ALPHA-g. Criado o primeiro detetor de antigravidade

Stu Shepherd / TRIUMF

ALPHA-g

O ALPHA-g está pronto para fazer a sua estreia: esta máquina de 200 quilos foi criada para medir os efeitos de uma suposta “antigravidade”.

Numa luta contra o tempo, os cientistas estão a apressar-se a ligar o novo detetor que irá explorar os efeitos da gravidade sobre a matéria antes que o o laboratório da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN) seja desativado durante dois anos.

O detetor antigravidade foi proposto, pela primeira vez, em 2013. Nos últimos meses, os criadores do ALPHA-g trabalharam intensamente em Vancouver, no Canadá, para concluir a sua criação. Eis que, em julho, o ALPHA-g foi enviado para o CERN, o único local no mundo que pode fornecer a quantidade de antimatéria necessária para o seu funcionamento.

Como o CERN irá sofrer uma pausa, já no dia 12 de novembro, os cientistas pretendem, até lá, resolver os problemas técnicos que surjam e conduzir algumas experiências de antigravidade no instrumento.

Entender se a antimatéria obedece às mesmas leis da gravidade, como a matéria, é um passo importante para confirmar décadas de teorias postuladas por físicos.

A antimatéria é exatamente como a matéria regular, aquela que compõe as estrelas, planetas e todos os objetos observáveis no universo. No entanto, exibe algumas propriedades quânticas opostas. Enquanto que a matéria regular tem eletrões carregados negativamente, a antimatéria tem positrões, carregados positivamente, por exemplo.

E no que diz respeito às propriedades gravitacionais, serão elas semelhantes ou opostas? Por outras palavras, a antimatéria cai para cima ou para baixo?

A grande aposta para responder a esta pergunta é o detetor ALPHA-g. Enquanto outros detetores ALPHA eram orientados horizontalmente com câmaras estreitas, o mais recente é orientado verticalmente.

Com 2,3 metros de altura, o ALPHA-g possui enormes rolos que circundam a câmara, criando um campo magnético capaz de conter átomos de “anti-hidrogénio” como se estivessem presos numa garrafa de plástico.

Na prática, em vez de uma garrafa normal, imagine uma garrafa com uma tampa na parte superior e na parte inferior. Durante as experiências, o campo magnético deve ser manipulado com precisão para que as tampas, tanto a superior como a inferior ,“se abram” simultaneamente.

Através desta experiência, os físicos conseguirão observar se os átomos de anti-hidrogénio caem como a matéria normal na presença do campo gravitacional da Terra, ou se se movem para cima, desafiando a gravidade.

Ainda que esta última possibilidade seja muito improvável, se for observada, a nossa compreensão atual do universo, conforme descrito pela teoria da relatividade geral de Einstein, precisará de ser revista. “Se nos depararmos com alguma diferença entre o hidrogénio e o anti-hidrogénio, precisaremos de reescrever a teoria“, explica Makoto Fujiwara, cientista líder da equipa.

Daqui a dois anos, quando o CERN reabrir, os cientistas querem obter medições repetidas e mais precisas dos efeitos gravitacionais da antimatéria. Por enquanto, a equipa do ALPHA espera, pelo menos, observar se a antimatéria sobe ou desce.

PARTILHAR

RESPONDER

Espanha em risco de novas eleições. Sánchez falha acordo para formar Governo

Os planos de Pedro Sánchez para formar governo parecem estar a desmoronar-se. O PSOE ainda não chegou a acordo com o Unidas Podemos e a abstenção do PP e do Ciudadanos parece longe de se …

Boris Johnson vai ser o novo primeiro-ministro britânico

Boris Johnson é o novo líder do Partido Conservador. O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros foi o mais votado as eleições internas. Os resultados foram conhecidos na manhã desta terça-feira, depois de semanas de votações entre …

INEM levou quatro horas a socorrer ferido grave em Vila de Rei

O INEM levou quatro horas a socorrer o ferido mais grave do incêndio de Vila de Rei, em Castelo Branco, que deflagrou este sábado, avança o Jornal de Notícias esta terça-feira na sua edição impressa. …

Publicidade a iogurtes, cereais e chocolates vai ser (quase) extinta

A guerra ao açúcar em Portugal vai provocar uma grande redução na publicidade dirigida a menores de muitos iogurtes, cereais de pequeno almoço e chocolate. Entre os produtos que vão deixar de ser publicitados junto a …

Sindicatos chegam a acordo com Transtejo e Soflusa e equacionam levantar greve

Os sindicatos dos trabalhadores da Transtejo e Soflusa aceitaram, esta segunda-feira, um aumento de 28 euros para todas as categorias, incluindo a dos mestres, comprometendo-se a levantar a greve caso os trabalhadores aprovem a decisão. "A …

Cavaco Silva avisou, mas Sócrates recusou alterar acordo que favorece Berardo

Cavaco Silva alertou José Sócrates para os benefícios que o seu Governo concedeu a Joe Berardo para instalar a sua coleção no Centro Cultural de Belém (CCB), mas o ex-primeiro-ministro recusou alterar o acordo que …

PS deixa cair lei. Subvenções vitalícias continuam em segredo

Quando a lista das subvenções mensais vitalícias foi suspensa, em agosto de 2018, o PS anunciou que aprovaria uma proposta que garantisse a sua publicação. Onze meses depois, concluiu que não é necessária. A Caixa Geral …

Morreu David Hedison, o agente da CIA aliado de James Bond

David Hedison, o ator norte-americano que participou em dois filmes da saga de James Bond, morreu esta segunda-feira em Los Angeles, nos Estados Unidos, aos 92 anos. A informação foi avançada na página oficial do Twitter …

Ninhos descobertos na Mongólia mostram que os dinossauros protegiam os seus ovos

Ninhos de dinossauro descobertos no Deserto de Gobi, na Mongólia, mostram que estes animais pré-históricos faziam ninhos em grupo e, tal como os pássaros, protegiam os seus ovos. De acordo com a revista Nature, uma equipa …

Banco de Portugal gasta meio milhão em mudanças (sem sequer se ter mudado)

O Banco de Portugal tem estado em mudanças. Além das institucionais, com o fim do segundo mandato de Carlos Costa no próximo ano, há também mudanças físicas: haverá um novo edifício para a concentração dos …