Bem-vindo ao Brexit””

    Deveria ser sande e não sandes. Sandes é o plural de sande, muito embora o uso corrente já tenha praticamente legitimado a utilização de sandes independentemente de se tratar de uma ou várias unidades.

      • Aqui vai um erro muito comum de quem não sabe a origem do termo embora não comprovada .
        Não é nem sandes , nem sanduiche, mas sim Sandwich em memória a John Montagu, 4.º Conde de Sandwich.
        Esta história das traduções dos originais , tem muito que lhe diga . Conheço um inglês que se naturalizou português e do seu nome original Adrian , os serviços portugueses puseram-lhe o nome de Adrião ….

        • Perdeste, de facto, uma boa oportunidade de ficar calado. Os anglicanismos e os galicismos estão presentes um pouco por toda a língua Portuguesa. São muitos os exemplos.
          E sanduíche, sande e sandes existem mesmo no Dicionário de Português.
          https://dicionario.priberam.org/SANDU%C3%8DCHE

          Agora, sanduiche (sem acento… como refere o João) de facto… não existe.

  3. O ocorrido com um dos motoristas ingleses na cidade holandesa, quando teve sua bagagem, contendo produtos de origem animal e que devido a saída do UK – BREXIT – teve a sua refeição confiscada por fiscais da fronteira, nada de errado. Cumpre-se o Acordo ao pé da letra. A Britânia não se acovardou para os rudes romanos quando eles invadiram a Ilha; rechaçaram os nazistas e os derrotaram – o sonho de Hitler de destruir a velha Albion foi para os espaços. O Reino Unido tem uma Comunidade com cinquenta e três países espalhados por todos os continentes e não precisarão rogar a UE para a sua sobrevivência. O Reino Unido está no hanking tecnológico muito mais avançado,Enãoo do que França, Alemanha ,e os demais países do bloco continental.então vamos ¨para frente porque atrás vem gente¨ diz o adágio popular.É o que pensa joaoluizgondimaguiargondim – [email protected]

    • Oh, que lindo… deves ter-te esquecido de um pequeno “pormenor”: o Reino Unido já não é o Império Britânico!!
      Eles até para comer precisam da UE e, convém relembrar que foram eles que pediram por favor para entrar na EU (CEE) quando, nos anos 70, estavam falidos!!
      Depois foi sempre a pedir execções e ajudas especiais até ao Brexit…
      .
      Não quero estragar o “filme” mas, quem derrotou o Hitler foram, principalmente, os russos!…

  4. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Estou certo de que a sandes do sr. motorista não seria contrabando de alimentos. O excesso de Zelo em casos destes só provoca com que outras situações mais graves venham a acontecer (aposto que da próxima vez a sandes vai estar escondida num compartimento que ainda nem existe no veículo). Para a Holanda este tipo de notícias não abona em nada relativamente à sua tolerância (até porque legalmente é dúbio o que eles estão a fazer – roubar o almoço aos motoristas Britânicos?).

  5. Birrinhas de miúdos zangados, é o que mais parece! Será que a qualidade da carne tenha alterado com o divórcio? Imagine-se se lhes dá na cabeça de fazerem o mesmo com os chinocas, até máscaras para o Covid nos irão faltar tal a nossa dependência destes. Andamos a ser “governados” por “políticos” tipo frango de aviário!

  6. Será que olhar o passado faz tanto mal assim? Ah! vamos fazer uma campanha a nível mundial para que nenhum turista vá a Grécia; que a cultura apague todo acervo dos museus; que os arqueólogos parem de pesquisar a civilização egípcia com seus tesouros milenares; esqueçamos as crueldades do malígno nazista com seus campos de extermínio e racismo cruento; das insanidades do carrasco e Carniceiro do Cáucaso e seus campos de concentração na Sibéria; da tortura praticada na Santa Inquisição para queima de mais de cento e cinquenta mil “heréticos”. Sei que aterroriza olhar para uma figura como Tomás de Torquemada, e nojo em ver a cara de um covarde como Joseph Stalin; ou ter aversão em pronunciar os nomes de Benito Mussolini e Adolf Hitler. No amanhã da História teremos que nos lembrar deste grande presente Mal – PANDEMIA , COVID-l9. Temos que andar para frente, mas, com um pé atrás, em vez em quando. É o que pensa [email protected]

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.