/

Brasileiro mudou-se para Portugal, em 2021: “Lá o gasóleo estava muito caro”

ZAP

Relato de Reinaldo Moretti, que preferiu deixar Minas Gerais para viver em Portugal. Foi multado duas vezes só no último mês.

A subida inédita dos preços dos combustíveis em Portugal levou a que a gasolina e o gasóleo chegassem ao patamar, nunca visto, dos 2 euros. Ou ultrapassando mesmo a fasquia, em alguns casos.

Antes deste aumento considerável, causado pela guerra na Ucrânia, houve um brasileiro que decidiu mudar-se para Portugal por causa…do preço do gasóleo.

A BBC News Brasil cruzou-se com Reinaldo Moretti, que preferiu deixar Minas Gerais para viver em Braga.

Portugal já tinha sido o seu país de residência entre 2001 e 2005, ano em que regressou ao Brasil devido a problemas familiares.

Considera que o Brasil era um bom local para se morar até 2010: “Naquela época, a economia estava boa e aproveitei para comprar um camião”.

Mas depois o cenário mudou: “Foi só afundar, a economia. Como tenho amigos que moram aqui em Espanha, Itália, Holanda e Inglaterra, eles sempre diziam para eu voltar”.

A inflação e sobretudo o aumento do preço dos combustíveis estavam a dificultar a sua vida no seu país natal: “O camião estava a afundar-me em dívidas. Mesmo sem gastar dinheiro à toa e sem ter vícios, eu pagava muito pelo diesel e para fazer a manutenção do veículo. Pensei que eu precisava me desfazer do camião o quanto antes”.

“Fiquei desanimado e desfiz-me do camião para vir para Portugal. Usei o dinheiro para pagar todas as contas e dívidas. Depois da venda, fui trabalhar como empregado numa empresa, a transportar leite, até conseguir viajar”, relatou o brasileiro de 53 anos.

Convencido pelos amigos, que também sublinhavam a diferença no câmbio entre real e euro, Reinaldo passou a morar em Braga, em Outubro de 2021.

Reinaldo considera que a vida em Portugal é “muito melhor” do que a vida no Brasil.

Mas deixou um aviso: “Quem vem sem emprego garantido precisa de estar preparado. É necessário trazer bastante dinheiro porque o custo de vida é alto. E o meu conselho é vir para ficar legalizado porque é demasiado chato passar por uma situação destas. Não posso nem fazer uma entrega internacional sob o risco de ser preso”.

Reinaldo estava a falar sobre os entraves que tem encontrado. A sua passagem pelo Minho não tem sido totalmente sossegada: como os seus documentos para estar na Europa já tinham expirado, não pode sair de Portugal, mesmo em trabalho.

Por isso, tem ficado por Braga mas, no último mês, já foi multado duas vezes: uma por não ter frequentado o curso obrigatório para camionistas e outra por não ter um tacógrafo, que permite controlar as viagens dos camionistas.

O próprio Reinaldo admite que está a arriscar ao trabalhar assim, sem todos os requisitos – e o risco já lhe valeu coimas de 1.100 euros, só nestes dois casos.

Além disso, quando o brasileiro se mudou para Portugal, o preço do gasóleo não se aproximava sequer dos 2 euros, tal como agora.

No entanto, e como refere o artigo, se Reinaldo ainda estivesse no Brasil, “levaria um novo susto”. – a Petrobras anunciou o aumento do preço do diesel em 8,87%, concretizado nesta terça-feira.

Por fim, a vontade de voltar para o Brasil, apesar de gostar de Portugal: “A minha esposa está no Brasil. Falta um ano e meio para ela se aposentar e os pais dela também vivem lá. Eu tenho muitos factores que me fazem querer voltar para o Brasil”, admitiu.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE