Bitcoin pode comprometer o ambiente

Segundo um novo estudo, a utilização de energia na criação da criptoeda Bitcoin pode causar um aumento de 2 graus Celsius nas temperaturas globais dentro de 20 anos.

A Bitcoin pode ser responsável por um enorme aumento no uso de eletricidade. O novo estudo publicado no dia 29 de outubro na Nature Climate Change estudou o impacto que a Bitcoin poderá ter para o meio ambiente.

Considerando que a Bitcoin é apenas uma das várias criptomoedas emergentes e que todas elas são processadas em computadores e servidores por todo o mundo, podemos estar a colocar um risco o ambiente através destes sistemas de pagamento descentralizados.

Pesquisadores da Universidade do Havaí, em Mānoa, fizeram uma projeção sobre a quantidade de eletricidade que a Bitcoin poderia exigir se a criptomoeda começasse a ser utilizada em massa – as conclusões dessa estimativa para os próximos 20 anos foi chocante para os investigadores.

Caso o uso da Bitcoin crescesse na sua utilização à mesma velocidade que outras tecnologias emergentes como os cartões de crédito e os smartphones fizeram, o planeta Terra poderia assistir a um aquecimento global de 2 graus Celsius já em 2033.

“Atualmente, as emissões de transporte, moradia e alimentação são consideradas os principais contribuintes para as mudanças climáticas em curso”, disse um dos integrantes da equipe, Katie Taladay.

Para os investigadores, esta pesquisa mostra que a Bitcoin deveria ser adicionado a essa lista de contribuintes. As recompensas financeiras podem ser substanciais para quem aposta nesta moeda, mas o custo ambiental está a começar a surgir.

A verificação das transações no blockchain requer uma série de cálculos intensivos: os profissionais atuais usam uma panóplia de servidores, que funcionam sem parar, para quebrar os códigos necessários.

O poder necessário para validar uma única transação pode ser suficiente para fornecer energia a uma casa por um mês inteiro, de acordo com alguns cálculos.

“O Bitcoin é uma criptomoeda com requisitos pesados ​​de hardware, e isso obviamente traduz-se em grandes exigências de eletricidade“, diz um dos elementos da equipa, Randi Rollins.

Os investigadores analisaram a eficiência energética de computadores normalmente usados ​​para gerar a Bitcoin, a localização geográfica das operações e as emissões de CO2 envolvidas na utilização de eletricidade nesses países.

A conclusão é que a o impacto já se faz notar: o uso das Bitcoins em 2017 foi responsável por cerca de 69 milhões de toneladas métricas de emissões de CO2.

A equipe analisou o crescimento da adoção de mais de 40 tecnologias diferentes – incluindo televisões, lava-louças, internet, rádio, refrigeradores entre outras para descobrir com que rapidez a Bitcoin poderia ser massificada.

Especialistas questionam resultados

Vários especialistas em criptomoedas têm questionado os resultados da equipe, afirmando que é improvável que a Bitcoin siga o caminho de crescimento de outras tecnologias e que os dados são baseados em “suposições ingénuas”.

Alguns especialistas chegaram a rotular o estudo como sendo “notícias falsas”, apontando para o número total fixo de Bitcoins – eventualmente, todas as moedas serão geradas e emitidas, deixando de haver a necessidade de gerar mais.

Muitas outras variáveis ​​entram também em equação, incluindo a maneira como a eletricidade é gerada de país para país e como esta é usada pelos geradores de Bitcoin.

Portanto, antes que essa terrível previsão de aumento de temperatura se concretize, podemos esperar iniciativas para tornar a mineração da criptomoeda mais sustentável no uso de energia.

“Com a crescente devastação criada por condições climáticas perigosas, a humanidade está a chegar a um acordo com o facto de que a mudança climática é real e pessoal”, disse um dos elementos da equipe, Camilo Mora.

“Qualquer desenvolvimento adicional nas criptomoedas deve visar a redução da utilização de eletricidade, caso as consequências potencialmente devastadoras queiram ser evitadas”, concluiu Camilo Mora.

PARTILHAR

RESPONDER

As ilhas havaianas atingem o jackpot da longevidade (e já se sabe porquê)

As ilhas vulcânicas não duram para sempre, mas há algumas que atingem o jackpot da longevidade. De acordo com uma nova investigação, a explicação prende-se com dois fatores: a velocidade da placa tectónica e o …

Uma inexplicável explosão de ondas gravitacionais atingiu a Terra (e atordoou os astrónomos)

Uma equipa de investigadores detetou uma misteriosa explosão de ondas gravitacionais, cuja natureza deixou os astrónomos totalmente perplexos. O fenómeno foi registado a 14 de janeiro deste ano pelo Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferómetro Laser …

O mar interno da misteriosa Encélado "grita" habitabilidade

Uma equipa de especialistas desenvolveu um novo modelo geoquímico que revela que o dióxido de carbono do interior de Encélado, lua de Saturno que abriga um oceano, pode ser controlado através de reações químicas no …

Os Simpsons podem ter previsto o surto do novo coronavírus da China

A série de televisão animada "Os Simpsons" é conhecida por ter feito profecias que, com o passar do tempo, se tornaram mesmo realidade. Agora, os fãs do programa parecem ter encontrado um episódio que prediz …

Identificada nova espécie de dinossauro que viveu há mais de 150 milhões de anos

Paleontólogos identificaram, nos Estados Unidos, uma nova espécie de dinossauro do género dos alossauros, que viveu há mais de 150 milhões de anos. A espécie, que tem o nome de Allosaurus jimmadseni, foi identificada a partir …

Escorpião com 436 milhões de anos foi dos primeiros animais a pisar a Terra

Cientistas descobriram um escorpião com 436 milhões de anos que terá sido um dos primeiros animais da Terra a migrar dos habitats aquáticos para os terrestres. Foram encontrados dois fósseis da espécie num antigo mar tropical …

Bruno de Carvalho disposto a liderar SAD do Sporting com Varandas

O ex-presidente do Sporting admitiu, esta sexta-feira, estar disposto a liderar a SAD do clube, mesmo com Frederico Varandas como presidente. No seu comentário semanal na Rádio Estádio, Bruno de Carvalho disse estar disposto a regressar …

A Inteligência Artificial teria resolvido o mistério da fuga de Alcatraz

Um programa de Inteligência Artificial (IA) poderia ter resolvido o mistério da fuga dos irmãos irmãos John e Clarence Anglin e Frank Morris da prisão de Alcatraz, que foi considerada uma das mais seguras dos …

Mais de 30 militares dos EUA ficaram com lesões cerebrais após ataque iraniano

Mais de 30 militares norte-americanos ficaram com lesões cerebrais traumáticas na sequência do ataque iraniano na base militar de Ain al-Assad, no Iraque. 34 militares norte-americanos ficaram com lesões cerebrais traumáticas na sequência do ataque levado …

Homem que torturou suspeitos de planear o 11 de setembro diz que o voltaria a fazer

James Mitchell torturou os cinco suspeitos de terem planeado o ataque de 11 de setembro de 2001. Em tribunal, disse que não tem remorsos e que o voltaria a fazer. James Mitchell foi o psicólogo responsável …