Astrónomos captam o maior impacto lunar de que há registo

 

Astrónomos espanhóis conseguiram capturar o momento do choque de um asteróide de 400 quilos com a Lua. A colisão foi tão forte que o clarão pôde ser visto da Terra a olho nu e terá sido o maior impacto lunar registado.

O meteorito em questão teria 400 quilos e teria o tamanho aproximado de um frigorífico, viajando a 61 mil quilómetros por hora. A energia do impacto, que provocou um clarão visível a partir da Terra no dia 11 de setembro de 2013, terá sido equivalente a 15 toneladas de TNT – três vezes maior do que o recorde lunar anterior, observado pela NASA em março de 2013.

E porque é que só se fala nisto agora? Porque apenas esta semana foi publicado um artigo na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society (RAS), publicação britânica onde os astrónomos espanhóis descrevem o evento que durou oito segundos e pôde ser visto a partir da Terra sem a necessidade de telescópios.

J. Madiedo / MIDAS

Imagem do clarão resultante do impacto de um grande asteróide com a superfície lunar a 11 de setembro de 2013, capturada pelo observatório MIDAS.

Imagem do clarão resultante do impacto de um grande asteróide com a superfície lunar a 11 de setembro de 2013, capturada pelo observatório MIDAS.

José María Madiedo, astrónomo que lidera o projeto MIDAS (Moon Impacts Detection and Analysis System – Detecção de Impactos na Lua e Sistema de Análises), da Universidade de Huelva, cujos telescópios capturaram o fenómeno, afirma que este impacto pode ajudar a aprender mais sobre as ameaças ao nosso planeta.

“Somos vizinhos muito próximos. O que acontece na Lua também pode acontecer na Terra”, afirma, explicando que “a taxa de impactos no nosso planeta por rochas deste tamanho é cerca de 10 vezes maior do que pensávamos”.

José Madiedo salienta que a maioria dos meteoritos são destruídos antes de chegar à Terra. No caso da colisão lunar, a zona de impacto foi uma cratera de 40 metros de largura que numa zona da Lua conhecida como Mare Nubium. Ao contrário do nosso planeta, a Lua não tem uma atmosfera a protegê-la dos meteoritos, por isso as suas muitas crateras.  

O asteróide vaporizou-se instantaneamente no momento do impacto, criando (mais) uma cratera de 40 metros de diâmetro.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …