As girafas são tão altas que podem funcionar como um pára-raios fatal

A ideia de que a girafa pode funcionar como um pára-raios não é nova e já se sabe que estes animais já foram mortos por relâmpagos. Porém, agora, cientistas descreveram as circunstâncias em detalhe pela primeira vez.

A cientistas conservacionista Ciska Scheijen, que tem estudado girafas na Conservação Rockwood, na África do Sul, no último ano, descreveu dois casos do que parece ser morte por um raio.

Em 29 de fevereiro deste ano, Rockwood foi atingido por uma forte tempestade, mas breve, com raios e chuvas fortes. No dia anterior, a manada de oito girafas do parque foi visto junta. O dia da tempestade impediu observações, mas nem 1 de março apenas seis foram vistas, algo que Scheijen diz ser incomum para este rebanho.

No dia seguinte, encontraram dois membros da manada – uma fêmea de 5 anos e uma mais jovem – mortos a poucos metros de distância. Como foram encontrados não muito longe de onde foram observadas na véspera da tempestade, era provável que tivessem morrido durante a tempestade.

Porém, numa inspeção mais próxima, encontraram uma grande fratura no crânio da girafa mais velha, onde o ossicone direito – as protuberâncias em forma de chifre no topo da cabeça das girafas – encontrava o crânio. Esta fratura sugeria que tinha sido atingida por um raio.

Por outro lado, as girafas não tinham marcas de queimaduras nas carcaças, sinal visto noutros animais que foram atingidos por relâmpagos.

Existem quatro formas pelas quais relâmpagos podem matar um animal: ser atingido diretamente, estar perto de um objeto que é atingido por um raio (flash lateral), uma descarga de luz no solo (tensão de passo) e quando parte do corpo entra em contacto com um objeto atingido enquanto ainda está a tocar no solo.

Scheijen suspeita que, como as girafas não estavam perto de nenhuma árvore alta, os ossicones da girafa mais velha – e, portanto, a mais alta com mais de 2 metros de altura –  era o ponto mais alto de contacto para relâmpagos e foi atingida diretamente. A mais jovem a sete metros de distância foi vítima de flash lateral ou tensão de passo.

“Eu não diria que os ossicones agem como um pára-raios, mas a altura imponente das girafas sim”, disse Scheijen, em declarações à IFLScience. “Se forem o ponto mais alto na área, as hipóteses podem ser altas de que são os que correm o maior risco de serem atingidos por um raio.”

Embora a altura das girafas as torne particularmente vulneráveis ​​à eletrocussão por raios, não é claro se se adaptaram para evitar isso. O facto de as girafas não serem encontradas mortas com mais frequência por relâmpagos pode significar que sabem abrigar-se sob árvores maiores, mas ainda não há evidências claras disso.

Embora Scheijen indique que estas são apenas observações porque estava no lugar certo na hora certa, a investigadora espera que into inspire mais investigações sobre os efeitos dos raios na morte de girafas.

Este estudo foi publicado em agosto na revista científica African Journal of Ecology.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Será necessária declaração para deslocações entre concelhos

O Governo esclareceu que quem precisar de se deslocar entre 30 de outubro e 3 de novembro, quando estará proibida a circulação entre concelhos, necessita de uma declaração, sendo as exceções as mesmas que foram …

Cães conseguem detetar covid-19, mas não estão a ser usados. "Podiam salvar tantas vidas"

Um cão pode cheirar um pano que antes esteve no pulso ou no pescoço de alguém e identificar imediatamente se a pessoa contraiu o vírus até cinco dias antes do aparecimento de qualquer sintoma. Parece …

Noruega com poucos casos de infeções nas escolas. Medidas podem ser aliviadas

A Noruega mantém as escolas com o segundo nível das medidas para combate à pandemia. Contudo, pondera aliviá-las caso se confirme que as crianças não têm um papel acrescido na transmissão do vírus. As autoridades de …

Ex-SCUT com descontos para passageiros frequentes e transporte de passageiros

Os passageiros particulares frequentes e os veículos de transporte de passageiros vão ter descontos na passagem pelas portagens das antigas SCUT a partir de 1 de janeiro, anunciou esta quinta-feira o Governo. De acordo com a …

Situação "muito grave" leva a uma nova corrida ao papel higiénico na Alemanha

A Alemanha atingiu esta quinta-feira um novo máximo diário, com mais de 11 mil casos em apenas 24 horas. A nova vaga de infeções está a levar os alemães a um novo açambarcamento de papel …

Taça: todos os "grandes" defrontam equipas do terceiro escalão

FC Porto, Benfica e Sporting vão jogar em casa de formações do Campeonato de Portugal. Sporting de Braga estará na Trofa. Decorreu nesta quinta-feira o sorteio da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, a …

DGS vai comprar mais de 100.000 frascos de Remdesivir até março de 2021

A Direção-Geral da Saúde vai adquirir entre este mês e março de 2021 mais de 100.000 frascos do medicamento antiviral remdesivir, com a designação comercial Veklury, para tratamento de doentes com covid-19. A decisão foi tomada …

Utilizadores do PayPal vão poder usar criptomoeda para pagar a mais de 26 milhões de comerciantes

O PayPal anunciou que vai investir no mercado das criptomoedas, lançando um novo serviço que permitirá aos utilizadores da plataforma nos Estados Unidos comprar, guardar e vender moeda digital, já a partir de 2021. De acordo …

Escavações revelam sepulcro do final da Idade do Bronze em Oliveira de Frades

Escavações arqueológicas realizadas recentemente revelaram a existência de um sepulcro do final da Idade do Bronze na Cumeeira, junto à zona industrial de Oliveira de Frades, anunciou esta quinta-feira a autarquia. "Este sítio arqueológico era já …

Farmacêutica Purdue aceita declarar-se culpada em processo sobre analgésico opiáceo

A farmacêutica Purdue concordou em declarar-se culpada pela promoção agressiva do analgésico opiáceo OxyContin. O acordo foi anunciado pelo ministério da Justiça norte-americano e está avaliado em cerca de 8,3 mil milhões de dólares. A farmacêutica …