Bastonária dos Enfermeiros pede investigação a contratos de contentores no São João

Tiago Petinga / Lusa

Ana Rita Cavaco, Bastonária da Ordem dos Enfermeiros

A bastonária dos Enfermeiros pede às autoridades que investiguem os contratos entre o Hospital São João e as empresas que fornecem os contentores onde estão instaladas a pediatria e a neurocirurgia.

Em entrevista à agência Lusa, Ana Rita Cavaco refere que “o nome das empresas contratadas muda sistematicamente”, mas “a pessoa é sempre a mesma”.

A bastonária dos Enfermeiros refere-se a contratos de aluguer celebrados entre o Hospital de São João e empresas que fornecem os contentores onde estão alojados os serviços de neurocirurgia e a pediatria.

“Aqueles contentores custam milhares de euros por mês ao Estado. Se calhar já tínhamos construído outro hospital de São João ao longo destes anos com aquele dinheiro. O mais engraçado é olhar para o nome das empresas a quem os contentores são contratualizados. A pessoa é sempre a mesma, mas o nome da empresa muda sistematicamente”, afirmou Ana Rita Cavaco.

A bastonária lembra que se trata de dinheiro de todos os contribuintes e por isso pede às autoridades que investiguem. “Nesta altura, em que falamos tanto de corrupção e que há eventualmente processos pouco transparentes, gostava que alguém fosse investigar esta questão”, refere.

Segundo o portal da contratação pública, o Centro Hospitalar de São João estabeleceu em 2016 contratos por ajuste direto para “renovação dos serviços de aluguer de contentores” no valor acima de 390 mil euros. Em 2017, os contratos de aluguer de contentores atingiram cerca de 700 mil euros.

Os contentores instalados no hospital de São João têm sido alvo de polémica, sobretudo depois das denúncias de falta de condições de atendimento e tratamento de crianças com doenças oncológicas.

Taxa de absentismo de enfermeiros atinge valor histórico

Na mesma entrevista, a bastonária referiu ainda que a taxa de absentismo dos enfermeiros atingiu o “valor histórico” de 12%, denunciando situações de exaustão e de profissionais que chegam a não conseguir comer ou ir à casa de banho.

“Numa classe isto é elevadíssimo e temos de perceber o que se passa”, comentou, indicando que peritos internacionais, que há poucas semanas estiveram em Portugal, alertaram para a “falta de muitíssimos enfermeiros”.

Ana Rita Cavaco assume que os profissionais estão “muitíssimo desmotivados” e que a taxa de absentismo reflete muito a “forma como são tratados e as condições de trabalho”, além da exaustão.

“São profissionais altamente qualificados que levam para casa menos de mil euros por mês. Quando o salário mínimo for de 600 euros, provavelmente para o ano, vamos estar a pagar aos enfermeiros dois salários mínimos ilíquidos. Isso devia envergonhar o país”, afirmou Ana Rita Cavaco.

A Ordem calcula que faltem no sistema de saúde cerca de 30 mil profissionais, 20 mil no Serviço Nacional de Saúde (SNS), onde atualmente trabalham cerca de 41 mil. Há 15 mil enfermeiros a trabalhar no estrangeiro e Ana Rita Cavaco sublinha que todo os anos a saída de profissionais está a aumentar.

“Em Portugal, os enfermeiros não são bem tratados pelo Governo ou pelas instituições. Passa-se o contrário. São coagidos, ameaçados. Lá fora, dão-lhes formação e oportunidade de subir numa carreira. É evidente que se vão embora”, disse.

Situação semelhante acontece com as saídas para o setor privado, nomeadamente com os enfermeiros especialistas que não recebem um ordenado diferenciado no SNS, mas são mais bem pagos no privado. Ana Rita Cavaco volta a denunciar que “há pessoas internadas nos serviços que estão em risco”, devido à escassez de profissionais.

Há normas com critérios internacionais para a quantidade de enfermeiros de acordo com cada tipo de serviço e tipologia, mas a bastonária sublinha que “nenhum serviço em Portugal cumpre essas normas”, à exceção de alguns cuidados intensivos.

E é para cumprir essas “regras de segurança” que a Ordem indica que faltarão 30 mil enfermeiros no sistema de saúde em português. A média indicada pela OCDE é de 9,2 enfermeiros por mil habitantes, quando em Portugal são 6,2 por mil habitantes e, no SNS, 4,2 por mil habitantes.

“Isto põe Portugal na cauda de tudo, atrás da Letónia, da Estónia, da Eslovénia”, comenta Ana Rita Cavaco. A bastonária socorre-se de exemplos para ilustrar a “carência brutal” de enfermeiros.

“Se tenho um serviço de medicina com 40 camas e numa manhã tenho dois ou três enfermeiros, vamos ser sérios… há muita coisa que fica por fazer. Não é possível vigiar as pessoas como devia ser. Estamos a fingir que prestamos cuidados e a culpa não é dos enfermeiros, que fazem o melhor que podem. Chegam a não comer, a não ir à casa de banho, isto é desumano”, descreveu.

A bastonária assume que tem “muito medo de chegar a velha e dependente” nas atuais condições do SNS. O financiamento e a forma como é gerido o SNS deve ser um dos temas centrais do Congresso da Ordem dos Enfermeiros, que decorre de sexta-feira a domingo, em Lisboa, com a organização a estimar a presença de cerca de mil pessoas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. É bem!
    E, já agora, não se esqueçam de investigar também esta suposta enfermeira e todos os esquemas onde, alegadamente, está envolvida!…

RESPONDER

Merkel fará a sua primeira visita ao antigo campo de concentração de Auschwitz

A chanceler alemã, Angela Merkel, pretende visitar o antigo campo de concentração nazi de Auschwitz na Polónia, pela primeira vez nos seus 14 anos no cargo, anunciou na quinta-feira um jornal de Munique. Segundo Sueddeutsche Zeitung, …

Bebé encontrado no lixo já está com uma família de acolhimento

O bebé encontrado num ecoponto, no início do mês, e que esteve até quinta-feira hospitalizado, já está com uma família de acolhimento, informou a Santa da Misericórdia de Lisboa esta sexta-feira. A instituição refere numa nota …

Fisco vai controlar declarações de IRS de beneficiários do programa "Regressar"

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai desenvolver mecanismos para verificar se os contribuintes abrangidos pelo regime fiscal do programa "Regressar" reúnem as condições exigidas, prevendo-se que parte desse controlo ocorra com a entrega da declaração …

Greta Thunberg vai de Lisboa a Madrid num carro elétrico emprestado por Espanha

A Junta da Extremadura, região espanhola, disponibilizou um carro elétrico à jovem ativista sueca Greta Thunberg para que possa viajar de Lisboa para Madrid para assistir à Cimeira do Clima respeitando o meio ambiente, adiantou …

Enfermeiros garantem voltar à luta com os 200 mil que sobraram do crowdfunding

Os enfermeiros, que no ano passado iniciaram o "Movimento Greve Cirúrgica", pretendem voltar às ações de protestos com os cerca de 200 mil euros que restaram da campanha de crowdfunding. A intenção é revelada por …

OCDE: Nova crise pode tirar metade do rendimento às famílias portuguesas

Uma nova crise económica e financeira a nível global pode ter efeitos dramáticos para as famílias portuguesas, levando à perda de metade dos seus rendimentos. Esta é a previsão da Organização para a Cooperação e …

O cofre da rica mãe, heranças às dúzias e a vida "sem luxos". O que Sócrates disse a Ivo Rosa

Foram cerca de 20 horas de interrogatório no âmbito da Operação Marquês, em que José Sócrates manteve, perante o juiz Ivo Rosa, a versão de que as avultadas quantias de dinheiro que gastou nos últimos …

Associados podem ser chamados a resolver "buraco" do Montepio

Os cerca de 630 mil associados e pensionistas da Associação Mutualista Montepio Geral correm o risco de virem a ser chamados para resolver as perdas da instituição financeira, escreve o jornal Público. De acordo com o …

Bolívia divulga vídeo que sugere que Morales incitou bloqueios à entrada de alimentos

Arturo Murillo, ministro do Governo da Bolívia, divulgou na manhã de quarta-feira um vídeo que sugere que o antigo presidente do país, Evo Morales, incitou os bloqueios à entrada de alimentos que fragiliza o país. Os …

Christine Lagarde foi conselheira de duas empresas sediadas em paraísos fiscais

Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE) desde outubro, foi conselheira de duas filiais da empresa de advocacia Baker & McKenzie (BM) entre 2003 e 2005, ambas sediadas em países considerados à data paraísos …