Baleias jubarte cantam músicas diferentes a cada ano – é a revolução cultural

As populações de baleias jubarte (Megaptera novaeangliae) experimentam uma “revolução cultural” entre espaços relativamente curtos de tempo, ao mudar as suas antigas canções por um repertório mais simples e fresco.

Segundo um novo estudo, publicado esta quarta-feira na revista Proceedings of the Royal Society B, a assinatura musical desta espécie evolui gradualmente ao longo dos anos – até esbarrar numa “revolução cultural”, que obriga as baleias a começarem do zero.

O verdadeiro propósito das canções emitidas pelas baleias jubarte macho é ainda um mistério para a comunidade científica. Os sons podem funcionar como um chamado de acasalamento ou então como uma forma de união macho-a-macho. No entanto, pode ser outra coisa qualquer – ninguém sabe ao certo.

O que os cientistas sabem, e tal como explicam nesta publicação, é que estas canções são extremamente complexas: todas as baleias cantam uma mesma música que evolui gradualmente, tornando-se mais complexa a cada ano que passa.

Este ciclo encerra quando se dá uma “revolução cultural“, em que a população volta à estaca zero e reinicia todo este processo, mudando as suas músicas antigas e complexas para novas e mais frescas melodias.

Estes resultados são fruto de uma investigação que levou mais de uma década. Jenny Allen, bióloga marinha da Universidade de Queensland, na Austrália, e os seus colegas de investigação recolheram e analisaram as músicas de 95 baleias jubarte entre 2002 e 2014.

No total, a amostra contou com mais de 412 ciclos individuais de música, que foram posteriormente analisados em três eixos distintos: duração, repetibilidade e variação das músicas. Com isto, a equipa de investigação pretendia determinar o quão complexo era cada um destes ciclos.

Os cientistas notaram que as músicas iam sofrendo pequenas alterações todos os anos. Como resultado, as canções foram tornando-se mais complexas e longas. No entanto, notaram ainda, sempre que se dava uma “revolução cultural”, a música mais recente era menos complica do que a anterior.

A equipa não consegue determinar, com total certeza, o motivo das populações de baleia simplificarem as suas canções com o passar do tempo. Contudo, apontam algumas sugestões: pode ser simplesmente uma preferência. Quanto mais simples é uma música, mais fácil é fazer com que um novo espécie a aprenda.

De acordo com os cientistas, os novos ciclos podem funcionar como uma estratégia para que as baleias mais novas possam aprender a música do grupo. É de frisar que os machos desta espécie têm “hinos” próprios, nos quais todos os elementos os cantam na mesma sequência – no fundo, o novo ciclo pode ser uma forma de harmonizar a sonoridade.

“A redução consistente na complexidade das músicas durante as revoluções sugere um potencial limite na capacidade social de aprender material novo nas baleias jubarte”, explicou a cientista citada pela BBC.

A equipa frisou ainda que estas canções são um forma de observar a cultura animal. “As canções das baleias jubarte são um dos melhores exemplo da cultura animais”, sublinhou ainda, acrescentando que “as jubarte estendem a sua cultura de uma forma que só foi testemunhada até então nos humanos.

ZAP // IFL

PARTILHAR

RESPONDER

"De janelas abertas" e "de forma transparente". É assim que José Manuel Silva promete governar Coimbra

José Manuel Silva, da coligação "Juntos Somos Coimbra", venceu as eleições, destronando o atual presidente da câmara, o socialista Manuel Machado. O antigo bastonário da Ordem dos Médicos foi apoiado por várias forças partidárias: PSD, CDS, …

"Assim não ganham o campeonato". Gary Neville identifica problema no United

O antigo internacional inglês e agora comentador desportivo, Gary Neville, identificou um problema no Manchester United que, a continuar, vai fazer com que o clube não consiga ganhar o campeonato. Os red devils perderam o seu …

SPD vence legislativas na Alemanha com pequena margem - mas a CDU quer liderar o governo

Depois das projecções iniciais apontarem um empate, os sociais-democratas do SPD conseguiram garantir a vitória nas legislativas enquanto que a CDU obteve o seu pior resultado de sempre. Arranca agora um processo de negociações que …

Treinador de Florentino Luís: "7 jogos, 7 derrotas. Mas não sei se somos tão maus"

Michel admite insegurança e nervos, num Getafe que ocupa o último lugar no campeonato espanhol. Florentino acha que é "uma questão de tempo". Valência, Sevilha, Barcelona, Elche, Rayo Vallecano, Atlético de Madrid e Betis: os sete …

Cancela Moura demite-se da concelhia do PSD após derrota em Gaia

O candidato da coligação PSD/CDS-PP/PPM Cancela Moura à Câmara de Gaia, conquistada no domingo pelo socialista Eduardo Vítor Rodrigues, apresentou a renúncia ao mandato na concelhia do PSD e vai propor eleições “para dar a …

À boleia de Falcao, o modesto Rayo Vallecano cheira a Europa

Com três golos em três jogos, Radamel Falcao tem catapultado o Rayo Vallecano para lugares europeus. A equipa conta com os portugueses Bebé e Kévin Rodrigues. O Rayo Vallecano superou as suas próprias expectativas e conseguiu …

Jarros com esmeraldas encontrados em templo ligado à cidade lendária El Dorado

Uma equipa de arqueólogos colombianos encontrou um conjunto de sepulturas rodeadas por jarros de cerâmica que estavam carregados de esmeraldas. A descoberta ocorreu num templo ligado à mítica cidade El Dorado. Os arqueólogos encontraram o templo …

Moedas venceu "contra tudo e contra todos". Medina assume derrota "pessoal e intransmissível"

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança à Câmara de Lisboa afirmou, este domingo, ter vencido "contra tudo e contra todos", porque "a democracia não tem dono", agradeceu o “voto de confiança” e comprometeu-se a …

O balão de oxigénio de Rio encheu até rebentar. Os olhos estão postos em 2023

Com Lisboa, Coimbra, Funchal e Barcelos debaixo do braço, Rui Rio cantou vitória numa noite de emoções. Sem falar do futuro à frente do PSD, o social-democrata acredita estar mais perto de chegar a primeiro-ministro. …

ADN da população da Ilha de Páscoa permite descobrir, finalmente, a rota dos seus antepassados

De acordo com os investigadores, o processo constitui um dos capítulos mais fascinantes da história da colonização humana e quase não há vestígios tangíveis. A distância que separa as ilhas Marquesas, na Polinésia Francesa, do arquipélago …