Avalanches de gelo gigantes podem ter criado as misteriosas espirais no Pólo Norte de Marte

NASA MGS MOLA Science Team / FU Berlin / DLR / ESA

Avalanches de gelo gigantes podem ter destruído quilómetros de crateras polares de Marte a velocidades de até 80 metros por segundo. Esses fenómenos podem resolver um mistério sobre características estranhas do Planeta Vermelho.

Marte está cheio de características bizarras desde “dunas extraterrestres” a carbonatos de superfície. Há muito tempo que os investigadores observam características lineares estranhas que viajavam pelas laterais de duas crateras de impacto na região polar norte do planeta.

De acordo com um novo estudo que será publicado em julho na revista científica Planetary and Space Science, essas formações em espiral são o que resta de avalanches de gelo monumentais que ocorreram há cerca de um milhão de anos.

Os cientistas já tinham argumentado anteriormente que essas formas lineares pareciam morenas ou moreias: estruturas lineares montanhosas formadas por glaciares de movimento lento, que empurram sujidade e rochas à frente do seu avanço. Nas regiões polares de Marte, os glaciares são feitas de dióxido de carbono, mas os seus efeitos geológicos são os mesmos.

O novo estudo argumenta que grandes torres de gelo d’água, chamadas maciços, localizadas ao longo da encosta das crateras, desabaram, resultando em avalanches épicas. As cristas parecidas com a morena eram formadas pela acumulação de detritos empurrados para o fundo das crateras pelo colapso de maciços.

Planetary and Space Science / NASA

Sergey Krasilnikov, da Russian Academy of Sciences, e os colegas simularam estes surtos hipotéticos usando dados colhidos pela NASA e realizando cálculos independentes. Juntos, esses métodos apoiaram um cenário em que a “acumulação excessiva de gelo d’água nas encostas” atingiu “uma condição instável crítica”, resultando em avalanches de gelo e na formação das cristas.

Os maciços formam-se através da acumulação constante de geada. Eventualmente, o peso e a pressão ficaram tão intensos que os maciços desabaram, libertando o seu conteúdo para o fundo da cratera.

O maior dos dois colapsos envolveu cerca de 2,42 quilómetros quadrados de gelo, enquanto o menor envolveu 1,1 quilómetros quadrados. O maciço maior tinha cerca de 150 metros de altura e o menor 100 metros de altura.

A queda de gelo e detritos teria viajado a uma estimativa de 80 metros por segundo. Como a gravidade é mais baixa em Marte, os destroços espalham-se por um território amplo, atingindo cerca de 15 quilómetros do ponto de partida no colapso maior e 12 quilómetros no menor. Durante o maior colapso do maciço, a avalanche abrangeu uma área total de 104 quilómetros quadrados.

“É uma boa explicação alternativa”, disse Mike Sori, cientista planetário da Universidade do Arizona que não participou da nova pesquisa, em declarações à EOS, jornal da American Geophysical Union.

Mais evidências são necessárias para comprovar este estudo. Investigações futuras terão de explicar porque é que foram encontrados apenas dois exemplos de avalanches de gelo em Marte.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pela primeira vez, cientistas viram chimpanzés a matar gorilas

Investigadores testemunharam, pela primeira vez, chimpanzés e gorilas a lutar entre si, confrontos esses que provocaram a morte de alguns deles. De acordo com o site Science Alert, as duas disputas foram observadas no Parque Nacional …

Vírus com 15 mil anos descobertos no gelo do Planalto do Tibete

Cientistas que estudam glaciares encontraram vírus com quase 15 mil anos em duas amostras de gelo retiradas do Planalto do Tibete, na China. Muitos deles, que sobreviveram porque se mantiveram congelados, são diferentes de todos …

Leite sem lactose em laboratório (e com a ajuda de membranas de óxido de grafeno)

As membranas de óxido de grafeno (uma forma oxidada do material) têm sido muito estudadas para a dessalinização da água e separação de corantes, mas as suas propriedades podem não ficar por aqui. Uma equipa de …

Cientistas criam material de "auto-reparação" mais resistente do mundo (e é perfeito para ecrãs de telemóveis)

Investigadores do Instituto Indiano de Educação e Investigação Científica (IISER, na sigla em inglês) podem ter encontrado o material perfeito para fazer os ecrãs de smartphones: transparente, resistente e que a capacidade de se "auto-curar" …

"A bitcoin vai criar a paz mundial"

A rainha das moedas digitais, se não construir a paz no planeta, vai ajudar na pacificação entre os seres humanos. É a opinião de Jack Dorsey. É o centro de atenções de muitos investidores, é o …

"Burrolandia". Parque temático de burros no México está a tentar salvar estes animais

Um parque temático de burros no México serve de santuário a estes animais que estão aos poucos a desaparecer no país. "O burro ajudou o homem por muito tempo. É hora de retribuirmos o favor", …

Uma mão robótica que joga Super Mario Bros na Nintendo? Sim, existe

Uma equipa de investigadores da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, imprimiu em 3D peças para criar uma mão robótica capaz de jogar Super Mario Bros na Nintendo.  A mão robótica é totalmente montada com circuitos …

"Narco Drones" apanhados a entregar drogas numa prisão chilena

Reclusos e cúmplices no exterior estão a usar drones para contrabandear droga para a prisão mais antiga do Chile. As autoridades chilenas descobriram que o esquema de contrabando tinha como objetivo transportar drogas para a Ex …

Erupção do vulcão Etna causa problemas económicos na Sicília

Nos últimos meses, o vulcão Etna tem estado em constante erupção e o custo de limpeza das cinzas está a deixar muitas cidades da Sicília à beira da falência. O vulcão Etna – um dos mais …

Argentina cria documento de identidade para pessoas não binárias

O Presidente da Argentina anunciou, esta semana, que o país tem um novo documento de identidade para incluir pessoas não binárias. É o primeiro país da América Latina a fazê-lo. De acordo com o chefe de …