As bactérias do pó da cama podem tornar os bebés mais saudáveis

Investigadores da Universidade de Copenhaga descobriram uma ligação entre os micro-organismos que vivem no pó das camas dos bebés e o microbioma das próprias crianças.

As nossas camas estão repletas de vida microbiana, invisível ao olho humano, que pode afetar o modo como os micro-organismos se desenvolvem no nosso corpo, nos primeiros anos de vida.

De acordo com a Futurity, a correlação sugere que os micro-organismos podem afetar a forma como nos tornamos resilientes a várias doenças, reduzindo o risco de uma criança desenvolver asma, alergias e doenças autoimunes quando crescer.

Um estudo publicado recentemente, cujo objetivo foi determinar quais os factores ambientais que afetam a composição dos micro-organismos no pó da cama e a relação entre eles e as bactérias nas vias respiratórias das crianças, analisou amostras do pó da cama de 577 bebés antes de as comparar com amostras respiratórias de 542 crianças.

“Vemos uma relação entre as bactérias que encontramos no pó das camas e as que encontramos nas crianças. Embora não sejam as mesmas, é uma descoberta interessante que sugere que essas bactérias se afetam umas às outras. Pode vir a ter um impacto na redução dos riscos de asma e alergia no futuro”, disse Søren J. Sørensen, autor principal do artigo e professor do departamento de biologia da Universidade de Copenhaga.

Já se sabia que uma grande diversidade de micro-organismos em casa contribui para o desenvolvimento da resistência de uma criança a uma série de doenças e alergias – e as camas podem ter muitas bactérias, fungos microscópicos e outros micro-organismos.

“Sabemos que os micro-organismos que vivem dentro de nós são importantes para a nossa saúde, no que diz respeito à asma e às alergias por exemplo, mas também relativamente à diabetes [tipo 2] e à obesidade. Mas, para melhorar o tratamento destas doenças, precisamos de entender os processos pelos quais os micro-organismos surgem durante os primeiros estágios da vida. E parece que a cama desempenha um papel”, diz Sørensen.

Além disso, o investigador considera que “a troca constante de lençóis pode não ser necessária”, mas que o assunto ainda precisa de ser aprofundado para ter a certeza.

Morar no campo pode ser mais benéfico

Os investigadores encontraram 930 tipos diferentes de bactérias e fungos no pó recolhido das camas de bebés com cerca de seis meses de idade e descobriram que a riqueza de bactérias dependia muito do tipo de habitação de onde foi recolhida a amostra.

Além disso, entenderam que as casas rurais tinham níveis significativamente mais elevados de bactérias em comparação com os apartamentos de zonas citadinas.

“Vários estudos mostram que os moradores das cidades têm uma flora intestinal menos diversificada do que as pessoas que vivem em ambientes mais rurais. Isso normalmente é atribuído ao facto de passarem mais tempo ao ar livre e terem mais contacto com a natureza. O nosso estudo demonstra que as mudanças na flora bacteriana da poeira da cama também podem ser uma razão importante para isso”, diz Sørensen.

Animais de estimação, irmãos mais velhos e viver numa zona rural são factores que contribuem para reduzir o risco de desenvolver doenças autoimunes. Mas, agora, os autores pretendem investigar mais a fundo a relação entre as diferenças na flora bacteriana do pó da cama e o desenvolvimento de doenças, como asma e alergias.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Role play ao serviço da Ciência. Investigadores fingem ser Neandertais para estudar caça a aves

Uma equipa de investigadores espanhóis decidiu adotar a "dramatização" científica para reconstruir um novo elemento do comportamento Neandertal: a cooperação com os membros do grupo enquanto usa fogo e ferramentas para caçar gralhas no interior …

Estoril 0-1 Sporting | Figueira deu o fruto que saciou o leão

Foi preciso surgir um erro crasso do guarda-redes estorilista (até então a fazer uma belíssima exibição) para o campeão nacional poder respirar de alívio e festejar a quarta vitória na Liga, esquecendo por agora a …

A tinta mais branca do mundo ajuda a poupar energia nas casas - e pode eliminar de vez o ar condicionado

Uma equipa de investigadores da Universidade de Purdue desenvolveu uma tinta tão branca que revestir um prédio com ela pode reduzir, ou até mesmo eliminar, a necessidade de ter ar condicionado. Depois de testar mais de …

Costa promete "lição exemplar" à Galp depois de "tanto disparate" em Matosinhos

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou hoje que “era difícil imaginar tanto disparate, tanta asneira, tanta insensibilidade” como a Galp demonstrou no encerramento da refinaria de Matosinhos, prometendo uma “lição exemplar” à empresa. Falando em …

Porto 5-0 Moreirense | Días, Taremi e Fábio, o trio maravilha

O Porto foi o primeiro dos “grandes” a entrar em campo e deu o mote, e que mote. Os “dragões” receberam o Moreirense e golearam sem apelo nem agravo, por 5-0, graças a uma segunda …

Ronaldo volta a marcar pelo United em jogo com final frenético

O português Cristiano Ronaldo voltou hoje a marcar pelo Manchester United, mas foram Lingaard e David de Gea que ‘brilharam’ na vitória sobre o West Ham, por 2-1, em jogo da quinta jornada da Liga …

O Cumbre Vieja, num dos complexos vulcânicos mais ativos nas Canárias, entrou em erupção

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou hoje em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. Na zona, …

Portugal regista 677 novos casos de covid-19 e cinco mortes

Portugal registou, este domingo, 677 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Estudo mostra como diferentes espécies de polvos coexistem no mesmo ambiente

Existem mais de 300 espécies de polvos a viver em diversos habitats que abrangem recifes de coral, leitos de ervas marinhas, planícies de areia e regiões de gelo polar. Mas de que forma cefalópodes tão …

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …