Amnistia acusa regime sírio e Rússia de “crimes de guerra”

FreedomHouse / Flickr

Bombardeamento em Aleppo, na Síria

A Amnistia Internacional acusou esta segunda-feira o regime sírio e o aliado russo de “crimes de guerra” depois de documentar 18 ataques no ano passado contra escolas e centros médicos no noroeste da Síria.

Esta região onde está localizada a província de Idlib, o último grande bastião jihadista e rebelde do país em guerra, beneficia de um cessar-fogo desde o início de março, após vários meses de uma ofensiva mortal do regime apoiada pela aviação de Moscovo, como lembrou a agência Lusa.

A operação relançada em dezembro, acompanhada por ataques aéreos quase diários, causou quase um milhão de deslocados, mas também quase 500 mortes entre civis, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, uma organização não-governamental (ONG) sediada em Londres, que denuncia as ações do regime sírio de Bashar al-Assad.

Entre 05 de maio de 2019 e 25 de fevereiro de 2020, a Amnistia Internacional alega ter documentado 18 ataques a instalações médicas e escolas, realizados por Bashar al-Assad ou pelas forças russas.

“As provas mostram que, como um todo, os ataques documentados pelas forças do Governo sírio e russo envolvem uma miríade de violações sérias do direito internacional humanitário”, denunciou a Amnistia. “Essas violações são equivalentes a crimes de guerra”, acrescentou a organização, também ela sediada em Londres.

A ONG acusou o regime e as forças russas de “direcionarem intencionalmente ataques contra civis e infraestrutura civil, como hospitais e escolas”.

A maioria dos ataques, contra Idlib, mas também em territórios nas províncias vizinhas de Aleppo ou Hama, ocorreu em janeiro e fevereiro de 2020, informou a Amnistia.

A ONG refere-se a bombardeios aéreos russos perto de um hospital na cidade de Ariha, a 29 de janeiro, que destruíram pelo menos dois prédios residenciais e mataram 11 civis.

A Amnistia acusou o regime de atacar uma escola na cidade de Idlib a 25 de fevereiro com munições proibidas pelo direito internacional, que resultaram na morte de três pessoas.

“A última ofensiva perpetuou um padrão hediondo de ataques generalizados e sistemáticos, cujo objetivo é aterrorizar a população civil”, salientou a diretora regional da Amnistia Heba Morayef, citado no comunicado.

“A Rússia continuou a fornecer inestimável apoio militar [ao regime] – nomeadamente através de ataques aéreos ilegais”, apoio que “facilita” os “crimes de guerra e crimes contra a humanidade cometidos pelas forças armadas sírias”, acrescentou.

Na região de Idlib vivem três milhões de pessoas, metade das quais já tinham fugido de outras regiões entretanto recuperadas pelo regime sírio. A guerra na Síria, que começou em 2011 com a repressão dos protestos pró-democracia, causou mais de 380 mil mortos e milhões de deslocados.

Lusa //

PARTILHAR

RESPONDER

Governo não pondera (para já) proibição de fumar ao ar livre

O Governo não está a ponderar, neste momento, proibir fumar ao ar livre como foi decretado em Espanha, mas há “muitos aspetos em aberto” que serão acompanhados, disse esta sexta-feira a ministra da Saúde, Marta …

Lotação do Avante reduzida a um terço. Visitantes terão uma "área superior à que está estabelecida para as praias"

O PCP anunciou que vai limitar a entrada na sua anual Festa do "Avante!" a um terço da capacidade total, em virtude do contexto de pandemia de covid-19. O espaço de 30 hectares das Quinta da …

Governo da Guiné Equatorial demitiu-se em bloco

O Governo da Guiné Equatorial, liderado pelo primeiro-ministro Francisco Pascual Obama Asue, apresentou a sua demissão em bloco. Em declarações aos jornalistas, o ministro da Comunicação e porta-voz do Governo em funções, Eugenio Nze Obiang, explicou …

PSP apresenta queixa contra jornal Público por causa de cartoon no "Inimigo Público"

A PSP anunciou esta sexta-feira que vai apresentar queixa contra o jornal Público pela publicação, no suplemento Inimigo Público, de um cartoon com uma figura vestida de uniforme, “aparentemente relacionado com uma ação com conotação …

Tensão no Mediterrâneo. Macron envia ajuda militar à Grécia em conflito com a Turquia

O presidente Emmanuel Macron anunciou, quarta-feira, o envio de forças francesas para o Mediterrâneo Oriental. A intenção turca de procurar petróleo e gás no fundo do mar, tem criado tensão política entre a Grécia e …

"O material escolar mais importante". Escolas já receberam verba para comprar máscaras

As escolas já receberam as verbas para comprar as máscaras que irão distribuir gratuitamente pelos alunos e funcionários e alguns estabelecimentos de ensino estão a planear ter equipamentos extra Dentro de um mês, em meados de …

Lar em Sintra com 43 utentes e 12 funcionários infetados com covid-19

Quarenta e três utentes e 12 funcionários do lar da Associação de Solidariedade e Apoio Social do Pessoal da TAP, em Sintra, testaram positivo à covid-19, disse esta sexta-feira à agência Lusa fonte da câmara …

Para ter um "cabelo perfeito", Trump vai mudar a lei da pressão de água nos chuveiros

O Governo norte-americano quer flexibilizar as regras para acessórios de chuveiros que permitem uma maior conservação da água depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se ter queixado da falta de pressão de …

Transferência de Diogo Leite para o Valencia pode cair por terra

A imprensa espanhola avança esta sexta-feira que a transferência do defesa central do FC Porto Diogo Leite para o Valência está em risco. Apesar de as negociações entre as partes estarem em curso já há algumas …

Catarina Martins sai em defesa da Festa do Avante (e atira-se a Rui Rio)

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, sublinhou esta sexta-feira que os direitos políticos não estão limitados, após questionada sobre a realização da festa comunista do Avante!, e afirmou acreditar que os responsáveis estão …