As erupções vulcânicas podem acabar com o verão

rodolfoaraiza.com / Flickr

Erupções vulcânicas de grandes proporções num futuro próximo podem prejudicar as temperaturas a nível mundial. Se o clima continuar a mudar a este ritmo, as gerações futuras poderão ter de enfrentar “anos sem verão”.

Ao estudar o impacto que as grandes erupções vulcânicas poderiam provocar na Terra, uma equipa de cientistas do Centro Nacional de Investigação Atmosférica (NCAR) concluiu que os oceanos não serão capazes de nos proteger dos efeitos do enxofre em erupção e do perigo dos aerossóis como era habitual.

Os autores do novo estudo, publicado esta semana na Nature Communications, analisaram o impacto que a erupção do Monte Tambora teve no clima da Terra em abril de 1815. O estudo provou que esta erupção desencadeou o chamado “ano sem verão” de 1816.

Segundo o LME, Last Millennium Ensemble, projeto que simula o clima da Terra com base no histórico de erupções vulcânicas de 850 a 2006, a erupção do Monte de Tamborra, na Indonésia, causou um arrefecimento global significativo e a formação de mais neve e gelo na Europa.

Este arrefecimento fez com que as temperaturas no verão de 1816 fossem muito baixas, tendo causado a perda de colheitas, doenças e a morte de cerca de 100 mil pessoas em todo o mundo.

Através de simulações, os cientistas descobriram que se uma erupção semelhante acontecer em 2085, as temperaturas poderão diminuir ainda mais drasticamente do que em 1815. Alertam ainda que essa diminuição não será suficiente para compensar o aquecimento futuro associado às mudanças climáticas.

Para além disso, os autores do estudo admitem que o arrefecimento resultante da possível erupção poderá diminuir significativamente a quantidade de precipitação no mundo inteiro.

Por sua vez, com temperaturas mais altas – como as que se têm verificado – os oceanos serão cada vez menos capazes de moderar os impactos climáticos causados por erupções vulcânicas.

À medida que o nosso clima aquece, as temperaturas da superfície do mar também aumentam, fazendo com que a água mais quente não seja capaz de se misturar com a água mais fria e mais densa do fundo do mar.

Depois de uma tal erupção vulcânica, a água fica presa na superfície, em vez de se misturar no oceano, reduzindo a quantidade de calor libertada para a atmosfera. É por isso que os cientistas preveem a chegada dos “anos sem verão”.

No entanto, os resultados são apresentados de forma cautelosa, dado que os efeitos exatos são difíceis de prever. “A resposta do sistema climático à erupção de 1815 no Monte de Tambora dá-nos uma perspetiva sobre o futuro, mas o nosso sistema climático pode responder de forma muito diferente“, explicou o autor Otto-Bliesner.

ZAP // alphr

PARTILHAR

RESPONDER

"Solução razoável". Marcelo promulga já aumento do salário mínimo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai promulgar já esta sexta-feira o diploma que estabelece um aumento do salário mínimo nacional para 635 euros em 2020, que considera "uma solução razoável, a pensar …

Filósofo francês diz aos homens para violarem mulheres. "Eu violo a minha todas as noites"

O filósofo e escritor francês Alain Finkielkraut afimrou na quarta-feira, durante um programa da TF1 sobre casos de violação divulgados pelos media, que diz aos homens para violarem as suas mulheres. "Eu violo a minha …

Ex-administrador da TAP Luís Rodrigues é o novo presidente da SATA

O antigo administrador da TAP Luís Rodrigues é o novo presidente da transportadora aérea açoriana SATA, informou hoje o executivo regional. "O presidente do Governo [Regional], Vasco Cordeiro, comunicou à Assembleia Legislativa o nome de Luís …

Mãe que deixou recém-nascido no caixote do lixo não quis abortar

A jovem cabo-verdiana, em prisão preventiva por suspeitas de ter abandonado o seu filho recém-nascido no lixo, teve a oportunidade de abortar, mas não quis. O Supremo Tribunal de Justiça rejeitou, esta quinta-feira, o pedido de …

Face Oculta. MP pede 12 anos e 10 meses para Manuel Godinho

O Ministério Público (MP) defendeu esta sexta-feira a aplicação de uma pena única de 12 anos e 10 meses de prisão para o sucateiro Manuel Godinho, principal arguido do processo Face Oculta, durante a audiência …

Maioria acredita que Governo vai durar quatro anos

Uma sondagem da Aximage revela que a maioria das pessoas entrevistadas acredita que António Costa vai concluir a sua legislatura, mesmo com um Governo que consideram de "estrutura exagerada". Uma sondagem da Aximage para o Jornal …

Tecnologia usada em Marte ajuda a detectar fugas de água em Gaia

Um sistema "pioneiro em Portugal" que recorre a tecnologia usada em Marte, para detectar água, está a ser utilizada pela empresa municipal Águas de Gaia, em Vila Nova de Gaia, para detectar fugas no sistema …

É segredo de Estado e custou mais de 100 milhões. "Máquina do Fisco" analisa 600 mil facturas por hora

O sistema informático que sustenta a "máquina do Fisco" já custou ao Estado mais de 100 milhões de euros e é tão secreto que nem a localização física dos servidores que o sustentam é conhecida. …

Empresário alemão investigado por suspeitas de orgias com menores em Cascais

O empresário alemão Matthias Schmelz, representante em Portugal dos aspiradores da marca Rainbow, está a ser investigado por suspeitas de lenocínio e pagar por orgias com menores na sua casa na zona de Cascais, avançou …

A nova fábrica da Tesla não vai ser no Reino Unido por causa do Brexit

O presidente executivo da Tesla admitiu que as incertezas à volta do Brexit tiveram peso na decisão de abrir a primeira fábrica da empresa na Europa antes em Berlim. A Tesla anunciou, esta terça-feira, que vai …