Medições precisas da antimatéria tornam a nossa existência ainda mais misteriosa

Um ponto previsível do nosso universo é que os opostos se equilibram. Para cada tipo de partícula normal, feita de matéria, existe uma antipartícula da mesma massa que tem a carga elétrica oposta.

Os eletrões têm antieletrões (ou positrões), protões têm antiprotões. A nova medição também mostra que a antimatéria e matéria comportam-se de forma idêntica.

Quando partículas de matéria e a antimatéria se encontram, porém, anulam-se uma à outra, deixando apenas energia. Os físicos acreditam que no início do Universo, terá havido uma quantidade igual de matéria e antimatéria criada pelo Big Bang, e que cada uma deveria ter causado a destruição da outra.

De acordo com esta hipótese, o universo não deveria existir.

Mas é aqui que o enredo se complica: não conhecemos nenhuma antimatéria primordial que tenha sobrevivido ao Big Bang. Então por que motivo a matéria sobreviveu ao Big Bang mas a antimatéria não?

Uma das melhores formas de responder a esta pergunta é medir as propriedades fundamentais da matéria e da sua antimatéria da forma mais precisa possível e comparar os resultados, diz Stefan Ulmer, físico da instituição de pesquisa japonesa Riken.

Este cientista não está envolvido na nova pesquisa da medição da antimatéria que foi publicada esta quarta-feira na revista Nature.

Para medir a antimatéria, porém, é necessário antes de mais produzi-la. Recentemente, alguns físicos têm estudado o anti-hidrogénio, ou antimatéria do hidrogénio, já que este é uma das substâncias mais conhecidas.

Produzir anti-hidrogénio requer a mistura de 90 mil antiprotões com 3 milhões de positrões para produzir 50 mil átomos de anti-hidrogénio, sendo que apenas 20 deles são capturados por ímanes de 28 centímetros de comprimento para estudo posterior.

No estudo em questão, os cientistas conseguiram realizar a medição mais precisa do anti-hidrogénio. Para isso, precisaram de produzir 15 mil átomos de hidrogénio – o processo descrito acima repetido 750 vezes,  estudando a frequência da luz emitida ou absorvida por átomos quando saltam para um estado de energia mais alto.

A medição dos níveis de energia do anti-hidrogénio e a quantidade de luz absorvida estão de acordo com as “contra-pares” hidrogénio, com uma precisão de 2 partes por bilião. Esta medição é uma melhoria dramática quando comparada com as realizadas anteriormente.

“É muito raro que experimentalistas aumentem a precisão de uma medição num fator de 100″, explica Ulmer ao Live Science. Jeffrey Hangst, físico da Universidade Aarhus, na Dinamarca, e co-autor do estudo, acrescenta que “há 20 anos as pessoas achavam que isto nunca iria acontecer”.

Então o que nos diz essa medição?

Como era esperado, o hidrogénio e o anti-hidrogénio comportam-se de forma idêntica. Agora, sabemos que também são idênticos numa medição com uma precisão da ordem das de partes por bilião.

Porém, Ulmer considera que esta medição não elimina a possibilidade de que haja uma discordância entre os dois tipos de matéria, se medidas com um nível ainda maior de precisão.

Hangst e os seus colegas pretendem agora realizar medições ainda mais precisas e explorar como a antimatéria reage com a gravidade. Será que cai como a matéria normal ou, por outro lado, “cai para cima“?

Hangst acredita que este mistério pode ser resolvido antes do final deste ano. “Temos outros truques nas nossas mangas”.

PARTILHAR

RESPONDER

Este casaco foi desenhado para nos ajudar a dormir em qualquer lado

A britânica Vollebak lançou um casaco, inspirado nos astronautas, que facilita a ideia de poder dormir, literalmente, em qualquer lado. A pensar em todas aquelas pessoas que gostam de fazer uma sesta ou outra, independentemente do …

DJ Juice WRLD morre aos 21 anos

A estrela do hip-hop norte-americano Juice WRLD faleceu este domingo (8), depois de sofrer convulsões no Aeroporto de Midway, em Chicago, avança o TMZ. O rapper tinha feito 21 anos a 2 de dezembro. De acordo …

"A Favorita" arrebata prémios do cinema europeu

O filme "A Favorita", do realizador grego Yorgos Lanthimos, arrecadou oito prémios da Academia de Cinema Europeu, numa cerimónia realizada em Berlim. "A Favorita" conquistou, entre outros, os prémios de Melhor Filme Europeu, Melhor Comédia, Realização …

Belenenses 1-1 Porto | "Dragão" escorrega e deixa fugir líder

O FC Porto não foi além de um empate na visita ao Jamor, ante o Belenenses. André Santos abriu as “hostilidades” e Alex Telles, na marcação de uma grande penalidade, fixou o resultado final. Com esta …

Caligrafia desleixada de Isabel I denuncia-a como a tradutora anónima de um livro romano

A rainha Isabel I de Inglaterra foi identificada como a tradutora anónima do livro "Anais" de Tácito. As idiossincrasias da sua caligrafia acabaram por ser fundamentais para a descoberta. Na análise a uma tradução de século …

Hashtags políticas como #MeToo tornam as pessoas menos propensas a acreditar em notícias

Tendem a passarem despercebidas, mas as hashtags são mais importantes do que julgamos. A questão que se impõe é: serão benéficas para a saúde democrática da Internet? Uma hashtag (#) é uma marca funcional, amplamente usada …

Sporting 1-0 Moreirense | "Leão" resolve à cabeçada

O Sporting regressou às vitórias na Liga NOS, embora não sem sentir algumas dificuldades, em especial no ataque. Os "leões" bateram o Moreirense por 1-0, numa partida em que remataram muito (28, máximo na Liga até …

Orçamento do Estado. "Sentido de voto do BE está completamente em aberto"

A coordenadora do BE afirmou, este domingo, que o sentido de voto do partido sobre o Orçamento do Estado para 2020 está "completamente em aberto", desejando que o Governo socialista atenda às reivindicações bloquistas. "Fizemos uma …

João Cotrim Figueiredo eleito presidente da Iniciativa Liberal com 96% dos votos

João Cotrim Figueiredo foi eleito, este domingo, presidente da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal, uma candidatura única que recolheu 96% dos votos na III Convenção Nacional do partido. A III Convenção Nacional do partido decorre hoje …

Inteligência artificial decifra manuscrito que pode mudar história da Austrália

A Terra Australis Incognita, hoje conhecida como Austrália, foi descrita por um jesuíta espanhol quase cem anos antes da descoberta em 1770 pelo marinheiro britânico James Cook, segundo um manuscrito decifrado através de inteligência artificial. A …