“A Geração Z não sabe o que é trabalhar”. Anúncio polémico acende debate sobre a cultura laboral nos EUA

Michael Barera / Wikimedia

No anúncio, um gerente afirmava que não ia contratar funcionários jovens. O tema tornou-se viral nas redes sociais e incendiou um aceso debate sobre os direitos laborais nos Estados Unidos.

A cadeia de lojas de desconto Dollar Tree viu o seu nome em maus lençóis esta semana nos meios de comunicação norte-americanos. Em causa está um anúncio de emprego que um gerente em Bremen, no estado do Indiana, colocou na loja, onde se queixa que teve de fechar depois de dois jovens funcionários se terem demitido.

“Peço desculpa por fecharmos OUTRA VEZ. As minhas duas funcionárias na caixa demitiram-se porque lhes disse que os seus namorados não podiam estar aqui durante os turnos. Não contratem a geração Z. Eles não sabem o que é trabalhar. Estamos a CONTRATAR. APENAS Baby Boomers. Obrigado”, pode ler-se no sinal, que se tornou viral nas redes sociais.

https://twitter.com/WhatsTrending/status/1519016206551773184

O anúncio foi partilhado no TikTok e incendiou um intenso debate, com acusações de discriminação e acusações de que a razão pela qual a empresa não consegue reter os funcionários é as más condições de trabalho. A geração Z refere-se aos nascidos entre 1997 e 2012.

“Eles só querem pessoas que estão desesperadas ou demasiado cansadas para lutar por qualquer mais do que salários de pobreza”, escreveu um utilizador. “Na altura deles, as empresas podiam aproveitar-se de nós e as pessoas chamavam a isso trabalho sério”, criticou outro.

Actualmente, a Dollar Tree paga nove dólares por hora — um salário que muitos consideram insuficiente. Nos Estados Unidos, o salário mínimo federal é de 7,25 dólares por hora e já não é aumentado desde 2009.

Um funcionário que trabalhe 40 horas por semana a ganhar o salário mínimo recebe apenas cerca de 15 080 dólares por ano, um valor abaixo do limiar da pobreza para famílias de dois (18 310 dólares).

O candidato presidencial Bernie Sanders, que era um favorito entre os mais jovens, tornou a promessa da subida do salário mínimo para 15 dólares por hora uma das bandeiras da sua campanha. Joe Biden também defendeu o valor durante a corrida à Casa Branca, mas a promessa ainda está por cumprir.

Os dados do Centro de Investigação Económica e Política revelam ainda que se o salário mínimo tivesse acompanhado a evolução da inflação e da produtividade, estaria agora nos 23 dólares por hora.

A pandemia despoletou também uma enorme onda de demissões nos Estados Unidos e há um movimento crescente entre os mais jovens que não sonham com o trabalho e rejeitam a cultura do consumismo capitalista. Na China, o Governo está preocupado com a popularidade do movimento Tang ping, que incentiva os jovens a simplesmente ficarem deitados.

A Dollar Tree sofre também já há muito com a rotação constante dos funcionários e em 2019 este foi até um problema que o CEO ficou encarregado de resolver. A empresa já foi alvo de vários processos colectivos sobre os horários de trabalho e os salários, o que indica que a insatisfação dos trabalhadores é uma constante.

Em resposta à polémica, a Dollar Tree adiantou que o gerente em questão já não está no cargo, mas não adianta se este se demitiu ou foi despedido. “Claro, nós NÃO temos uma política contra a contratação de trabalhadores da geração Z”, revelou Randy Guiler, vice-presidente das relações de investimento da empresa, à CBS.

  Adriana Peixoto, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.