Aglomerados de estrelas podem acolher civilizações extraterrestres

NASA / ESA

A imagem comemorativa do 25º aniversário do Telescópio Hubble foi o "fogo de artifício celeste" do aglomerado de estrelas Westerlund 2

A imagem comemorativa do 25º aniversário do Telescópio Hubble foi o “fogo de artifício celeste” do aglomerado de estrelas Westerlund 2

Grupos densos de estrelas com mil milhões de anos podem ser os locais ideais para encontrar vida extraterrestre inteligente na nossa galáxia. É o que defende uma nova investigação desenvolvida em torno dos chamados aglomerados estelares globulares.

Estes aglomerados estelares globulares são sistemas que reúnem milhares ou centenas de milhares de estrelas unidas pelo mesmo campo gravitacional e que podem hospedar civilizações interestelares, conforme defende a investigadora Rosanne DiStefano, do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian, nos Estados Unidos.

“Um aglomerado globular poderá ser o primeiro lugar onde a vida inteligente será identificada na nossa galáxia”, salienta a invesitgadora, citada no site do CFA.

A tese desta investigação feita em parceria com Alak Ray, do Instituto de Pesquisa Fundamental Tata, em Mumbai, na Índia, é de que os planetas podem formar-se nos aglomerados estelares globulares e sobreviver durante mil milhões de anos, logo podendo acolher vida inteligente complexa.

Vários cientistas defendem que, fruto da antiguidade destes aglomerados globulares, que terão cerca de 10 mil milhões de anos, as estrelas destes sistemas não têm os elementos necessários para a formação de planetas, tal como o ferro e o silício.

Mas Alak Ray e Rosanne DiStefano salientam que há planetas mais pequenos, do tamanho da Terra, que não precisam da existência de elementos pesados para existirem, contrariamente a planetas da dimensão de Júpiter.

A confirmar-se esta ideia, poderemos vir a encontrar uma civilização extraterrestre a viver num tipo de ambiente muito diferente do da Terra e em circunstâncias onde a comunicação interestelar e a exploração espacial estariam significativamente facilitadas.

“A estrela mais próxima do nosso Sistema Solar fica a quatro anos-luz, ou 24 triliões de milhas de distância. Em contraste, a estrela mais próxima de um aglomerado globular poderá estar 20 vezes mais perto – apenas a um trilião de milhas de distância”, salienta-se no site do CFA.

“Chamamos-lhe a oportunidade do aglomerado globular. Enviar uma transmissão entre estrelas não demoraria mais tempo do que enviar uma carta dos EUA para a Europa no Século XVIII”, explica Rosanne DiStefano, notando que “as viagens interestelares também levariam menos tempo”.

“As sondas da Voyager estão a 100 mil milhões de milhas da Terra, ou a uma décima parte da distância que levaria a alcançar a estrela mais próxima, se vivêssemos num aglomerado estelar. Isto significa que enviar uma sonda interestelar é algo que uma civilização com o nosso nível tecnológico poderia fazer num aglomerado estelar”, nota a investigadora.

Há cerca de 150 aglomerados globulares na Via Láctea, a maioria dos quais situados nos subúrbios da galáxia. O mais próximo da Terra está a milhares de anos-luz de distância, o que dificulta a busca por novos planetas e por vida extraterrestre, mas fica a pista para onde procurar.

SV, ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. O título desta notícia também podia ter sido: “Aglomerados de estrelas podem NÃO acolher civilizaçoes extraterrestres”. Ciência da treta.

RESPONDER

Bancos com mil milhões de euros em pedidos de moratórias em média numa semana

Uma semana depois de a legislação da moratória pública ter entrado em vigor, os bancos nacionais já têm uma estimativa do número de pedidos de particulares e de empresas. De acordo com o Jornal Económico, os …

Idosos em lares infetados vão mudar-se (e podem ir para outros concelhos)

Na sequência do aumento de números de casos confirmados de covid- 19 nos lares, o Governo pretende “encontrar equipamentos alternativos” para alojar idosos, em isolamento profilático e que não precisem de tratamento hospitalar, dentro ou …

Apesar da pandemia, juiz Carlos Alexandre marca sessões do caso Tancos para abril

O juiz Carlos Alexandre marcou o interrogatório do principal arguido do processo relativo ao furto das armas de Tancos, João Paulino, para dia 21 de abril. De acordo com um despacho datado de 1 abril, citado …

Conceição pode estar de saída. FC Porto oferece 5 milhões por ano a Jesus

O treinador portista, Sérgio Conceição, pode estar de saída para a Alemanha. Como alternativa, o FC Porto está disposto a pagar 5 milhões de euros por ano a Jorge Jesus. Sérgio Conceição pode estar de saída …

Estado paga subsídio de refeição em teletrabalho. No privado, os patrões estão confusos

Mesmo à distância, os funcionários públicos mantêm o direito ao subsídio de refeição. No privado, a confusão mantém-se e os patrões estão divididos. De acordo com o secretário-geral da UGT, alguns patrões do privado estão a …

UEFA não quer campeonatos a seguir o exemplo belga

A UEFA reprovou a decisão da Liga de futebol da Bélgica que, esta quinta-feira, recomendou que se dê por terminada a época e se atribua o título ao Club Brugge.  Numa carta conjunta com a Associação de Clubes …

Boris Johnson em cheque. Desta vez, por causa da quantidade ínfima de testes

A pandemia de covid-19 está a ser um calvário político para Boris Johnson. O primeiro-ministro britânico tem sido alvo de várias críticas, sendo que a última tem a ver com a quantidade ínfima de testes …

EUA com pior recorde mundial diário de mortes. 10 milhões perderam o emprego

Os Estados Unidos registaram, esta quinta-feira, 1169 mortes em 24 horas causadas pela covid-19, o pior recorde mundial diário, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins. O número recorde de mortes em 24 horas …

Real Madrid sonda Maximiano. Sporting quer blindá-lo com cláusula de 60 milhões

O Real Madrid está atento a Luís Maximiano, o guarda-redes de 21 anos do Sporting. Os 'leões' querem blindar o jogador com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros. O Real Madrid está interessado …

Lares britânicos recomendam idosos a assinar cláusula de "não-reanimação"

Lares britânicos recomendaram aos mais velhos que assinassem uma cláusula de "não-reanimação" para que as camas dos hospitais não fossem ocupadas por pessoas com uma menor probabilidade de sobreviver. No Reino Unido, surgem denúncias de que …