Há alimentos que ajudam a prevenir o transtorno afetivo sazonal (e a ter uma boa saúde mental)

Vários estudos apontam para a relação entre uma dieta equilibrada e uma boa saúde mental. Agora, investigadores consideram que aquilo que se come pode ser fundamental para prevenir o transtorno afetivo sazonal.

O inverno está mesmo à porta e cada vez escurece mais cedo – o que se torna um desafio para a nossa saúde mental. O transtorno afetivo sazonal (TAS) é um tipo de depressão caracterizado pela mudança de estação, o que significa que os sintomas podem durar cerca de quatro a cinco meses por ano.

Embora algumas pessoas o sintam na altura do verão, é um transtorno mais associado ao inverno, já que se pensa ter a ver com a relação entre os neurotransmissores, a luz solar e uma superprodução de melatonina.

Para o tratamento do TAS existem já fortes evidências que apoiam o uso de terapia de luz brilhante, terapia cognitivo-comportamental e a toma de um antidepressivo, chamado Wellbutrin XL. Mas, ultimamente, investigadores têm-se virado para uma potencial medida preventiva: a comida.

Um estudo publicado na BioMed Central, sobre o possível impacto terapêutico das mudanças dietéticas na depressão moderada a grave, indica que existe uma ligação robusta entre nutrição e saúde mental, não existindo, no entanto, um alimento único que consiga resolver o problema.

Michael Berk, coautor do artigo, considera que a dieta é uma estratégia útil para combater essas mudanças de humor, mas que “não há um superalimento nem um super-suplemento”, sendo esse um equívoco.

“A evidência não apoia isso. Trata-se de ter uma dieta saudável e completa, e tem tanto a ver com o que não se come, como com o que se come”, afirmou.

Smile, teste analisado no estudo, baseia-se numa dieta mediterrânea modificada com 12 grupos alimentares importantes, que incluem grãos inteiros, vegetais, peixe e azeite.

Além disso, há alimentos extra que se podem consumir, mas cujas quantidades são limitadas – as carnes processadas e bebidas açucaradas são restringidas a não mais do que três por semana e as bebidas alcoólicas não devem ultrapassar a duas medidas padrão de vinho por dia, por exemplo.

A dieta mediterrânea serviu de inspiração, tendo em conta que vários estudos anteriores sugerem que esta protege contra o desenvolvimento de sintomas depressivos em pessoas mais velhas.

“A chave é uma dieta saudável e integral, que evite alimentos processados e seja baseada em vegetais e frescos”, revela Berk.

No entanto, o investigador considera que uma dieta tradicional norueguesa ou japonesa “seria igualmente útil”, visto que ambas destacam os alimentos frescos, os vegetais e contêm muito pouco açúcar.

Kathleen Holton, professora na American University e neurocientista nutricional, disse ao Inverse que os vegetais têm múltiplos micronutrientes (como ácido fólio e vitamina C), o que faz com que sejam “muito úteis na prevenção da depressão”.

Além disso, “a ingestão de micronutrientes é essencial para a saúde mental” porque as vitaminas e os minerais são importantes na produção de neurotransmissores e a deficiência de micronutrientes, como a vitamina D e o magnésio, pode causar problemas de neurotransmissão e levar a doenças mentais, diz Holton.

Para a neurocientista, os alimentos ricos em magnésio – como sementes, nozes, salmão e trigo sarraceno – são “especialmente importantes para indivíduos que sofrem de transtornos de ansiedade”, sendo, portanto, “úteis no combate à saúde mental debilitada”.

Um artigo publicado na revista Frontiers in Psychology identificou apenas 11 estudos sobre a relação entre a dieta e a saúde mental e considerou não existirem evidências suficientes para recorrer a “suplementos de nutrientes” como única intervenção no tratamento da TAS.

Os investigadores consideram, no entanto, que a hipótese de que uma abordagem combinada – dieta equilibrada e outras formas de terapia – possa ser a solução.

Holton acrescenta, no entanto, que a ideia de que uma dieta vegan possa ajudar a ter uma boa saúde mental é um equívoco – vários dos nutrientes que se acredita contribuírem para a saúde mental, como a vitamina D3 e a B12, são encontrados apenas em alimentos de origem animal.

“Assim, uma dieta vegan pode até aumentar o risco de uma pessoa sofrer de doença mental devido às deficiências nutricionais que pode causar”, conclui.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Macacos foram geneticamente modificados com cérebros humanos (e os seus neurónios aumentaram)

Um gene humano injetado nos cérebros dos macacos não apenas os tornou maiores, mas também aumentou a função dos neurónios, tornando os primatas "mais humanos". Os cérebros dos macacos são muito menores e mais lisos do …

Académicos sul-africanos querem diminuir o brilho do Sol

Um grupo de cientistas e académicos sul-africanos considera diminuir o brilho do Sol para evitar uma seca devastadora na Cidade do Cabo, de acordo com um novo estudo científico recentemente publicado. Os especialistas pretendem lançar …

O Universo está cheio de uma substância misteriosa: chama-se quintessência

Uma equipa internacional de cientistas sugere, num novo estudo, que a expansão acelerada do Universo pode ser causada por uma substância misteriosa chamada quintessência. Os cientistas acreditam que a expansão do Universo está relacionada com a …

Entrevista: "Demorei 2 anos a aperfeiçoar o meu passe; os miúdos de Timor já jogam lindamente!"

Sara Moreira Silva é a líder da primeira escola de voleibol em Timor-Leste, que vai arrancar em janeiro de 2021. Fica aqui a perspetiva de uma portuguesa que vê muito talento entre os timorenses...que não …

O edifício mais antigo do mundo ainda em funcionamento "mora" em Roma

O Panteão de Roma, o edifício mais antigo desta cidade italiana, continua a ser utilizado nos dias de hoje, cerca de 2.000 anos depois da sua construção. Edificado em meados de 125 a.C sob a …

Da cabeça de javali à perdiz. Historiadores e chefs ensinam a cozinhar pratos medievais

Uma equipa de historiadores e grandes chefs reuniu-se para oferecer um curso online para ensinar os alunos a criar banquetes medievais. Professores da Universidade de Durham e chefs do restaurante Blackfriars criaram o Eat Medieval, que …

The Climate Store. Os preços desta loja sueca variam conforme a pegada ecológica

Os rótulos dos alimentos já indicam o quão bom ou mau um produto é para a nossa saúde, mas e o planeta? Um número crescente de marcas está agora a rotular os seus produtos para …

A cidade-irmã mais famosa de Petra abre finalmente ao público. "Esconde" túmulos amaldiçoados

A cidade de Hegra, localizada nos desertos a norte de Al Ula, no noroeste da Arábia Saudita, vai pela primeira vez abrir ao público, podendo os visitantes explorar agora este local antigo sem quaisquer restrições. …

Falha no Microsoft Excel pode ter levado a mais de 1.500 mortes no Reino Unido

Um erro no Microsoft Excel que eliminou quase 16 mil casos de covid-19 das estatísticas do Reino Unido pode ter levado a mais de 1.500 mortes evitáveis, de acordo com um artigo da Warwick University. Os …

Pessoas com bons hábitos de sono têm menor risco de insuficiência cardíaca

Os padrões de sono saudáveis ​​incluem acordar de manhã cedo, dormir 7 a 8 horas por noite e não ter insónias ou sonolência diurna excessiva. Esta pode ser a receita secreta para evitar insuficiência cardíaca, …