Arqueólogos descobrem “avenidas funerárias” com 4.500 anos na Arábia Saudita

(dr) The University of Western Australia

Avenidas funerárias na Arábia Saudita

Os habitantes do noroeste da Arábia Saudita construíram “avenidas funerárias” que se estendem por vastas distâncias nos condados de Al-‘Ula e Khaybar, na primeira metade da Idade do Bronze. Estão cercadas por milhares de monumentos funerários.

Através de levantamentos aéreos de helicóptero, levantamentos terrestres com escavações e imagens de satélite, uma equipa de investigadores da Universidade da Austrália Ocidental descobriu uma rede rodoviária com 4.500 anos na Arábia Saudita.

Segundo o Tech Explorist, estas “avenidas funerárias”, cercadas por cerca de 18 mil túmulos antigos, foram as principais “redes de autoestradas” daquela época.

“As maiores concentrações de monumentos funerários nestas avenidas estavam localizadas perto de fontes de água permanentes, com a direção das avenidas a indicar que as populações as utilizavam para viajar entre os grandes oásis, incluindo os de Khaybar, Al-‘Ula e Tayma”, referiu o investigador Matthew Dalton.

“As pessoas que vivem nessas áreas conhecem-nas há milhares de anos”, completou, acrescentando que estas “autoestradas” se estendem “por centenas e talvez milhares de quilómetros”.

Nesta investigação, que cobriu uma área de 160 mil quilómetros quadrados, foram também localizadas avenidas mais pequenas que desvanecem na paisagem, “o que sugere que as rotas foram também utilizadas para deslocar os rebanhos de animais domésticos para pastagens próximas durante os períodos de chuva”.

Hugh Thomas, diretor do projeto, referiu que a investigação, cujo artigo científico foi publicado recentemente na The Holocene, ajudou “a demonstrar que, em tempos antigos, Al-‘Ula e Khaybar eram caracterizados por uma paisagem ocupacional rica e dinâmica“.

“As descobertas arqueológicas provenientes destas regiões têm o potencial de mudar profundamente a nossa compreensão da História inicial do Médio Oriente”, rematou.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE