Artista mexicana foi atacada com ácido há dois anos. Agora, regressou aos palcos

Há dois anos, quiseram acabar com a vida de María Elena Ríos. Um homem atirou-lhe ácido para a cara, um ataque que acabou por mudar a vida desta jovem saxofonista para sempre.

Dois anos depois de um homem lhe ter atirado uma garrafa de ácido à cara, a música mexicana María Elena Ríos realizou um concerto no passado fim de semana, com a cara coberta por uma máscara facial florida e o seu saxofone pendurado no pescoço.

Sinto-me livre“, disse, citada pela VICE, ao lado da sua banda composta só por mulheres. “É um dia muito especial para mim.”

Ríos foi atacada em setembro de 2019, quando estava tranquilamente sentada no seu estúdio na pequena aldeia de Huajuapan De Leon, em Oaxaca. A artista acredita que foi o seu ex-namorado que orquestrou o ataque.

“Foi verdadeiramente difícil voltar ao palco. O ataque mudou a minha vida e fez-me viver com medo e culpa. Uma das partes mais difíceis é descobrir o meu rosto para tocar saxofone e receber troça, ódio e muita violência digital”, confessou a jovem.

O autor do crime foi detido um ano depois, mas o seu ex-namorado continua em liberdade, mesmo depois de Ríos ter entregue várias provas.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by • í (@elenariosax)

María Elena Ríos usou a atuação musical do grupo “Banda Femenil Regional Mujeres del Viento Florido” para chamar a atenção para o registo de feminicídios no México.

Mais de três mulheres são assassinadas todos os dias só por serem mulheres, de acordo com o Sistema Nacional de Segurança Pública do México (SESNSP). Nos últimos cinco anos, os números do Governo mexicano mostram um aumento de 137% nestes crimes.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.