Cientistas defendem que vivemos numa bolha gigante em forma de croissant

Merav Opher / Boston University

Os físicos revelaram um novo modelo refinado da heliosfera – a vasta região ao redor do Sol que se estende mais do que o dobro de Plutão -, descrevendo-o como um campo de força magnético em forma decrescente, semelhante a um croissant.

Todos os planetas do nosso Sistema Solar – incluindo a Terra – estão presos dentro de uma bolha de vento solar, que emane do Sol a velocidades supersónicas.

As partículas que compõem esse vento criam um campo magnético invisível, que nos protege do resto do espaço interestelar. Há décadas que os astrónomos analisam esse sistema de radiação e magnetismo conhecido como heliosfera, mapeando os seus limites para descobrir a sua forma.

Agora, um novo modelo feito por especialistas de várias universidades diferentes sugere que é uma fusão estranha de praticamente todas as teorias.

Durante muitos anos, os cientistas pensaram que a heliosfera se assemelhava a um cometa, com um nariz redondo numa extremidade e uma cauda na outra.

NASA/JPL-Caltech

Em 2015, dados da nave espacial Voyager 1 sugeriram que havia duas caudas, fazendo com que a heliosfera se assemelhar a um croissant. Dois anos depois, dados da missão Cassini sugeriram que deveria ser como uma bola de praia gigante.

“Não se aceita este tipo de mudança facilmente”, disse Tom Krimigis, que liderou experência na Cassini e na Voyager, em comunicado. “Toda a comunidade científica que trabalha nessa área assumiu há mais de 55 anos que a heliosfera tinha uma cauda de cometa”.

Se o novo modelo estiver correto, a heliosfera pode muito bem ser modelada como uma bola de praia vazia e um croissant – depende apenas de onde e como se define o limite.

Pensa-se que a heliosfera se estenda mais do que o dobro de Plutão, com o vento solar a empurrar constantemente a matéria interestelar, protegendo-nos de partículas carregadas que, de outra forma, poderiam romper o nosso Sistema Solar.

Usando dados da sonda New Horizons, os astrónomos descobriram uma forma de estabelecer um limite. Em vez de assumir que as partículas carregadas são todas iguais, o novo modelo divide-as em dois grupos: partículas carregadas do vento solar e partículas neutras à deriva no Sistema Solar.

Ao contrário das partículas carregadas no espaço interestelar, os “iões de captação” neutros podem deslizar pela heliosfera facilmente, antes dos seus eletrões serem destruídos. Ao comparar a temperatura, a densidade e a velocidade desses iões de captação com as ondas solares, a equipa descobriu como definir a forma da heliosfera.

“O esgotamento dos iões de captação, devido à troca de carga com os átomos de hidrogénio neutro do meio interestelar na heliosfera, arrefece-a, esvaziando-a e levando a uma heliosfera mais estreita e a uma forma mais pequena e mais redonda, confirmando a forma sugerida pelas observações da Cassini”, escrevem os autores no estudo publicado este mês na revista científica Nature Astronomy.

Assim, dependendo de onde se definir o limite, a heliosfera pode parecer uma esfera vazia ou uma lua crescente.

Para entender completamente a heliosfera, ainda precisamos de muitos dados. Enquanto lentamente começamos a reconciliar os nossos modelos, estes ainda são limitados. Além das duas naves espaciais Voyager lançadas há mais de quatro décadas, nenhum outro veículo ultrapassou os seus limites.

Assim, alguns astrónomos estão a pedir à NASA que envie uma sonda na próxima década para investigar e começar a explorar a bolha do Sol onde vivemos.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …