Benfica vs Nacional | Goleada para a história

Mário Cruz / Lusa

O Benfica ganhou terreno para o líder, o FC Porto, ao esmagar o Nacional da Madeira por uns expressivos 10-0.

A goleada começou a ser construída logo aos 35 segundos, mas só ganhou contornos verdadeiramente avassaladores no decorrer da segunda parte, na qual os “encarnados” marcaram por sete vezes.

Ao todo, foram oito jogadores a marcar, mas o destaque vai por inteiro para o médio Pizzi que, com um golo apontado, três assistências e quatro ocasiões flagrantes criadas, chegou ao 10.0 nos  GoalPoint Ratings.

O Jogo explicado em Números

  • Início de sonho por parte da equipa do Benfica, que fez o 1-0 logo no primeiro minuto de jogo, num remate de Grimaldo a passe de Seferovic, que passou a bola pelo meio das pernas de Júlio César. A equipa da casa “respirava” confiança com o golo madrugador e esteve perto do 2-0 ainda antes do quarto-de-hora, mas Daniel Guimarães negou o golo a Pizzi com uma grande defesa. Curiosamente, o Nacional fechou este período inicial do desafio com mais posse (56%) e trocas de bola (70-55) do que o adversário.
  • Os 15 minutos seguintes do desafio pertenceram a Seferovic, que marcou por duas vezes, primeiro a passe de João Félix, após um cruzamento rasteiro de André Almeida, elevando a sua conta pessoal para 13 golos no campeonato. Início absolutamente demolidor das “águias”, que somavam sete remates, todos eles de dentro da área, à passagem do minuto 30.
  • A diferença entre as duas equipas notava-se também na frequência com que os guarda-redes eram chamados a actuar. Aos 35 minutos, Vlachodimos era o jogador “encarnado” com menos passes e menos acções com bola (apenas três). Daniel Guimarães, por sua vez, tinha o maior número de passes da sua equipa, 17, e só perdia para Kalindi em termos de toques na bola.
  • A cinco minutos do final da primeira parte, Seferovic, Pizzi e João Félix disputavam a liderança no que toca a passes para finalização, cada um com dois. Gabriel, por sua vez, dava nas vistas pela sua capacidade de disputa, com seis duelos ganhos em oito disputados.

Mário Cruz / Lusa

  • Primeira parte de sentido único e com o Benfica a dominar em praticamente todas as vertentes do jogo, perdendo para o adversário apenas em número de duelos ganhos (19-32) e de faltas cometidas (8-4).
  • A equipa “encarnada” dominava a partida a seu bel-prazer e não mostrava sinais de querer abrandar, com Seferovic na liderança nos GoalPoint Ratings, nota 7.8, graças a dois golos em três remates, todos eles enquadrados, e dois passes para finalização, um deles uma ocasião flagrante.
  • A segunda parte trouxe mais do mesmo, com dois golos logo nos instantes iniciais, o primeiro por João Félix, que surgiu ao segundo poste a cabecear para o fundo da baliza após cruzamento de Pizzi, que viria a marcar pouco depois na conversão de uma grande penalidade por ele conquistada após falta de Kalindi.
  • Pouco depois surgiu a “meia dúzia” de golos após um cabeceamento certeiro do jovem Ferro, que deu o melhor destino a um pontapé de canto cobrado por Pizzi. O Benfica completou os primeiros 15 minutos da segunda parte com quatro remates, todos eles à baliza, contra dois do adversário, um deles enquadrado, 67% de posse e 91% de eficácia de passe – números que não deixavam margem para dúvida quanto ao domínio dos homens de Bruno Lage.
  • A goleada ganhou contornos ainda mais expressivos aos 64 minutos, com o 7-0, de autoria de Rúben Dias, que cabeceou a bola para o fundo das redes após mais um livre “venenoso” de Pizzi, a que a defesa do Nacional não conseguiu responder. Segundo golo no campeonato do defesa português, que ainda só falhara um passe desde o início do desafio.
  • O Nacional chegou aos 70 minutos sem uma única acção com bola na área contrária no decorrer da segunda parte. Nessa altura, só três jogadores da equipa madeirense chegavam à dezena de passes para o meio-campo adversário, sendo um deles o guarda-redes Daniel Guimarães.
  • A dez minutos do fim, Pizzi liderava destacado a lista dos jogadores com mais passes para finalização, com seis, mais dois do que a equipa inteira do Nacional. Para além disso, o camisola 21 benfiquista dava nas vistas com 31 passes para o meio-campo adversário, 25 deles com sucesso.
  • Ainda antes do sopro final houve tempo para mais três golos, dois deles do recém-regressado Jonas, que marcou de livre e numa brilhante jogada individual, aproveitando a passividade da defesa nacionalista, e o outro de Rafa Silva, que combinou com Pizzi já dentro da área insular antes de rematar para o fundo das redes.
  • Os números deixam bem expressos o “rolo compressor” que foi a equipa “encarnada” no segundo tempo: 14 remates, dez deles enquadrados, 73% de posse, 88% de eficácia de passe e ainda três pontapés de canto, tendo o Nacional conseguido apenas uma acção com bola na área contrária após o intervalo.

O Homem do Jogo

Tarde de sonho de Pizzi, que valeu ao médio benfiquista o primeiro 10.0 da época nos GoalPoint Ratings a contar para o nosso campeonato. O português marcou apenas um golo, numa grande penalidade por ele conquistada, e esteve na génese de três outros tentos (n.d.r.: a Opta não atribui assistência ao golo apontado por Rúben Dias). Ao todo, Pizzi somou oito passes para finalização, apenas menos um do que o resto da sua equipa, quatro deles para ocasiões flagrantes, recuperou a posse nove vezes e foi o autor de três acções defensivas. Uma exibição de gala.

Jogadores em foco

  • Rúben Dias 8.3 – Voltou a festejar um golo, uma semana após ter marcado no dérbi da capital. Não falhou um único dos seus 57 passes curtos e foi feliz em seis das suas nove bolas longas, quatro delas para o último terço do campo.
  • Jonas 7.4 – De regresso aos relvados, o brasileiro voltou a fazer aquilo que sabe melhor: golos. Foram dois, em três remates enquadrados, acabando ainda por desperdiçar uma ocasião flagrante.
  • João Félix 6.9 – Fez um golo e rubricou uma assistência, num dos três passes para finalização da sua autoria. Completou apenas 16 passes, 13 dos quais eficazes, e sofreu três faltas, mais do qualquer outro jogador “encarnado”.
  • Florentino Luís 6.2 – Entrou a 30 minutos do fim e deu nas vistas com seis desarmes, o máximo da noite. Errou apenas dois passes em 30.
  • Kalindi 2.8 – Noite para esquecer do lateral nacionalista, que errou 12 passes em 30, sete deles no seu próprio campo, perdeu a posse 21 vezes, consentiu dois dribles e cometeu uma grande penalidade.

Resumo

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Nova tecnologia militar aquece as mãos em temperaturas negativas sem luvas

Cientistas do exército norte-americano criaram uma tecnologia capaz de aquecer as mãos dos soldados em baixas temperaturas sem serem necessárias luvas. Se completar uma tarefa do dia-a-dia com luvas pode revelar-se complicado, imagine-se tentar recarregar uma …

Os animais começaram a fazer sons para poderem conversar no escuro

O reino animal está cheio de diferentes vocalizações. A produção sonora apareceu há entre 100 milhões e 200 milhões de anos e a sua origem está fortemente ligada à vida no escuro. Os vertebrados são animais …

O novo líder do CDS reclama uma nova direita (e quer um partido "sexy")

Francisco Rodrigues dos Santos sagrou-se este domingo o 10º presidente do CDS, reclamando no seu discurso de vitória a herança de todos os seus antecessores, desde o fundador, Freitas do Amaral, a Assunção Cristas. O tom …

Paços 0 - 2 Benfica | “Águia” não vacila e passa pressão

O Benfica foi a Paços de Ferreira vencer por 2-0, colocando pressão sobre o FC Porto, segundo classificado, que na próxima terça-feira recebe o Gil Vicente. A formação “encarnada” foi superior na maioria dos principais momentos …

Governo reabre processo para corrigir mapa das freguesias

O Governo reabriu o processo para a correção ao mapa de freguesias, num compromisso com as associações de municípios e de freguesias, anunciou o secretário de Estado da Descentralização e Administração Local, Jorge Botelho. “Iremos retomar …

Google cria modelo de cérebro mais detalhado (e com maior resolução) de sempre

A recriação 3D do cérebro de uma mosca da fruta - que mostra 20 milhões de sinapses e 25 mil neurónios - é a que tem a maior resolução até ao momento. Uma equipa de …

Morreu Kobe Bryant, uma das maiores estrelas de sempre da NBA

Kobe Bryant, um dos maiores basquetebolistas de sempre, morreu na manhã deste domingo em Calabasas, Califórnia, num desastre de helicóptero. De acordo com a TMZ, Bryant viajava com, pelo menos, três outras pessoas num helicóptero privado, …

Há seis queixas de violência policial por semana

Em Portugal, são apresentadas em média seis queixas semanais por violência policial, escreve o semanário Expresso na sua edição deste fim-de-semana, citando os dados mais recentes da Procuradoria-Geral da República. De acordo com os números, relativos …

CRISPR tornou galinhas resistentes a um vírus comum

A técnica de edição genética CRISPR tem sido usada para tornar as galinhas resistentes a um vírus comum, uma abordagem que poderia aumentar a produção de ovos e de carne em todo o mundo. Mesmo quando …

A Cybertruck de Musk poderá ser "incrivelmente barata" de produzir

A Cybertruck de Elon Musk, CEO da Tesla e da Space X, pode ser "incrivelmente barata" de produzir graças à sua inovadora tecnologia de carroçaria, afirmou um especialista em entrevista à Autoline Network. O engenheiro Sandy …