Associated Press acusada de ter colaborado com regime nazi

Um estudo realizado por uma historiadora alemã, divulgado esta quarta-feira pelo jornal britânico The Guardian, afirma que a agência de notícias americana Associated Press teria colaborado com o regime nazista durante os anos 1930.

A reportagem do The Guardian afirma que a AP foi a única agência de notícias ocidental autorizada a operar na Alemanha de Adolf Hitler, enquanto outros órgãos de imprensa estrangeiros foram banidos ou forçados a encerrar a actividade, depois de sofrerem ataques por empregarem jornalistas judeus.

A AP continuou em actividade na Alemanha até à entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, em 1941.

Até esse momento, a agência foi o principal meio de informação sobre o Estado totalitário para os países do Ocidente, fornecendo notícias e fotografias exclusivas.

No estudo, publicado no portal alemão de estudos de história contemporânea Zeithistorische Forschungen, a historiadora Harriet Scharnberg, da Universidade Martin Luther, na cidade alemã de Halle, sustenta que a AP só conseguiu manter a actividade no país através de uma colaboração mútua com o regime nazi.

A agência ter-se-á submetido à chamada Schriftleitergesetz, a lei dos editores, que proibia a divulgação de matérias destinadas a “enfraquecer o poder do Reich no exterior ou no país” e obrigava os meios de informação a contratar repórteres que trabalhavam para a divisão de propaganda do regime nazi.

Um dos fotógrafos contratados pela AP, Franz Roth, terá sido indicado directamente por Hitler, que também seleccionava as suas fotos para serem distribuídas pela agência.

Segundo a historiadora, ao mesmo tempo que fornecia aos países do Ocidente a possibilidade de observar a sociedade nazi por dentro, a agência também permitia que o regime ocultasse alguns dos seus crimes.

Harriet Scharnberg afirma que a colaboração entre a Associated Press e os nazis permitia ao regime alemão “retratar uma guerra de extermínio como uma guerra convencional“.

AP rejeita acusações

Em comunicado, a Associated Press negou qualquer alegação de que tenha colaborado propositadamente com os nazis e afirmou que a investigação da historiadora se refere a uma agência de fotos alemã que era subsidiária da AP britânica.

Segundo o comunicado, depois de 1935, a subsidiária foi afectada pelo controle de imprensa nazi.

A AP reconhece que distribuiu imagens disponibilizadas pelo regime nazi, mas afirma que os créditos das fotografias deixavam isso claro e que a decisão sobre a publicação das fotos cabia aos editores dos jornais.

“Imagens daquela época na Alemanha tinham um valor jornalístico legítimo, pois os editores e o público precisavam de saber mais sobre os nazis”, afirmou a agência.

“A AP não se envolveu directamente na publicação e, até à divulgação da investigação da sra. Scharnberg, não tinha conhecimento de nenhuma acusação de que material nosso pudesse ter sido produzido e seleccionado por ministérios de propaganda nazis”, diz a agência.

“Se tal aconteceu, os créditos das fotos teriam deixado isso claro”, realça a Associated Press.

ZAP / DW

PARTILHAR

RESPONDER

As colónias espaciais de Bezos flutuam, são auto-sustentáveis e até se podem parecer com Florença

O CEO da Amazon e fundador da empresa de transporte aeroespacial Blue Origin levantou o véu sobre os seus planos futuros, detalhando as suas ideias para a colonização do Espaço. Jeff Bezos sonha com "cápsulas" …

Descoberta nova espécie de rã de cristal na Colômbia

Uma rã de cristal com um coaxar peculiar foi descoberta na Sierra Nevada de Santa Marta, uma cordilheira localizada na Colômbia. "Foi um golpe de sorte", revelou o cientista que encontrou o novo espécime. Segundo …

O café mais caro do mundo vende-se na California. Custa 66 euros

Um café na California, nos EUA, prepara o que apresenta como o café mais caro do mundo. Chama-se Elida Natural Geisha 803 e custa 75 dólares (66 euros) por chávena. A rede Klatch Coffee Roasters, que …

Inglês pagou 265 euros por um Picasso falso. Afinal, era verdadeiro

Um residente da cidade de Crawley, na Inglaterra, comprou por 292 dólares (cerca de 261 euros) uma pintura que achava ser uma boa farsa de um conhecido trabalho de Pablo Picasso. Porém, seis meses depois, soube …

China cria aplicação de reconhecimento facial para distinguir pandas

Investigadores do Centro de Pesquisa e Conservação da China para Pandas Gigantes, juntamente com a Universidade de Tecnologia de Nanyang, em Singapura, e a Universidade Normal de Sichuan desenvolveram uma aplicação com um software de …

Corvos da Torre de Londres "salvaram" o país. Tiveram crias pela primeira vez em 30 anos

Os icónicos corvos negros da Torre de Londres "salvaram" o Reino Unido das consequências fatídicas de uma antiga profecia ao ter descendentes pela primeira vez desde 1989. O casal formado por Huginn (o pai) e Muninn …

A Estónia só tem um lingote de ouro e nem sequer o pode vender

O Banco Central da Estónia, que completou em maio 100 anos desde a sua função, só tem um lingote de ouro e nem sequer o pode vender, uma vez que o material não é puro …

Explosão atinge autocarro de turistas perto das Pirâmides de Gizé

Uma explosão atingiu um autocarro de turistas perto das célebres pirâmides de Gizé, no Egito, provocando 17 feridos, entre naturais do Egito e da África do Sul, noticia a agência France-Presse. Um engenho explosivo detonou à …

Alerta de erupção vulcânica. Monte Hakone fechado a turistas

As autoridades japonesas activaram este domingo o alerta por possível erupção vulcânica no monte Hakone, e fecharam todos os acessos à popular paisagem natural, que é visitada anualmente por milhões de turistas. A Agência Meteorológica do …

Vírus gigantes nas águas da Índia podem resolver mistério evolutivo

Uma equipa liderada por cientistas do Instituto Indiano de Tecnologia em Bombaim descobriu mais de 20 novos vírus nas águas da cidade, incluindo versões gigantes destes agentes biológicos que podem ajudar a desvendar questões importantes …