Amostras de sangue de animais de zoológicos ajudam a prever doenças em humanos

(dr) Oliver Dietze

O professor de bioinformática Andreas Keller e o diretor do jardim zoológico Richard Francke

Os cientistas querem usar padrões genéticos similares, que estão presentes no sangue de humanos e animais há milhares de anos, para melhorar o prognóstico da doença assistida por computador.

Os jardins zoológicos de Saarbrücken e Neunkirchen, ambos na Alemanha, abrigam pinguins, elefantes asiáticos e várias outras espécies. Uma vez que estes animais são provenientes de vários continentes, amostras de sangue são retiradas com alguma frequência com o objetivo de examinar a sua saúde.

Segundo o Phys.org, estas amostras de sangue já foram usadas por bioinformáticos e geneticistas humanos na Universidade de Saarland para procurar biomarcadores que possam ser usados para detetar doenças em estágio inicial.

O objetivo dos investigadores é usar padrões genéticos similares, presentes no sangue de humanos e animais há milhares de anos, para melhorar o prognóstico da doença assistida por computador.

Além da cooperação com os jardins zoológicos, este projeto é incomum dado que medir os perfis moleculares de sangue de animais nunca foi feito desta forma, de acordo com Andreas Keller, professor de bioinformática da Universidade de Saarland.

Em vez de examinar tecidos e dados de pacientes humanos, Andreas Keller e Eckart Meese, um geneticista humano de Saarbrücken, analisaram amostras de sangue de 21 animais. O diretor do zoológico, Richard Francke, recolheu o sangue durante exames de rotina entre 2016 e 2018 e disponibilizou-os aos cientistas.

Normalmente, os cientistas investigam biomarcadores no sangue humano de forma a identificar tumores de pulmão ou doenças como o Alzheimer ou Parkinson. “Micro-RNAs são adequados para esse fim”, disse Keller.

“Os micro-RNAs são secções curtas de moléculas específicas no ácido ribonucléico que desempenham um papel importante no controlo de genes. Com o objetivo de encontrar essas secções, os cientistas  usam métodos bioinformáticos modernos, incluindo inteligência artificial. Por sua vez, esse mecanismo cria um desafio que os animais dos zoológicos podem resolver”, explicou o cientista.

“Até 20 milhões de dados são recolhidos por paciente humano. Os métodos usados reconhecem os padrões típicos (como um tumor no pulmão, por exemplo), mas é difícil para a inteligência artificial aprender quais os padrões de biomarcadores que são reais e quais parecem apenas encaixar-se no respetivo quadro clínico. É aqui que as amostras de sangue dos animais entram em ação“, continuou.

“Se um biomarcador é evolutivamente conservado, ou seja, também ocorre noutras espécies de forma e função similar, é muito mais provável que seja um biomarcador resiliente“, explicou o professor.

Os resultados desta investigação foram recentemente publicados na Nucleic Acids Research. Além do artigo científico, os investigadores criaram também uma base de dados na qual inseriram os seus resultados. Cientistas de todo o mundo podem agora ter acesso a estes dados.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientista americana diz estar certa de que a Terra será atingida por asteroide

https://vimeo.com/355132338 Uma cientista americana de uma ONG dedicada a proteger a Terra diz que é 100% certo que um asteroide atingirá o nosso planeta. A cientista é Danica Remy, presidente da Fundação B612. Após um asteroide não …

NASA vai mesmo explorar Europa, a lua de Júpiter que pode ter vida extraterrestre

A NASA deu luz verde a uma missão para explorar uma lua de Júpiter que é considerada um dos melhores candidatos para a vida extraterrestre. A Europa - que é um pouco mais pequena do que …

País de Gales cancela plano controverso de criar "casas de banho robô"

O objetivo da construção era impedir atividade sexual, vandalismo e dormidas nas casas de banho públicas. O projeto ia recorrer às tecnologias de piso sensível ao peso, jatos de água, sensores anti-movimento e alarmes. O conselho …

Sem saber, uma mulher viveu durante 17 anos com a sua "gémea" dentro dela

Uma jovem na Índia, sem saber, viveu com uma das condições médicas mais raras e perturbadoras durante quase duas décadas. De acordo com um relatório de caso desta semana, a mulher tinha um saco que continha …

Novo filme da saga 007 já tem nome e data de estreia marcada

O novo filme da saga 007, realizado por Cary Fukunaga chama-se "No time to die" e estreia-se no Reino Unido e nos Estados Unidos em abril de 2020. "Daniel Craig regressa como James Bond, 007 em... …

Comporta pode tornar-se na nova Ibiza (e tudo começou com a queda do BES)

Após anos de um quase esquecimento, em termos de desenvolvimento imobiliário, a Comporta está a atrair investidores internacionais que encaram a pequena vila de Setúbal como uma "nova Ibiza". Um cenário que está a preocupar …

Família de Aretha Franklin cria fundo para a investigação de cancro raro

Um ano após a morte da cantora, a família de Aretha Franklin criou um fundo de apoio à investigação na área dos tumores neuroendócrinos, a doença rara que se revelou fatal para a celebridade, a …

Sporting vai monitorizar tudo o que se diz e escreve sobre jogadores

A empresa Noisefeed tem uma enorme base de dados relativa à atividade nas redes sociais de milhares de jogadores a nível global. Os jogadores de futebol de todo o mundo usam, cada vez mais, as redes …

Boris janta hoje com Merkel para mudar acordo. Maioria quer novo referendo

A pouco mais de dois meses da data marcada para a saída do Reino Unido da União Europeia, uma nova sondagem mostra que a maioria dos britânico quer que qualquer novo acordo vá a referendo. Um …

Oficial: Pardal Henriques candidato a deputado pelo partido de Marinho Pinto

O advogado Pedro Pardal Henriques anunciou esta quarta-feira que aceitou o convite para encabeçar a lista do PDR a Lisboa, deixando de ser porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas para "não misturar …