Brexit tem sido uma “vacina” contra a propaganda anti-europeia, diz Tusk

1

PlatformaRP / Flickr

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, garantiu esta terça-feira que os resultados das eleições europeias do passado fim-de-semana mostram o apoio maciço dos europeus a uma União Europeia “forte e unida”.

No entender de Donald Tusk, citado pela agência de notícias Europa Press, o Brexit tem sido uma espécie de “vacina” contra a propaganda anti-europeia.

“Não tenho dúvidas de que uma das razões pelas quais as pessoas votaram numa maioria pró-europeia foi Brexit. O Brexit tem sido uma vacina contra a propaganda anti-europeia e contra falsas notícias”, argumentou Tusk em uma entrevista coletiva. em Bruxelas, no final da cimeira extraordinária.

Tusk mostrou-se agradado com o facto de uma “ampla maioria” ter escolhido em partidos que apostam numa Europa mais forte, considerando a votação como “um forte sinal” de que a Europa é a vencedora destas eleições.

No seu entender, até os partidos com tendência eurocética abandonaram os slogans anti-europeus, optando antes por se apresentar como “refomadores da União Europeia”.

Bercow não pretende deixar a Câmara dos Comuns

Também esta terça-feira, presidente da Câmara dos Comuns do Reino Unido, John Bercow, disse que não pretende deixar o cargo em breve, apesar das advertências dos defensores mais radicais do Brexit que acreditam que o líder tory poderia atrapalhar uma saída da União Europeia sem qualquer acordo.

Foi em declarações ao britânico The Guardian que Bercow esclareceu a sua posição: “Eu nunca disse nada sobre sair em julho deste ano”, apontou, observando que há “questões importantes para serem resolvidas” e, nesse sentido, diz não ser “sensato” deixar o cargo na Câmara dos Comuns. “Se eu tivesse a intenção de anunciar algo sobre o cargo, falaria no Parlamento em primeiro lugar”, rematou.

O Reino Unido ainda não finalizou os termos para a saída da União Europeia, cujo deadline está agora balizado para 31 de outubro. Com a saída da primeira-ministra Theresa May e a corrida pela sucessão, o debate já em aberto sobre o acordo reacendeu.

Candidatos como Boris Johnson, ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, defenderam a rutura com a União Euroepia com ou sem acordo, algo que Bercow se opõe.

  ZAP //

 

1 Comment

  1. faço questao de quando falo com britanicos ,puxar o assunto do brexit , a resposta dos que votaram a favor tem sempre uma razao racista ou de xenofobia ( alguns disseram que nao o diriam em publico ) estamos a assistir um retrocesso da civilizaçao

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.