Astrónomos descobrem uma anã branca com atmosfera de oxigénio

NASA, ESA and G. Bacon (STScI)

Representação artística da anã branca Sirius, a estrela mais brilhante no nosso firmamento

Representação artística da anã branca Sirius

Investigadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no Brasil, e da Universidade de Kiel, na Alemanha, identificaram, pela primeira vez, uma anã branca com uma atmosfera principalmente composta por oxigénio.

O surpreendente, segundo o estudo publicado na revista Science no passado dia 1 de abril, é que, ao contrário das anãs brancas conhecidas até então, que possuem atmosferas dominadas por hidrogénio e hélio, a nova estrela não possui traços de nenhum dos dois elementos.

A pesquisa foi realizada por Kepler Oliveira, professor da UFRGS, Detlev Koester, professor da Universidade de Kiel, e Gustavo Ourique, investigador da UFRGS.

A descoberta foi feita em meados do ano passado, quando os cientistas analisavam os 4,5 milhões de espectros do Sloan Digital Sky Survey, procurando novas anãs brancas.

Estágio final da evolução de todas as estrelas que nascem com menos de 8 a 11 massas solares – dependendo das suas composições iniciais –, as anãs brancas possuem brilho ténue, porte pequeno e uma densidade extremamente alta.

Esta é a última etapa da vida da maioria das estrelas.

Cerca de 80% das anãs brancas possuem atmosferas dominadas por hidrogénio, e o restante tem o hélio como principal componente. Isto acontece porque, por sedimentação, os elementos mais leves vão para as camadas mais altas.

No entanto, a atmosfera da nova estrela descoberta é dominada por oxigénio e apresenta traços de néon e magnésio, o que indica que não pode haver hidrogénio, hélio ou carbono na sua composição – todos mais leves que o oxigénio.

De acordo com Kepler Oliveira, a estrela, com uma massa muito inferior à do Sol, desafia os modelos de evolução estelar existentes, que não preveem um objeto como este.

Espera-se que a mistura de oxigénio, néon e magnésio seja encontrada num pequeno número de estrelas, através da queima nuclear de carbono.

No entanto, as anãs brancas formadas por este processo costumam ser muito mais pesadas.

“Se nem o núcleo deveria ser de oxigénio para massas menores que uma massa solar, muito menos a atmosfera”, enfatiza o professor.

Uma das possíveis explicações para a formação de uma anã branca com esta improvável composição é a origem por fusão de duas estrelas – num sistema binário, em que as suas atmosferas interagiram e, no final, perderam massa.

A descoberta revela-se um importante objeto de estudo sobre o caminho evolutivo das estrelas e, segundo a análise do investigador da Universidade de Warwick, Boris Gänsicke, pode conter uma ligação com alguns dos tipos de supernovas descobertas ao longo da última década.

“Precisamos de calcular modelos que resultem numa estrela de baixa massa e com invólucro de oxigénio, o que nenhum modelo atual prevê“, afirma Kepler.

CCVAlg

PARTILHAR

RESPONDER

Ex-comandante paraquedista diz que Tancos foi obra de "amadores"

O coronel de infantaria Alves Pereira admitiu "embaraço" pela "falha" e considerou que o "Exército após Tancos é diferente do Exército antes de Tancos". O coronel de infantaria Alves Pereira sustentou esta quarta-feira que o …

Tspiras vence moção de confiança com margem mínima

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, viu esta quinta-feira o parlamento aprovar um voto de confiança, dias depois de ter terminado a coligação que viabilizava o seu Governo. Com 151 votos favoráveis, dos 300 parlamentares, Tsipras viu …

Parlamento discute a legalização da canábis para fins recreativos

A legalização da canábis para uso recreativo é debatida esta quinta-feira no Parlamento, com BE e PAN a apresentarem projetos de lei idênticos, discordando apenas quanto aos locais de venda. O Bloco de Esquerda (BE) defende …

Estátua de diabo "alegre demais" divide moradores em Espanha

Uma estátua que representa o diabo foi criticada por ser "alegre demais" por moradores da cidade de Segóvia, em Espanha. A escultura de bronze, que ainda não foi instalada, foi criada em homenagem a uma lenda …

"Incapacidade e incompetência". Fenprof pede a Costa que substitua ministro da Educação

A Federação Nacional de Professores (Fenprof) defendeu esta quarta-feira que o primeiro-ministro substitua o ministro da Educação, devido à sua "incapacidade e comprovada incompetência política" para dirigir as negociações de recuperação de tempo de serviço …

Bombeiros protestam contra a proposta do Governo

De acordo com o sindicato, a proposta do Governo "significa uma desvalorização enorme na carreira". Além disso, critica a ideia de haver uma carreira única de sapadores e municipais nivelada por baixo. Bombeiros municipais e sapadores …

Há uma parte da Antártida que está a encolher (mas não era suposto)

Quando os cientistas falam sobre o derretimento da Antártida, geralmente estão a referir-se à Antártida Ocidental, onde gigantescos glaciares costeiros estão a derramar grandes quantidades de água. Mas, do outro lado das montanhas transantárticas a leste, …

A cor dos olhos pode explicar porque é que as pessoas ficam tristes no inverno

Tempo mais frio e noites mais longas fazem algumas pessoas sentir-se tristes. A isso, dá-e o nome de Transtorno Afetivo Sazonal (TAS). Embora o TAS seja uma forma reconhecida de depressão clínica, os especialistas ainda estão …

Há vida pós-LHC. CERN planeia acelerador de partículas dez vezes mais potente

O futuro da Física de Partículas começa a ganhar forma. O CERN (Laboratório Europeu de Física de Partículas) detalhou esta terça-feira os seus planos para o novo acelerador de partículas que irá suceder o Grande …

DARPA quer construir robôs conscientes usando cérebros de insetos

A DARPA quer construir robôs conscientes usando cérebros de insetos, uma forma de criar novos modelos de inteligência artificial eficientes, que poderiam ser usados para explorar a própria consciência. Ao contrário dos humanos, os insetos operam …