Bancários também querem ganhar mais e ameaçam fazer greve

Num altura em que decorrem as greves dos motoristas e dos trabalhadores dos Registos e Notariado, o Sindicato dos Bancários alerta que pode também “fazer greve por tempo indeterminado”, caso os Bancos não cedam à pretensão de aumentos salariais.

Esta ameaça é feita pelo presidente do Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB), Paulo Marcos, em entrevista na edição impressa do jornal i. A confirmar-se o cenário de greve dos bancários, será a primeira em 30 anos.

O responsável sindicalista lamenta a intransigência dos Bancos em negociar as propostas apresentadas pelo SNQTB, pelo Sindicato dos Bancários do Norte e pelo Sindicato Independente da Banca (SIB).

“Os bancários ainda não tiveram aumentos reais neste milénio“, refere Paulo Marcos, salientando que face ao clima financeiro “bastante mais favorável do que era há um ou há dois anos”, “os Bancos tinham margem para serem mais generosos” com os seus trabalhadores.

Destacando os “pequenos avanços” conseguidos pelos Sindicatos, Paulo Marcos alerta que a “bomba atómica” está do lado deles, caso os Bancos mantenham a mesma intransigência na nova ronda negocial marcada para 4 de Setembro.

O sindicalista refere que as alterações que foram feitas ao Código de Trabalho deixaram os trabalhadores numa “posição bastante desfavorável”. “Um trabalhador bancário médio sofreu uma erosão muito forte no salário derivada da inflação na casa dos 11 pontos percentuais”, queixa-se.

Além desse factor, Paulo Marcos refere a “produtividade” e “rendibilidade dos bancos” e o “desempenho dos fundos de pensões” como factores que devem ser tidos em conta para melhorar as condições salariais dos trabalhadores.

Entre as reivindicações dos Sindicatos está ainda a recuperação de direitos perdidos no tempo da Troika, nomeadamente “a possibilidade de o trabalhador que é alvo de assédio pedir e ser concedida a hipótese de deslocar o seu local de trabalho”, a “assistência aos ascendentes com doenças oncológicas sem que isso se traduza numa penalização” e a “reintrodução do prémio de antiguidade”, como destaca Paulo Marcos.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Este Paulo Marcos é um artista! só vê dinheiro à frente, de preferência a entrar no seu bolso. Mete amigos a gerir tudo o que seja relacionado com o SNQTB, alguns nem fazem nada e ainda passam faturas por trabalho nao prestado , aumenta-se a si proprio em diversas funcoes que tem que estar presente pelo SNQTB, e ainda vem com esta conversa de querer aumentos como se ele e os restantes membros do SNQTB nao fossem bancários e como se o SNQTB nao recebesse uma percentagem do ordenado dos bancários. Espero bem que em DEzembro outra lista seja eleita e a cambada de incompetentes da equipa do PM seja corrida. Refiro-me claramente aos reformados que estao a encher os bolsos e que tem atitudes muito pouco dignas perante mulheres quer do sindicato quer de empresas que era ligadas ao sindicato mas também a outros dirigentes do SNQTB que continuam a receber belissimos ordenados sem fazer praticamente nada. uma vergonha esta gente miserável e incompetente.

RESPONDER

Juventus reforça liderança em Itália com bis de Ronaldo

Dois golos de Cristiano Ronaldo deram a vitória à Juventus, este domingo, na receção ao Parma (2-1), na 20.ª jornada da Liga italiana, com os campeões em título a reforçarem a liderança no campeonato. Frente à …

Salvini tem trunfo na manga para pedir novamente eleições antecipadas

Uma vitória da Liga nas eleições regionais de Emilia Romagna pode dar a Matteo Salvini o pretexto para exigir eleições antecipadas em Itália. Matteo Salvini continua de olhos postos no cargo de primeiro-ministro e pode voltar …

Trocar garrafas de plástico por descontos só será possível em março

O projeto-piloto para o depósito de garrafas de plástico a troco de talões de desconto nos supermercados estava previsto arrancar em janeiro. Porém, o atraso em desbloquear fundos de financiamento pode empurrar o arranque para …

Depressão Glória. Quedas de árvores, falhas de eletricidade e um ferido grave

A depressão Glória já provocou várias quedas de árvores, falhas na eletricidade e um ferido grave. Coimbra, Viseu e Castelo Branco são os distritos mais afetados. "O concelho mais afetado, neste momento, é Coimbra", afirmou o …

Ministério Público contratou ex-agente da PJ para analisar contas da Operação Tutti Frutti

As contas do caso Tutti-Frutti foram entregues a Edígio Cardoso, antigo diretor da Unidade de Perícia Financeira e Contabilística (UPFC) da Polícia Judiciária, reformado há mais de um ano. A investigação do caso Tutti-Frutti iniciou-se em …

Reconstruções em Pedrógão. Gulbenkian exige indemnização de meio milhão por suspeita de ilegalidades

A Fundação Calouste Gulbenkian exige uma indemnização de meio milhão de euros por ilegalidades na reconstrução de casas de Pedrógão. Estão em causa cinco habitações. A fundação Calouste Gulbenkian exige uma indemnização de meio milhão de …

Austrália. Depois dos incêndios, chega o granizo (e já está a provocar estragos)

A Austrália está a recuperar dos enormes incêndios dos últimos meses. No entanto, a costa oriental do país debate-se agora com chuvas intensas que tem provocado inúmeras inundações. As fortes chuvas que caíram esta segunda-feira proporcionaram …

Taxa sobre produtos poluentes rendeu 200 milhões em dois anos

A taxa aplicada sobre produtos poluentes - plástico, cartão, embalagens de vidro, entre outros -, rendeu ao Estado português 199,6 milhões de euros em dois anos, avança o Jornal de Notícias esta segunda-feira. O valor, arrecadado …

"Mito sem sentido". Santos Silva rejeita que Portugal seja "amigo especial" da China

O ministro dos Negócios Estrangeiros rejeitou, em entrevista ao Financial Times, que Portugal esteja a desenvolver uma dependência problemática relativamente à China. É um "mito sem sentido", defendeu Augusto Santos Silva. O governante falou ao …

Justiça espanhola liga ex-ministro a alegado caso de corrupção. António Vitorino nega

A Justiça espanhola diz que o ex-ministro socialista se terá apropriado de 35 milhões de euros da petrolífera estatal venezuelana PDVSA. António Vitorino nega. A justiça espanhola alega que uma sociedade de António Vitorino, antigo ministro …