As ruivas são geneticamente abençoadas com “super-poderes”

A sociedade confundiu-nos ao longo do tempo. Até hoje, não sabíamos se ser-se ruivo era sinónimo de ser-se único ou, pelo contrário, estranho. Mas a ciência veio esclarecer a dúvida: ser ruivo é, afinal, “ter super-poderes”.

A escritora Erin La Rosa, no seu livro The Big Redhead Book: Inside the Secret Society of Red Hair, explica que nós não somos naturalmente atraídos por cabelos vermelhos, sendo a sociedade é a principal responsável por nos impor mensagens contraditórias sobre como é ser-se ruivo (umas boas e outras más).

De acordo com a alphr, o livro da escritora e performer norte-americana revela uma série de interessantes factos sobre as mulheres ruivas. A autora dirige-se, inclusivamente, às mais novas como os “unicórnios do mundo humano”.

“Pensem nisto: nós, ruivos, somos raros (representamos apenas dois% da população mundial), somos lindos (olá, Jessica Chastain), e temos a capacidade de voar (exemplo disso é a família Weasley, em Harry Potter)”, escreve a autora.

Ainda assim, Erin considera que a natureza das ruivas é muito mais especial e não se resume a apenas estas curiosidades. No seu livro, a autora compila um conjunto de pesquisas que provam que as mulheres ruivas estão a ser culturalmente negligenciadas e que são mulheres cheias de qualidades genéticas.

Num estudo de 2003, da Universidade de McGill, ficou provado que as mulheres ruivas têm limiares de dor mais altos. Graças à mutação do gene MC1R, que é o responsável pela coloração do cabelo, conseguem suportar uma maior intensidade de dor, conseguindo tolerar até 25% mais dor do que as loiras ou as morenas.

A Universidade de Louisville também revelou num estudo que é necessário 20% mais de dose de anestesia geral para que esta faça efeito numa ruiva, enquanto uma morena pode precisar apenas de um pouco de Novocaína, um anestésico local injetável muito usado pelos dentistas. Isto significa que a mutação é, literalmente, um “super-poder”.

Em 2005, a mesma universidade chegou à conclusão que o gene MC1R pode sob reativar o gene de deteção da temperatura humana, tornando os ruivos mais sensíveis a variações térmicas. No seu livro, Erin explica que “nós sabemos quando o Inverno está para chegar”.

Além disso, a mutação faz com que os ruivos necessitem de menos vitamina D, dado que são capazes de a produzir num curto espaço de tempo. Este é um “super-poder” vantajoso, já que os baixos níveis de vitamina D podem provocar raquitismo, diabetes e artrite.

As pesquisas provam, também, que esta “superioridade” está bem patente na televisão norte-americana. Um relatório de 2014, da Upstream Analysis, concluiu que 30% dos anúncios televisivos nos EUA contam com uma mulher ruiva a desempenhar um papel de destaque.

A CBS, uma rede de televisão dos EUA, afirmou, também, que a cada 106 segundos uma pessoa ruiva surge no ecrã dos norte-americanos.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

    • Deves conhecer ruivas nao deste planeta! Como deves imaginar há ruivas, loiras ou morenas mais feias do que outras, mas nao faz sentido generalizar, a menos q conheças todas as ruivas q existem!
      Sou ruiva com muito orgulho… Pode parecer um bocado convencido da minha parte das nunca me disseram que sou feia, mt pelo contrário.

RESPONDER

Rio acusa Governo de "partidarização" ao escolher Galamba para secretário de Estado

O presidente do PSD, Rio Rio, acusou esta segunda-feira o Governo de estar a “partidarizar a pasta da Energia”, reagindo a notícias que dão conta de que o deputado do PS João Galamba é o …

Encontrado vestígio de vida animal mais antigo de sempre

Investigadores da Universidade da Califórnia afirmam ter descoberto o vestígio mais antigo de vida animal conhecido, de formas de vida que existiram há mais de 635 milhões de anos. O estudo publicado esta segunda-feira na revista …

Inundações no sul de França fazem 12 mortos

O número de mortos nas inundações na zona de Carcassonne, na região de Aude, no sudoeste de França, subiu para 12, anunciaram nesta segunda-feira as autoridades, referindo que há uma pessoa desaparecida. O primeiro-ministro francês, Édouard …

Ursos polares famintos estão a comer baleias (e isso ajuda-os a sobreviver ao aquecimento)

Há mais de um ano, ursos polares reuniram-se num ilha ao largo da costa norte da Sibéria para devorar uma baleia morta. Um estudo recente defende que, no passado geológico, os ursos polares podem ter …

Morreu Paul Allen, cofundador da Microsoft

Paul Allen, cofundador da Microsoft, morreu com 65 anos durante a tarde desta segunda-feira, anunciou a sua empresa, a Vulcan Inc, em nome da família.  Paul Allen tinha retomado recentemente tratamentos contra um linfoma não-Hodgkin, diagnosticado …

Todas as missões da NASA deveriam procurar vida extraterrestre

A procura por sinais de vida alienígena deve fazer parte de todas as missões futuras da NASA. A organização deve expandir o seu leque sobre possíveis sinais extraterrestres, de forma a conseguir identificá-los, aponta um …

Cientistas alcançam a primeira aceleração de eletrões em ondas de plasma

Físicos demonstraram uma nova técnica para acelerar eletrões a energias muito altas em distâncias muito curtas, uma técnica que permitirá alcançar novos avanços na física de partículas a preços mais modestos. O Large Hadron Collider (LHC) …

Casais de ratos do mesmo sexo tiveram crias

Cientistas da Academia Chinesa fizeram nascer crias de ratos de casais do mesmo sexo através de uma nova técnica que utiliza células estaminais modificadas. A nova técnica desenvolvida pelos cientistas chineses mistura células estaminais modificadas que …

Cientistas revertem casos de Diabetes tipo 2

Num novo estudo, cientistas bloquearam a proteína VDAC1 nas células que produzem insulina e conseguiram reverter casos de Diabetes tipo 2. Os investigadores também conseguiram mostrar que é possível prevenir o surgimento da doença. O estudo, …

Brexit. May diz que acordo “ainda é possível”, mas divergência que resta é “frustrante”

A primeira-ministra britânica, Theresa May, admitiu esta segunda-feira que "ainda é possível" um acordo que permita uma saída ordeira do Reino Unido da União Europeia, mas a divergência que resta com Bruxelas é "frustrante. Numa declaração …